Drenagem linfatica manual

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 11 (2685 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 7 de novembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
INTRODUÇÃO

Desde o início da história, o ser humano tem se preocupado com a aparência. Além de proporcionar proteção do crânio contra traumatismos e radiações solares, os cabelos estão diretamente relacionados á beleza. A veneração pelos cabelos influenciou imperadores, líderes religiosos, figuras da mitologia, além de ser referência social e cultural para muitas civilizações. Em todos ostempos e em todas as culturas, inúmeras fórmulas, poções mágicas, medicamentos exóticos e milagrosos foram testados no tratamento da calvície e, ao que se sabem, todos com resultados desapontadores. Estima-se que o couro cabeludo tenha cerca de 100.000 a 150.000 fios de cabelo e que o crescimento deles se faça em torno de 10 mm por mês, havendo uma queda normal de 60 a 100 fios por dia. Essadiferença embriológica determina as diferentes respostas dos folículos pilosos nessas regiões. A perda de cabelos, ou alopecia, é uma conseqüência de alterações no folículo piloso. Se as alterações da matriz capilar forem transitórias e não destrutivas, ocorre um novo crescimento. Se as alterações provocarem a destruição da matriz, resultando na formação de escaras ou atrofia, acaba por produzir alopeciapermanente. As alopecias têm várias causas e diferentes apresentações clínicas. O intuito do tratamento da alopecia é aumentar a cobertura do couro cabeludo ou retardar a progressão do rareamento dos cabelos ou ambas.







ALOPECIA
A alopecia, também chamada calvície, é um processo fisiológico que gera a queda ou perda prematura do cabelo sem que se produza uma renovação do mesmo. É maisnotável no couro cabeludo, ainda que possa apresentar-se em qualquer parte do corpo na que cresça cabelo. Na atualidade, a calvície gera até um 25% das consultas dermatológicas e deixou de ser um problema que afeta fundamentalmente aos homens, pois a alopecia feminina aumentou muito nos últimos anos; uma pequena porcentagem de mulheres entre os 20 e 30 anos e um 30% das que se situam entre os 40e os 60 a padecem.
Com a idade, tanto homens como mulheres perdem a densidade do cabelo. Os homens desenvolvem um modelo típico de calvície, associado na presença de testosterona (hormona masculina); no caso das mulheres, o modelo de calvície é mais impreciso. A queda de cabelo na calvície costuma ser gradual e se limita ao cabelo da cabeça.
A calvície de tendência hereditária típica afeta a25% dos homens menores de 30 anos e a outro 50% dos que têm menos de 60. Se estima que de 94 ao 96% de todos os homens brancos pós-púberes apresentam a aparição de entradas, e quase 50% está destinado a perder cabelo na frente e no topo da cabeça se não faz nada para evitar-lo. Em populações negras e asiáticas o grau de calvície é menor.
Devemos considerar que o número de fios de cabelo em umapessoa adulta é ao redor de 100.000 e que cada cabelo tem vários ciclos de crescimento. Há uma 1ª etapa (anágena) que dura de 2 a 6 anos na qual o cabelo cresce entre 1 e 2 cm cada mês; outro período de repouso ou catágeno que dura umas 3 semanas e um último, que se alcança na fase de queda ou telógena que dura de 3 a 4 meses (caindo de forma imperceptível entre 80 e 100 fios de cabelos ao dia).Então, aos 6 meses de haver-se caído, um novo cabelo começa a crescer no mesmo lugar do que caiu, mas no caso de padecer de calvície, existe uma perda de controlo desta mudança. Normalmente, são mais os cabelos que estão em período de crescimento que na queda (quase 85% do cabelo da cabeça está em fase de crescimento pelos 15% restante que não está), sendo normal perder ao redor de cem fios ao dia, tale como mencionamos há pouco.
Existem várias causas que podem produzir a queda do cabelo. Entre estes fatores temos: emocionais (tensão, stress), infecciosos (sobretudo se teve febre alta), má nutrição (incluindo dietas estritas, anemia, etc.), endócrinos (alterações na glândula tireóides), abuso de cosméticos para o cabelo, pós-parto e muitas outras causas menos freqüentes.
Nem sempre a...
tracking img