Dre e fluxo de caixa

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 7 (1664 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 10 de abril de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto


CAVALCANTE

®

Consultores

Como Elaborar um Fluxo de Caixa com Base
em Demonstrações Encerradas
(Parte I)
Procedimentos – um guia prático
Análise dos procedimentos
Método direto e indireto
Caso prático

Francisco Cavalcante (francisco@fcavalcante.com.br)


Sócio-Diretor da Cavalcante & Associados, empresa especializada na elaboração de sistemas
financeiros nas áreas deprojeções financeiras, preços, fluxo de caixa e avaliação de projetos. A
Cavalcante & Associados também elabora projetos de capitalização de empresas, assessora na
obtenção de recursos estáveis , além de compra e venda de participações acionárias.



Administrador de Empresas graduado pela EAESP/FGV.



Desenvolveu mais de 100 projetos de consultoria, principalmente nas áreas deplanejamento
financeiro, formação do preço de venda, avaliação de empresas e consultoria financeira em geral.

UP-TO-DATE® - No 283 - Como Elaborar um Fluxo de Caixa com Base em
Demonstrações Encerradas – Parte I



CAVALCANTE

®

Consultores

ÍNDICE
1.

AS 4 REGRAS BÁSICAS................................................................................ 3

2.

CASOPRÁTICO.............................................................................................. 5

UP-TO-DATE® - No 283 - Como Elaborar um Fluxo de Caixa com Base em
Demonstrações Encerradas – Parte I



CAVALCANTE

®

Consultores

1. As 4 Regras Básicas

Para elaborar um fluxo de caixa com base em demonstrações financeiras encerradas
precisamos apenas de:
Dois balanços patrimoniais e,
Ademonstração de resultado referente ao período entre os 2 balanços patrimoniais.
Exemplo: Se tivermos os balanços patrimoniais encerrados em 30-6-03 e 30-9-03,
precisamos da demonstração de resultado (DRE) no período de 1º de julho a 30 de
setembro de 2003.
Notas explicativas ajudarão a lapidar os valores do fluxo de caixa. Todavia, a essência do
conteúdo não será modificada por elas.
A últimalinha do fluxo de caixa apresentará um superávit ou déficit final.
O superávit ou déficit final será sempre um valor único. O que poderemos mudar é a
forma de apresentação do fluxo de caixa. Porém, o número final nunca.
Para se determinar o valor final do fluxo de caixa, precisaremos obedecer 4 regras
básicas:
1. O fluxo de caixa resulta da DRE ajustada pela variação dos saldos das contas dobalanço patrimonial. Vamos tomar a DRE do 3º trimestre de 2003, e ajustar pela
variação dos saldos entre os balanços de 30-9-03 menos 30-6-03.
2. Cada linha da DRE é ajustada pela variação do saldo das contas que se
relacionam com esta linha da DRE. Exemplo: a linha das receitas é ajustada pela
variação do saldo das contas de Clientes, Duplicatas Descontadas e Adiantamento
de Clientes.
3.Os eventos que demandam ou oferecem caixa são os seguintes:
DEMANDAM CAIXA
Aumento nas contas do ativo
Redução nas contas do passivo

OEFERECEM CAIXA
Redução nas contas do ativo
Aumento nas contas do passivo

4. Regra mais ortodoxa: A variação do saldo das contas do ativo é precedida do sinal
de menos. A variação no saldo das contas do passivo é precedida do sinal de
mais.UP-TO-DATE® - No 283 - Como Elaborar um Fluxo de Caixa com Base em
Demonstrações Encerradas – Parte I



CAVALCANTE

®

Consultores

Dada a extensão deste assunto vamos tratá-lo em 2 partes:
Na primeira parte chegaremos até a elaboração do fluxo de caixa pelo metido direto.
Na segunda parte apresentaremos o sutil, mas relevante ajuste do IR/CSLL. Além
disso, apresentaremos a interpretação dametodologia do fluxo de caixa e o fluxo de
caixa elaborado pelo método direto.

UP-TO-DATE® - No 283 - Como Elaborar um Fluxo de Caixa com Base em
Demonstrações Encerradas – Parte I



CAVALCANTE

®

Consultores

2. Caso Prático

Vamos elaborar o fluxo de caixa com base nas demonstrações contábeis apresentadas a
seguir:
Dois balanços encerrados em 30 de abril e 31 de maio:...
tracking img