Dom casmurro

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 6 (1287 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 18 de julho de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE – UFS
LICENCIATURA EM LETRAS PORTUGUÊS

MACHADO DE ASSIS
Contexto Histórico

Joaquim Maria de Assis mais conhecido como Machado de Assis, nasceu em 1839 e faleceu em 1908. Um dos fundadores e o primeiro presidente da Academia Brasileira de Letras, Machado de Assis foi considerado o maior escritor brasileiro, romancista, contista, poeta, cronista,tradutor, escritor literário e teatral.
Vivendo na época do Império, onde o Rio de Janeiro era bem diferente do que hoje conhecemos, possuía uma população estimada em 300 mil habitantes, sendo metade escravos.
Filho de pintor e de uma lavadeira, Machado de Assis nasceu no morro do Livramento um pouco antes da segunda metade o século, mais precisamente 21 de junho d 1839.Frequentou a Chácara do Livramento, sob a proteção da madrinha, uma senhora muito rica e dona da propriedade.
Aos seis anos Joaquim presenciou a morte da única irmã e quatro anos depois ocorre a mote de sua mãe. Logo após, seu pai casa-se novamente e aos 14 anos Machado de Assis passa a ajudar sua madrasta com a venda de doces para o sustento da casa, tarefa árdua, pois seu pai haviafalecido.
Não se sabe se o menino frequentou regularmente a escola só se sabe que ele já sabia ler, mas ele não mediu esforços para sair daquela vida no morro do Livramento.
O sucesso imediato, fama e riqueza não fizeram parte a grande historia de Machado de Assis, o seu sucesso veio com o amadurecimento, por esse motivo a crítica costuma falar em duas “fases machadianas”.Machado viveu numa sociedade marcada por divisões sociais muito rígidas. Trabalhando como caixeiro de livraria e tipografo profissões que exerceu antes de tornar-se jornalista e cronista, fez com que ele convivesse em meio as coisas elegantes do Rio de Janeiro.
Seu poema “A palmeira” foi publicado no jornal Marmota Fluminense, que através dele passou a ter protetores como Paulo Brito– dono da livraria e do jornal, Manuel Antônio de Almeida já conhecido romancista, e um padre que ensinava latim ao adolescente.
E assim aos poucos o espaço literário da corte tornava-se pouco a pouco conhecido por ele. A vida fluminense, corridas, patinação e pleito eleitoral eram assuntos sobre os quais Machado de Assis escrevia mantendo sempre um estilo sutilmente irônico, onde o fatoem si tem importância menor o que realmente interessava era a reflexão que esse fato provocava.
Machado escreveu para diversos jornais, mas não era possível viver de escrever no Brasil daquela época. Para a sua sobrevivência ele trabalhava em um emprego publico e tudo o que escrevia era vindo de histórias do dia-a-dia.
Em meados do século XIX a sociedade e a economia doBrasil estavam embaralhadas, muita terra para poucos habitantes. Os cafeicultores do sul, os criadores de gado e os donos dos extensos canaviais nordestinos eram quem dominavam as terras, os escravos, o dinheiro e a política.
Nessa época o Brasil era o único país ocidental que ainda admitia o trabalho escravo. Quando Machado de Assis ainda era menino os primeiros passos da luta abolicionistase concretizavam, em 1871 veio a Lei do Ventre Livre e em 1888 a Lei Áurea que libertou todos os escravos.
Levando em conta que a Guerra do Paraguai afundou a Monarquia surgindo sinais da República. Machado de Assis registrou em suas crônicas passagens sobre o abolicionismo, mas não de forma emocional e sim de forma indiferente e reservada.
Ele preferiu analisar, refletir edemolir a ideia de “bondade os brancos” ao libertar os negros. Após a Leia Áurea, Machado de Assis publicou uma crônica sobre o assunto sempre com seu tom irônico colocando-se no lugar de um branco.
A abolição e a Guerra do Paraguai foram fatais para a Monarquia e para Machado a nova ordem política punha e, risco a já precária estabilidade do país.
E se falando de romance...
tracking img