Diversos

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 30 (7383 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 10 de março de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
Bonnie & Damon: Depois do Expediente




Essa é uma pequena doce história com um pouco de violência. Não é um grande distúrbio, mas esteja atento...






Bonnie McCullough laboriosamente digitou em seu laptop, enquanto lia a partir de um Post-it rosa uma nota coberta de uma agradável caligrafia arredondada que incluía pequenos círculos sobre os is: A Consciência de uma Rainha.Era seu relatório de história, que determinaria trinta por cento de sua nota no primeiro semestre de História Europeia. E ela tinha uma boa ideia para isso, realmente uma boa ideia: original, fácil de entender e provocadora de pensamentos. O que, então sua teoria seguiu, poderia vir a ser da Inglaterra se Catarina de Aragão não tivesse sido tão obediente ao marido que a havia rejeitado, etivesse aliado-se a Espanha (de onde ela veio, em primeiro lugar), e então comandado essas forças combinadas ao ingleses que ainda eram fieis a ela para batalhar com o exército de Henrique VIII. Ela foi aconselhada a fazê-lo muitas vezes, e apenas ela recusava a usar armas contra o seu marido. Catarina poderia ter sido capaz de estabelecer sua filhinha, Mary, com sucesso como herdeira, em vez de deixarHenrique ter sua maneira em tudo; e a segunda filha de Henrique, Rainha Elizabeth, nunca teria nascido.
Nada de Rainha Elizabeth! Nada de Sir Walter Raleigh! Nada de Império Britânico – provavelmente nada de América! Nada teria acontecido da maneira que tinha acontecido até os tempos modernos.
Uma feroz enorme pilha de livros de história pairava sobre Bonnie a sua direita. Uma igualformidável pilha se debruçava a sua esquerda. A maioria deles tinha Post-its presos neles, onde ela havia encontrado evidências para ajudá-la em sua teoria.
Havia apenas um problema, Bonnie pensou, sua pequena cabeleira de cachos avermelhados quase desfalecendo sobre a mesa da biblioteca. O relatório era justo para o dia depois de amanhã e tudo que ela havia escrito era o título.
De algumamaneira ela tinha que combinar os fatos destes livros que suportavam evidências que sustentavam sua teoria. Outros fatos estavam esperando por ela fora dali na Web, representados agora pela alegremente acesa tela do computador em sua frente. Mas como, como tornar coerente um artigo deles em apenas dois dias.
Claro, ela poderia pedir por uma extensão. Mas ela poderia bem imaginar a cara do Sr.Tanner se ela o fizesse. Ele a embaraçaria impiedosamente na frente da classe.
Eu posso ficar dois dias sem dormir, Bonnie pensou decisivamente.
Como se desencadeada por seus pensamentos, as luzes da biblioteca ligavam e desligavam e então repetiam o círculo.
Oh, não! Já são dez horas? E ela realmente precisava de cafeína. Bonnie já estava alcançando a bolsa ao seu lado, quando hesitou.Seus pressentimentos, como sempre, eram bons. O Sr. Breyer veio caminhando pelos corredores, olhando para as mesinhas de estudo na esquerda e direita.
“Ora – Bonnie! Você continua aqui?”
“Aparentemente,” Bonnie disse com um riso nervoso. Tudo dependia de sua habilidade de atuação agora.
“Bem, mas, a biblioteca está fechando. Você não viu as luzes?” Bonnie havia ouvido dizer que o Sr.Breyer sempre sussurra dentro da biblioteca, mesmo antes de abrir e depois de fechar. Agora ela podia confirmar que era verdade.
“Sr. Breyer, eu gostaria de lhe pedir um favor,” Bonnie disse, olhando para ele o mais comovente que ela podia através de seus olhos castanhos.
“Que favor?” Agora o Sr. Breyer não estava mais sorrindo.
“Eu gostaria,” Bonnie levantou-se, o que pelo menospermitia que ela visse a face do Sr. Breyer, “de ficar na biblioteca durante a noite.”
Sr. Breyer estava balançando a sua cabeça.
“Eu sinto muito Bonnie. Mas a biblioteca fecha as dez sem exceção. Pensa que você é a única a me pedir isso?” Sr. Breyer se endireitou, e murmurou por um momento, como se contasse. “Porque você é o vigésimo quarto aluno a me fazer esta mesma pergunta”. Ele...
tracking img