Dinheiro sobre o tempo atual

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 6 (1435 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 2 de outubro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Módulo: 2 | Atividade: Individual - Tarefa |
Título: Reflexão sobre o custo do dinheiro no tempo. |
Aluno: xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx |
Disciplina: Matemática Financeira | xxxxxxxxxxxxx |
Introdução Na atualidade, o dinheiro que sempre vem em mente são as antigas notas em papéis e moedas, que hoje vem sendo substituído por inúmeras formas de capitalização e giro financeiro.Hojeestamos 100% a mercê dos sistemas bancários para ter a transformação do nosso dinheiro em determinados juros ao longo do tempo. Juros é a remuneração do capital empregado. Ao realizarmos um investimento, por exemplo, o valor a ser resgatado será superior ao valor investido. Desta forma este trabalho visa uma breve reflexão sobre “o custo do dinheiro no tempo”. Onde de uma forma simples e objetivaestaremos apontando os pontos positivos e negativos dos regimes de capitalização, considerando a rotina dos brasileiros, nossa economia e aplicação quanto a captação de recursos adequados às empresas. |
Justificativa Normalmente, a quantidade de dinheiro guardado sem nenhum tipo de investimento futuro para comprar determinado produto ,diminuiu sem você perceber. Isso porque, dinheiroparado é popularmente conhecido como “dinheiro perdido. Praticamente, todas as movimentações financeiras são baseadas na estipulação prévia de taxas de juros. Juros é a remuneração desse capital empregado. Ao realizarmos um investimento, por exemplo, o valor a ser resgatado será superior ao valor investido. Essa diferença é o juros. Já os regimes de capitalização são ferramentas conhecidas para asobrevivência de todas as empresas, com planejamento e aplicação correta poderá levar a uma decisão acertada e uma gestão administrativa de sucesso.
|
Desenvolvimento Baseando-se na idéia de que o valor do dinheiro muda no tempo, pois , sempre convivemos com alguma inflação temos que ter habilidade para lidar com cálculos para captação e investimento de recursos , e ainda é necessárioentender cada tipo de regime de capitalização e como aplicar em cada situação para atingir o objetivo final, uma operação rentável.
A aplicação de juros ao capital ao longo do tempo pode ser feita pelo regime simples ou composto, esses são os regimes de capitalização.Em nosso país o regime de capitalização simples não é muito utilizado por instituições financeiras, pois com o regime de capitalizaçãocomposta se obtém lucros maiores em empréstimos.José Carlos Abreu nos ensina:“todo capital parado e não investido – que não está sendo remunerado- perde o que poderia estar recebendo sob a forma de juros, o que configura uma medida de custo de oportunidade perdido”.Receber R$ 10 mil hoje vale mais que receber a mesma quantia daqui a um ano. Os juros fazem a diferença. Funcionam como um aluguelpago aos donos do capital. No regime de juros simples, os juros são calculados a cada período, sempre tomando como base de cálculo o capital inicial empregado, não incidindo, portanto, juros sobre os juros acumulados em períodos anteriores, ou seja, não existindo a capitalização dos juros. Apenas o principal é que rende juros.Na prática, o regime de juros simples tem sua utilização no mercado financeiro, restrita a um pequeno número de aplicações, como por exemplo, as operações de desconto de duplicatas, notas promissórias e no cálculo dos juros para as operações com cheques especiais. Para tornarmais claro conceito de juros simples, suponha o seguinte exemplo: Calcular o valor acumulado em uma aplicação de $1000,00 que rende juros simples a uma taxa de 10% ao mês, pelo prazo de 4 meses. Resposta: Juros simples de 10% ao mês, durante 4 meses, produziram a partir de um capital inicial de $ 1.000,...
tracking img