Designer rico lins

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 8 (1948 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 15 de agosto de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Introdução

Designer, diretor de arte, ilustrador e educador, Rico Lins acumula extensa carreira de atividades profissionais e didáticas para instituições e empresas de destaque, tanto no cenário brasileiro como internacional. Rico Lins vê design como um processo amplo e abrangente, que permite trazer um novo olhar e perspectiva sobre as organizações.
Seja fragmentando figuras clássicas ousimplesmente desenhando novas formas com seu traço nervoso, Rico trabalha para gerar ampla visão e subverter conceitos.














3Origem

Desde pequeno, Rico Lins soube que sua direção estava voltada para as comunicações, para a visualidade. O primeiro contato de Rico com o design aconteceu ainda na escola. Ele gostava muito dedesenho, sempre esteve ligado ao visual. Fazia experiências com desenho animado, em oito milímetros, ainda no ginásio. Rico era ligado ao cartaz, à revista, à coisa gráfica, impressa. Uma agência de publicidade e a atração pela imagem e pela organização espacial consolidaram a opção adolescente pela faculdade de Comunicação Visual, na ESDI, no Rio de Janeiro em 1973. Rico Lins ingressou naEscola Superior de Desenho Industrial aos 17 anos, onde estava Aloísio Magalhães, Décio Pognatari, Karl- Heinz Bergmuller e Zuenir Ventura, o que por si só dá conta das posições diversas sobre uma profissão. Vale lembrar que ESDI ficou conhecida como ponto de lança da escola Ulm, a autodominada sucessora da Bahaus. Apesar de sua pouca idade ,quando Rico Lins entendeu que sua profissão era o design ,ele já era muitas outras coisas e queria muito mais: ultrapassar fronteiras da língua, visualidade e da imagem.
Em paralelo com seu curso na ESDI, Rico fez alguns cursos de arte-educação na Escola de Arte do Brasil, de Augusto Rodrigues e começou a dar aulas de desenho. A arte-educação deu experiência a ele a prática do trabalho criativo, no sentido da percepção mais abrangente e transversal deseu potencial de ação. . Em 1979, Rico mudou-se para Paris e começou uma pós-graduação em artes plásticas, na Université de Paris, sem conseguir uma bolsa ele largou o curso pela metade. Permaneceu por lá por seis anos. Começou a trabalhar para jornais e editoras logo que chegou à Paris, com ilustrações e depois com design de exposições. Em 1985 mudou-se para Londres onde ganhou bolsa na escolaRoyal College. Foi lá que Rico encontrou um de seus maiores desafios: ilustração para livros destinados a crianças cegas, ou com problemas de linguagem, percepção e cognição.4
Algum tempo depois Rico foi convidado para trabalhar no Studio Dumbar, na Holanda e ao mesmo tempo, para ser diretor de arte na CBS Record em Nova York. Rico entãooptou por Nova York porque lá oferecia um atrativo do "novo mundo" e abria um leque de oportunidades. Rico teve bons clientes como: a MTV Networks, as gravadoras Polygram e RCA e as revistas como Times, e os jornais The Washington Post e the New York Times. Depois de 16 anos, Rico voltou ao Brasil com o objetivo de fazer a ponte entre os designers e a publicidade, que, de certa forma, era algo...
tracking img