Desempenho na linguagem receptiva e expressiva de crianças com síndrome de down

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 84 (20915 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 1 de agosto de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM DISTÚRBIOS DA COMUNICAÇÃO HUMANA

DESEMPENHO NA LINGUAGEM RECEPTIVA E EXPRESSIVA DE CRIANÇAS COM SÍNDROME DE DOWN

DISSERTAÇÃO DE MESTRADO

Sílvia Regina Silva Brandão

Santa Maria, RS, Brasil 2006

DESEMPENHO NA LINGUAGEM RECEPTIVA E EXPRESSIVA DE CRIANÇAS COM SÍNDROME DE DOWN

por

SílviaRegina Silva Brandão

Dissertação apresentada ao Curso de Mestrado do Programa de Pós-Graduação em Distúrbios da Comunicação Humana, Área de Concentração em Linguagem, da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM, RS), como requisito parcial para obtenção do grau de Mestre em Distúrbios da Comunicação Humana.

Orientador: Profa. Dra. Márcia Keske-Soares

Santa Maria, RS, Brasil 2006 Universidade Federal de Santa Maria Centro de Ciências da Saúde Programa de Pós-Graduação em Distúrbios da Comunicação Humana

A Comissão Examinadora, abaixo assinada, aprova a Dissertação de Mestrado

DESEMPENHO NA LINGUAGEM RECEPTIVA E EXPRESSIVA DE CRIANÇAS COM SÍNDROME DE DOWN

elaborada por
Sílvia Regina Silva Brandão

como requisito parcial para obtenção do grau de
Mestre emDistúrbios da Comunicação Humana

COMISSÃO EXAMINADORA:
________________________________ Drª Márcia Keske-Soares - UFSM (Presidente/Orientador)

________________________________ Drª Jerusa Fumagalli de Salles – UFRGS

_____________________________________ Drª Helena Bolli Mota -UFSM

Santa Maria, 30 de março de 2006.

B817d Brandão, Sílvia Regina Silva Desempenho na Linguagem Receptiva eExpressiva de crianças com Síndrome de Down / por Sílvia Regina Silva Brandão ; orientadora Márcia Keske-Soares. – Santa Maria, 2004. ... p. 151. Dissertação de Mestrado – Universidade Federal de Santa Maria, 2006. 1. Fonoaudiologia 2. Fonoaudiologia – Síndrome de Down 3. Síndrome de Down 4. Linguagem – Síndrome de Down 5. Linguagem receptiva 6. Linguagem expressiva Desenvolvimento. Keske-Soares, Márcia*orientadora II. Título.

Agradeço à professora Márcia Keske-Soares, pela sabedoria de suas orientações, pela amizade e pelo exemplo acadêmico, cuidado na orientação e dedicação à árdua tarefa de ensinar.

Meus agradecimentos, admiração e respeito aos que amam, cuidam e educam as crianças com Síndrome de Down. Agradeço, principalmente às minhas crianças. Sem elas, não teria sido possível arealização dessa pesquisa.

Dedico este trabalho à minha mãe, Eunice Leite Silva, que passou a sua vida trabalhando em benefício dos seus semelhantes e sempre encontrou forças para lutar e estudar.

RESUMO
Dissertação de Mestrado Programa de Pós-Graduação em Distúrbios da Comunicação Humanna Universidade Federal de Santa Maria

DESEMPENHO NA LINGUAGEM RECEPTIVA E EXPRESSIVA DE CRIANÇAS COMSÍNDROME DE DOWN
AUTORA: SILVIA REGINA SILVA BRANDÃO ORIENTADORA: Dra. MÁRCIA KESKE-SOARES Data e Local de Defesa: Santa Maria, 30 de Março de 2006.
Esta pesquisa objetivou verificar o desempenho da linguagem receptiva e expressiva de crianças com Síndrome de Down (SD), falantes do português, considerando idade cronológica, de desenvolvimento e de emergência. Foram avaliadas dez criançaspré-escolares com SD e vinte com desenvolvimento típico. Os grupos foram equiparados pela Idade de Desenvolvimento. Utilizou-se o instrumento de avaliação Perfil Psicoeducacional Revisado (PEP-R) (Leon, 2002), que verifica as idades do desenvolvimento geral e por área, fornecendo informações sobre as habilidades que a criança está pronta para adquirir ou habilidades emergentes. Foram avaliadas as áreas deImitação, Percepção, Motora Fina, Motora Ampla, Viso-Motora, Compreensão e Expressão de Linguagem. Também foram avaliadas quatro dimensões da Escala de Comportamento: relacionamento e afeto; brincar e interesse por materiais; respostas sensoriais e linguagem. Na análise estatística utilizou-se o pacote SPSS, versão 10.0, com comparações entre o grupo de estudo (GE) e o grupo controle (GC), e...
tracking img