Delirium no paciente critico

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 9 (2026 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 3 de setembro de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
aciente criticoRBTI 2006;18:2: 190-195

ARTIGO DE REVISãO

Delirium em Pacientes Críticos*
Delirium in the Critically ill Patient
Renata Fittipaldi Pessoa1, Flávio Eduardo Nácul2

RESUMO JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS: O delirium é um achado freqüente em pacientes críticos. Apesar de estar associado a um aumento da morbidade e mortalidade, ainda é pouco reconhecido pelos intensivistas. Estarevisão teve como objetivo revisar os principais aspectos relacionados ao delirium no paciente critico. CONTEÚDO: Definição, incidência, mortalidade, fatores de risco, fisiopatologia, diagnóstico e tratamento do delirium no paciente crítico. CONCLUSÕES: O delirium é um distúrbio da consciência, cognição e percepção que pode acometer até 80% dos pacientes em ventilação mecânica. Os fatores de riscoincluem doenças sistêmicas agudas, idade avançada, distúrbios cognitivos preexistentes, privação do sono e certas medicações, como os fármacos com atividade anticolinérgica. Embora novas ferramentas estejam disponíveis para o seu rápido diagnóstico em pacientes críticos, os profissionais de saúde ainda não costumam monitorizar esta condição. Nos últimos anos a prevenção e o diagnóstico têm sidopriorizados. O haloperidol continua sendo a medicação de escolha embora exista alguma evidência da eficácia da risperidona. Unitermos: CTI, delirium, pacientes críticos
1. Pesquisadora do Núcleo de Pesquisa Clínica da Clínica São Vicente- Rio de Janeiro, RJ 2. Coordenador do Centro de Terapia Intensiva e do Núcleo de Pesquisa Clínica da Clínica São Vicente, Rio de Janeiro, RJ * Recebido do Núcleo dePesquisa Clínica – Unidade de Terapia Intensiva da Clínica São Vicente, Rio de Janeiro, RJ Apresentado em 29 de dezembro de 2005 Aceito para publicação em 26 de junho de 2006 Endereço para correspondência: Dr. Flávio Eduardo Nácul Rua João Borges, 204 Gávea 22451-100 Rio de Janeiro, RJ E-mail: pesquisa@svgavea.com.br ©Associação de Medicina Intensiva Brasileira, 2006

SUMMARY BACKGROUND ANDOBJECTIVES: Delirium is a frequent finding in the critically ill patient. Although it is associated with increased morbidity and mortality, it is often not recognized by intensive care doctors. This review will address the main issues regarding delirium in critically ill patients. CONTENTS: Definition, incidence, mortality, risk factors, diagnosis, and treatment of delirium in the critically ill.CONCLUSIONS: Delirium is defined as a disturbance of consciousness, attention, cognition and perception that occurs frequently in critically ill patients. It occurs in as many as 80% of mechanically ventilated ICU patients. Risk factors for delirium include acute systemic illnesses, older age, pre-existing cognitive impairment, sleep deprivation, and medications with anticholinergic activity.Although new assessment tools are available for rapidly and accurately measuring delirium in critically ill patients, healthcare professionals still do not regularly monitor for this condition. In recent years, the emphasis in the approach to delirium has shifted to systematic screening and prevention. Haloperidol remains the standard treatment for delirium, but there is some evidence for the efficacy ofrisperidone. Key Words: critically ill patients, delirium, ICU INTRODUçãO O delirium é um distúrbio da consciência, atenção, cognição e percepção caracterizado por início agudo e flutuante da função cognitiva, de forma que a capacidade do paciente receber, processar, armazenar e recordar informações está marcadamente alterada1. Ele ocorre em curto período (horas ou dias), é geralmente reversívele pode ser conseqüência direta de uma condição médica, síndrome de intoxicação ou abstinência, causada por uso de drogas mesmo em concentração terapêutica, exposição a toxinas ou a combinação destes fatores. O delirium possui mais de 25 sinônimos, incluindo encefalopatias aguda e séptica, psicose tóxica, psicose

190

Revista Brasileira de Terapia Intensiva Vol. 18 Nº 2, Abril – Junho, 2006...
tracking img