Crime e violencia na sociedade conteporanea

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 9 (2235 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 8 de outubro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Resenha Critica - Crime e violencia na sociedade brasileira conteporanea

ADORNO, S. . Crime e violência na sociedade brasileira contemporânea. Jornal de
Psicologia-PSI, n. Abril/Junh, p. 7-8, 2002.


Introdução

O presente artigo busca relatar sobre o crime e a violência na sociedade brasileira contemporânea, procurando mostrar como a criminalidade vem crescendo assustadoramente e vematingindo uma parcela da população em especial – a de jovens da classe mais pobre – onde o número de mortes nessa faixa etária é muito grande, principalmente devido ao tráfico de drogas.
Atrelado a essa quadro, estão também relacionados os casos de violação de direitos humanos, crimes cometidos por policiais corruptos, grupos de extermínios, linchamentos e outros. Destaca-se também a morosidade dosistema judiciário que lentamente vem julgando os processos dos criminosos, culminando muitas vezes na liberdade destes delinquentes.

Cabe a Polícia Militar o papel de proporcionar a segurança a população combatendo o crime organizado, como o objetivo de diminuir esse quadro desfavorável de violência que ocorre no País inteiro e, por consequência procurar dar oportunidade aos jovens destasclasses mais pobres que possam crescer longes desses criminosos afim de garantir um futuro que não seja a morte.


Crime e violência na sociedade brasileira contemporânea

A partir da década de 70, vem crescendo assustadoramente no Brasil, o sentimento de medo e insegurança. Esse sentimento não parece infundado. Todas as estatísticas oficiais sobre a criminalidade indicam, que a partir dessadécada, houve um crescimento acelerado de todas as modalidades delituosas. Os crimes que envolvem a prática de violência crescem muito mais rápido, como os homicídios, os roubos, os seqüestros, os estupros. Tal crescimento veio acompanhado de mudanças significativas nos padrões de criminalidade individual bem como no perfil das pessoas envolvidas com a delinqüência.

Muitos estudos realizadossobre as tendências do homicídio constataram que no país: a) o número de homicídios causados por armas de fogo vem crescendo e; b) esse número cresce mais que a população. No Brasil, esse tipo de morte tem como alvo preferencial os adolescentes e jovens adultos masculinos das chamadas classes mais pobres, tendência que vem sendo observada nos estudos sobre mortalidade por causas externas(violentas). Os registros de mortes violentas revelam maior incidência nos bairros que compõem a periferia urbana, onde as condições sociais de vida são acentuadamente degradadas.

As maiores vítimas das violências e homicídios não são os ricos, mas os pobres e excluídos. Os privilegiados economicamente sempre podem contratar seguranças particulares, encerrar-se em condomínios de luxo protegidos outransferir a família para Miami, como vem acontecendo no Brasil, em decorrência da onda de seqüestros. Já os pobres não possuem meios e, em muitas situações, nem sequer podem contar com o poder público para se defender das violências, da polícia, dos traficantes ou de outros tipos de gangues. Comprovando esta realidade, algumas pesquisas revelam o caráter altamente segregado de centros urbanos, como noscasos de São Paulo e Los Angeles, onde os ricos encerram-se em espaços privados, verdadeiros enclaves fortificados para o lazer, trabalho, moradia e outras atividades. E isso ocorre mesmo que o resultado seja mais segregação urbana e violência (Caldeira, 1997).

É provável que parte significativa dessas mortes se dar devido aos conflitos entre quadrilhas, associados ou não ao tráfico de drogas.A esse quadro, conviria agregar graves violações de direitos humanos, entre as quais as mortes praticadas por policiais em confronto com civis, suspeitos de haver cometido crimes, como também aquelas cometidas por justiceiros e grupos de extermínio, e também a intensificação de linchamentos principalmente nas áreas metropolitanas.

As políticas públicas de segurança, justiça e penitenciárias...
tracking img