Crime e castigo - resenha

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 9 (2245 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 31 de março de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
UNIVERSIDADE PAULISTA - UNIP

RESENHA:
CRIME E CASTIGO

Aluna: Camilla Caixeta Gualberto
Curso: Direito 5° Período
Sala: 106 d RA: 224748-8

GOIÂNIA
NOVEMBRO/2008

CRIME E CASTIGO

Fiodor M. Dostoievisk

Em Crime e Castigo, grande clássico russo escrito em 1866, por Fiodor Dostoievski(1821-1881), é demonstrado nitidamente o momento histórico e as características do período (Século XIX). O Momento Histórico e as características do período Realista foram muito semelhantes em quase toda a Europa. A desilusão com o fracasso dos ideais do liberalismo, a miséria das cidades e a crise da produção no campo, as más condições de vida da maioria da população, contrapostas aos privilégiosda burguesia, explicam a substituição do idealismo romântico, desde o fim da primeira metade do século XIX, por uma visão mais objetiva e desiludida da realidade.
A grande surpresa desse período ficou por conta do Realismo Russo. Isso ocorreu porque até esse momento a Rússia não ocupava um lugar de destaque no cenário literário, porém, com o advento do Realismo essa situação foi totalmenteinvertida. Naquele período a Rússia vivia uma das piores crises econômicas de toda a sua história. O atraso econômico e cultural do país e as péssimas condições de vida dos camponeses e operários serviram de estímulo para que os autores Realistas Russos, muito influenciados pelo Realismo do resto da Europa, utilizassem a literatura como forma de crítica e instrumento de denúncia social.Fiodor Dostoievski nasce em Moscou. Por sua ligação com círculos liberais é preso e condenado à morte, só tendo a pena transformada em deportação momentos antes da execução. Passa cinco anos preso na Sibéria e mais cinco como soldado de um batalhão. Anistiado em 1859, passa a morar em São Petersburgo.
É nesse clima e crise existencial que nasce Crime e Castigo, um drama moral e de grandeprofundidade psicológica. O herói criado para o romance é um estudante pequeno-burguês, com a mente cheia de leituras mal digeridas, sentindo-se capaz de realizar grandes coisas, para tornar-se, afinal, um ser útil aos semelhantes. Seu nome é Rodion Raskolnikov, um jovem estudante que enfrenta a pobreza e a loucura na cidade de São Petersburgo, na época (século XIX), capital do império russo.Enfrentando sérias dificuldades para manter os seus estudos tanto quanto como para manter-se estável emocionalmente e conviver com outros indivíduos, Raskolnikov passa os dias trancado em um quarto aluga, refletindo e delirando, sem quase nunca comer, deixando de pagar os aluguéis e acumulando dívidas sobre divídicas com uma velha usurária, viúva de um funcionário de Estado que recebe uma volumosa pensão emaltrata a irmã insistentemente.
Raskolnikov (sobrenome criado por Dostoyéwsky a partir da palavra russa "cindido", "dividido") é fortemente abalado por uma carta da sua mãe, que o informa de que a sua irmã casará com um homem muito rico, e que as duas estão passando por dificuldades financeiras muito sérias, além de dificuldades emocionais e sociais por causa da esposa de um homem que seapaixonou pela sua irmã.
Raskolnikov desconfia que a sua irmã se casará com um homem que não ama, pelo qual sente até repulsa, para lhe ajudar nos estudos e aliviar a situação de todos os membros da família. Então o estudante arquiteta um plano: matar a velha usurária e roubar o seu dinheiro, com o qual poderia saír daquela horrível situação e ainda fazer obras filantrópicas e de caridade.Raskonikov fica indeciso, se envolvendo em vários acontecimentos e refletindo sobre a sua situação e sobre a condição humana em geral, até que se decide por levar a cabo o seu plano. Ele se arma de um machado, e, fingindo que penhorava um objeto para fazer um empréstimo, mata a velha; infelizmente, a irmã dela entra na casa dela minutos depois e Raskolnikov mata-a para poder fugir com o...
tracking img