Cpc 09

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 22 (5342 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 29 de março de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS
PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 09
Demonstração do Valor Adicionado - DVA

PRONUNCIAMENTO
Conteúdo

Item

OBJETIVO E ALCANCE

1-2

ALCANCE E APRESENTAÇÃO

3–8

DEFINIÇÕES

9

CARACTERÍSTICAS DAS INFORMAÇÕES DA DVA
FORMAÇÃO DA RIQUEZA

10 – 14

DISTRIBUIÇÃO DA RIQUEZA

15

CASOS ESPECIAIS – ALGUNS EXEMPLOS

16 - 27

ATIVIDADE DEINTERMEDIAÇÃO FINANCEIRA (BANCÁRIA)
FORMAÇÃO DA RIQUEZA
DISTRIBUIÇÃO DA RIQUEZA
ATIVIDADES DE SEGUROS E PREVIDÊNCIA
FORMAÇÃO DA RIQUEZA
DISTRIBUIÇÃO DA RIQUEZA

28 – 29
30
31 – 32
33

MODELOS

Audência_Pública_09_2008

Objetivo
1. O objetivo deste Pronunciamento Técnico é estabelecer critérios para elaboração e
divulgação da Demonstração do Valor Adicionado (DVA), a qual representaum dos
elementos componentes do Balanço Social e tem por finalidade evidenciar a riqueza
criada pela entidade e sua distribuição, durante determinado período.
2. Sua elaboração deve levar em conta o Pronunciamento Conceitual Básico deste CPC
Estrutura Conceitual Básica para a Elaboração e Apresentação das Demonstrações
Contábeis, e seus dados, em sua grande maioria, são obtidos principalmentea partir
da Demonstração do Resultado do Exercício.

Alcance e Apresentação
3. A entidade deve elaborar a Demonstração do Valor Adicionado (DVA) e apresentála como parte integrante das suas demonstrações contábeis divulgadas ao final de
cada período.
4. A elaboração da DVA consolidada deve basear-se nas demonstrações consolidadas e
evidenciar a participação dos sócios não controladoresconforme o modelo anexo.
5. A DVA deve proporcionar aos usuários das demonstrações contábeis informações
relativas à riqueza criada pela empresa em determinado período e a forma como tais
riquezas foram distribuídas.
6. A distribuição da riqueza criada deve ser detalhada, minimamente, da seguinte
forma:
(a) pessoal e encargos;
(b) impostos, taxas e contribuições;
(c) juros e aluguéis;
(d)juros sobre o capital próprio (JSCP) e dividendos;
(e) lucros retidos/prejuízos do exercício.

7. O modelo utilizado para as entidades prestadoras de serviços comerciais e industriais
2

Audência_Pública_09_2008

é exatamente o mesmo. Outros modelos para atividades específicas, tais como a
atividade de intermediação financeira (instituições bancárias), seguradoras e
entidades deprevidência, também estão incluídos neste Pronunciamento.
8. Os itens mínimos componentes do modelo para as entidades prestadoras de serviços
comerciais e industriais estão apresentados na seqüência, e o modelo propriamente
dito está ao final deste Pronunciamento.

Definições
9. Os seguintes termos são utilizados neste Pronunciamento com os significados abaixo
especificados:
Valor adicionadorepresenta a riqueza produzida pela empresa, de forma geral
medida pela diferença entre o valor das vendas e os insumos adquiridos de
terceiros. Mas inclui também o valor adicionado recebido em transferência, ou seja,
produzido por terceiros e transferido à entidade.
Receitas de vendas de mercadorias, produtos e serviços representam os valores
reconhecidos na contabilidade a esse título pelo regimede competência e incluídos
na demonstração do resultado do exercício.
Outras receitas representam os valores que sejam oriundos, principalmente, de
baixas por alienação de ativos não-correntes, tais como resultados na venda de
imobilizado, de investimentos etc. e outras incluídas no resultado que não sejam
reconhecimento de transferência à entidade de riqueza criada por outras entidades.Diferentemente dos critérios contábeis, também incluem valores que não passam
pela demonstração do resultado do exercício, como, por exemplo, aqueles relativos
à construção de ativos para uso próprio da entidade (conforme item 19) e aos juros
pagos ou creditados que tenham sido incorporados aos valores dos ativos de longo
prazo (normalmente, imobilizados). No caso dos estoques de longa...
tracking img