Conclusao

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 3 (655 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 11 de abril de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Apesar de alguns avanços, o mundo está perdendo a guerra contra a AIDS (Síndrome da Imunodeficiência Adquirida). E as regiões mais pobres do planeta são as mais afetadas. Essa foi a constatação de umestudo elaborado pelo UNAIDS (Programa das Nações Unidas para o Combate à AIDS). Os resultados da pesquisa mostram que a epidemia pode estar, vagarosamente, diminuindo no mundo, mas as taxas deinfecção ainda são crescentes.
Em 25 anos, 25 milhões de pessoas morreram em decorrência da doença e, atualmente, cerca de 38 milhões de pessoas vivem com o vírus, embora muitos nem saibam. Só em 2005, 2,8milhões de pessoas morreram vítimas da doença e outras 4,1 milhões foram infectadas. Na América Latina, mais de 1,6 milhão de pessoas vivem com o HIV e novas infecções atingiram 140 mil pessoas em2005. Segundo o estudo da UNAIDS, 59 mil pessoas morreram na região em conseqüência da epidemia no ano passado e outras 294 mil, ou cerca de 73%, receberam tratamento anti-retroviral.
Na opinião deespecialistas, estes números, além de diversos outros fatores, podem estar associados a uma ação contra-producente da mídia e dos próprios governos em não apostar em informação e educação preventiva emrelação à doença. Para eles, se compararmos com as décadas de 80 e 90, em que, respectivamente, a AIDS acabara de ser descoberta e atingia seu ápice, o número de campanhas para o uso de preservativos ecuidados com a doença caiu muito.

Países como México e Cuba vêm se destacando na luta contra a AIDS. Para se ter uma idéia, é de apenas 0,3% a taxa de infecção entre a população mexicana. Ailha, por sua vez, se destaca mundialmente com o sucesso da medicina preventiva, resultados que se estendem para os programas de redução da transmissão da doença de mãe para filho, além da menor taxa daincidência da doença no Caribe.
Apesar de ainda ser o continente mais atingido pela AIDS - cerca de 2/3 da população africana é portadora do HIV - países como Quênia, Zimbábue e Burkina Faso têm...
tracking img