Conceitos de karl marx, max weber e emile durkhein

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 6 (1285 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 16 de maio de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
INTRODUÇÃO

Émile Durkheim (1858-1917) é considerado por muitos o criador da sociologia como ciência, defendendo a tese “Da Divisão Social do Trabalho”. Em 1985 publicou “As regras do método sociológico” e depois “O suicídio”.
Carl Marx (1818-1885) foi um filósofo, físico, economista e historiador, fundou a doutrina comunista moderna. O capitalismo para Marx é um modode produção antagônico de desenvolvimento histórico.
Max Weber (1864-1920) foi um intelectual alemão, jurista e economista. Pra ele o trabalho é uma vocação divina, a finalidade da vida. Sua grande obra é “A ética protestante e o espírito do capitalismo” onde falava da religião e a contribuição da ética protestante na promoção do capitalismo.
Ambos contribuíram muitopara o entendimento da sociedade onde viveram e para a construção teórica da sociologia. Elaboraram teorias que com o passar do tempo permanecem atuais. São os clássicos do Socialismo.










conceitos de karl marx, max weber e émile durkheim sobre o trabalho

Karl Marx era Idealizador de uma sociedade com uma distribuição de renda justa e equilibrada, nasceu em 5 demaio de 1818, cursou Filosofia, Direito e História nas Universidades de Bonn e Berlim. Pra ele, o capitalismo era o principal responsável pela desorientação do homem. Defendia a ideia deque a classe trabalhadora deveria unir-se para derrubar os capitalistas e acabar de vez com os abusos deste sistema, que segundo ele, era o maior responsável pelas crises que se viam cada vez mais intensificadaspelas grandes diferenças sociais.
Marx criticava o meio de produção capitalista mencionando as injustiças sofridas pelos trabalhadores.
O capitalismo trouxe progresso e riqueza somente para os proprietários das indústrias, pois a classe dos trabalhadores que fabricavam os produtos recebia salários miseráveis por longas jornadas de trabalho.
A modernizaçãovivida pela sociedade mostra que o capitalismo e o trabalho excessivo dominaram sua vida, ficando as pessoas com tempo de apenas recuperar suas forças.
Para Marx a liberdade era fundamental para o trabalho. Ele afirmava que trabalhar era uma atividade coletiva, mas servia para o homem realizar-se a si mesmo. E que o trabalho alienado traz a miséria, tornando o trabalhador umamercadoria deplorável, fazendo sua miséria e sua força de produção aumentar. (Marx, 1844).
A divisão do trabalho multiplicou as linhas de montagem intensificando a alienação. Antes o trabalhador sabia todas as etapas da produção, com a divisão ele ficou “engessado” à uma atividade, deixando de conhecer as outras. Perdeu sua liberdade, tornando-se alienado e dominado. O trabalho passou a seralgo mecânico, repetitivo, etc.
O lucro como objetivo fez a mercadoria valer mais que seu produto. As pessoas perdem seu valor sentimental e emocional, tornando-se “coisas”.
Elas são exploradas para o lucro ser atingido.
De uma forma geral, Marx opõe-se ao capitalismo enfatizando todos os seus problemas, como a retirada da humanidade do homem, a exploração,a alienação e a manipulação do conhecimento e do poder.
Max weber explicava o capitalismo através de fatores externos à economia. Pra ele, o capitalismo surge de uma herança no modo de pensar as relações sociais ligado ao protestantismo de Martinho Lutero.
A principal ideia neste modo de pensar é a valorização do trabalho, da prática de uma profissão buscando asalvação individual. A formação de riquezas através do trabalho e da poupança seria um sinal de que o indivíduo pertenceria aos “predestinados”.
Essa valorização do trabalho vem de encontro com a mais-valia, onde o assalariado vende sua força de trabalho para sobreviver, e o capitalista lhe compra a força de trabalho para enriquecer.
Em um dia, de uma semana ou um mês de...
tracking img