Como planejar a cozinha do seu restaurante

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 8 (1771 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 5 de junho de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
Como planejar a cozinha do seu Restaurante
Technorati Marcas: planejar,projeto,cozinha,planejamento
Solução e prevenção na hora de planejar a linha mestra de sua cozinha
Por: Carolina Vilela
A poeira causada pelas reformas e construções pode se tornar algo menos aborrecedor quando os empresários se propõem a contratar empresas ou profissionais especializados. Para quem conhece apenas acozinha de uma casa, se surpreende ao visitar a “indústria de refeições” que existe dentro de hotéis, restaurantes, empresas, entre outros. Tijolo por tijolo, azulejo por azulejo, cada detalhe tem sua especificação e importância.
E para montar um ambiente tão característico como uma cozinha, encontrar arquitetos e engenheiros direcionados para esse setor não é uma das tarefas mais simples. Porém, dospoucos, pode se ver anos de experiência e projetos grandiosos. No mercado há algumas empresas responsáveis apenas em planejar cozinhas ou arquitetos e engenheiros que trabalham como autônomos para vários estabelecimentos e projetos.
O ideal seria que o cliente, quando se propõe a contratar esse serviço, não decida fazer nada de última hora. Segundo o diretor e engenheiro da Nucleora CozinhasProfissionais, Dimas Rodrigues de Oliveira, um bom projeto se faz mais ou menos em dois meses, porém, melhor seria levar esse tempo apenas discutindo. “Muitas vezes, pela afobação do cliente, algumas necessidades não são inseridas, o que acarreta transtornos mais tarde”, diz.
O tempo utilizado para a finalização de tudo, vai depender exclusivamente do dinheiro que cada cliente pode disponibilizarnaquele momento. No caso das reformas, onde as cozinhas normalmente estão desatualizadas, os projetos são os mais desafiadores, todas as modificações têm que acontecer com o cliente funcionando. “Parar significa prejuízo”, comenta Dimas. Segundo o arquiteto, Eduardo Vianna, tudo tem solução, para aqueles que desejam mais velocidade, até o aluguel de um container para servir como cozinha improvisada,pode ser uma opção. “Nos autódromos, eles são muito utilizados”, ressalta.
De acordo com Eduardo, quando se trata de uma reforma, ele visita a operação e acompanha todo o fluxo que acontece dentro do estabelecimento, principalmente, nos horários de pico. Certa vez foi chamado pelo dono de uma pizzaria que tinha problemas quanto à espaço. O arquiteto observou, através de um desenho na planta dolugar, que os caminhos que faziam os funcionários, a comida, os clientes e o lixo, chegavam em um ponto que todos se cruzavam, fazendo com que tudo se transformasse em um grande nó. Muitas pessoas que chegavam até a porta com a intenção de comer uma pizza iam embora por conta da bagunça. “Imagina o dono, ele não consegue enxergar isso, pois está dentro do problema. Ele não tem uma visão gráfica esetorial”, explica.
Equipamentos
O profissional, além de tudo tem que ter bons argumentos na hora de convencer o cliente. Nem sempre o equipamento mais barato é o melhor, apesar de parecerem iguais. “Quando se é leigo você pensa que é a mesma coisa, além disso, o mercado vende essa idéia. As vezes nós temos que utilizar equipamentos que são importados, porque os nacionais não conseguem ter osmesmos benefícios”, comenta Dimas. Segundo o engenheiro, há muito problema com o que ele chama de certa “pirataria”, uma cópia mal feita, onde o conteúdo não é igual e tem muitas pessoas sendo enganadas por isso.
O arquiteto Eduardo, também tem a mesma opinião. Para ele, alguns equipamentos específicos não são bons mesmo. O grill, por exemplo, que imita o estilo americano de comer, não se encontra dequalidade no mercado nacional. Outra parte problemática, segundo ele, é o sistema coock chill, uma nova forma de tecnologia implantada nas cozinhas, que regenera os alimentos, cozinha e depois congela. “É a tendência hoje. O princípio é diminuir a mão-de-obra”, explica. O cook chill, transforma todos os processos industriais em uma central e só leva para as outras empresas ou ponto, a parte de...
tracking img