Cinema e romance policial como cultura de massa:

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 12 (2976 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 18 de setembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Cinema e romance policial como cultura de massa:

Keyla Freires da Silva¹



OBJETIVOS

Temos como um dos objetivos, ao desenvolver este artigo, fazer uma análise comparativa entre a literatura (mais precisamente o romance policial) e o cinema como cultura de massa. Entender o significado do termo cultura de massa, relacionando-o ao romance policial e ao cinema, problematizando asreflexões de alguns teóricos do assunto. A ponte entre literatura policial e cinema faz-se pela semelhança estrutural, dentre outros fatores, de ambas as narrativas, caracterizadas por serem compostas de princípio, meio e fim, (valendo-se também do “cinema noir”, cujas temáticas são as mesmas do romance policial), tomando por foco os filmes mais difundidos e apreciados. Figura-se ainda como meta de nossotrabalho verificar quais rumos estão tomando essas produções no contexto cultural contemporâneo; o romance policial de hoje traz as mesmas características dos clássicos do gênero? Isso se aplica também ao cinema? Quais as vertentes do cinema hoje?



METODOLOGIA E FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA

Primeiramente, faz-se necessário uma reflexão sobre o que realmente vem a ser cultura de massa, entendercomo surgiu essa classificação, suas especificações e o que diz a crítica sobre o gênero. Há vários textos, alguns não tão recentes, sobre o tema que tecem reflexões que vão da produção ao consumo de itens culturais, como literatura, cinema, revista em quadrinhos, telenovela, fotonovela, dentre outros. Duas obras que compilam textos de vários teóricos são de grande importância para este trabalho. Aprimeira, Teoria da cultura de massa, organizada por Luiz Costa Lima, que reúne textos de autores como Walter Benjamin, Walter Adorno, Roland Barthes , servirá como base para a primeira reflexão proposta. Já Literatura em tempos de cultura de massa, livro organizado por Ligia Averbuck, traz textos que relacionam diretamente a literatura com a cultura de massa, como bem sugere o título. Brevehistórico do romance policial assim como do cinema também será necessário para fazer essa relação

LIMA, Luiz Costa (Org.). Teoria da cultura de massa. 4ª edição. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1990.

Estilo e meio no filme: Erwin Panofsky.

Arte comercial x Arte comercial. (p. 338)

“...o cinema é o que a maioria das outras artes deixaram de ser, não um enfeite e sim uma necessidade.”AVERBUCK, Ligia. (Org.). Literatura em tempo de cultura de massa. São Paulo: Nobel, 1984.

(p. 03). “Todas essas transformações dos processos de comunicação foram acompanhadas, evidentemente, de choque sobre choque de mudanças sociais: a eficácia de novas formas não impediu que múltiplas e graves consequências de caráter social viessem a ocorrer”.

“Para E. Morim, a ambiguidade da cultura demassa consiste no fato dela oscilar entre a cultura ilustrada da qual ela é uma variante vulgarizada e a cultura no sentido sociológico , mantendo esta, ao mesmo tempo , com aquela, um traço comum: o de sua relação estético-espectatorial”

- a literatura se distribuiu em formas diversas da cultura de massa. (p.4)

- a literatura é um grande foco irradiador, que fornece matéria para o roteirocinematográfico, enredo da telenovela ou texto da fotonovela.

- hibridismo de formas

“Hoje não se escreve um romance como antes da era do cinema; é o que mostra toda a literatura circulante, e não apenas o Best-seller, o romance policial ou outras formas de literatura de massa (...)” p.4

- (Marlyse Meyer e Vera Santos): o folhetim (muito popular no séc. XIX) renasce na nossa era como “fênixrenascida” em forma de cinema. **** Pensar sobre****

(questionar o cinema como cultura de massa, citando como exemplo os chamados “filmes de arte”, como Vidas secas e outros.)

- Anamaria Fadul: “hoje, o universo da literatura não se limita à página impressa do livro, mas está em toda parte, na crônica do jornal, no script do cinema, do rádio, da televisão.” (Será mesmo?)



BORGES,...
tracking img