Cidadania

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 5 (1245 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 29 de janeiro de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
POLÍTICA E RELIGIÃO


Juliano Maciel
Instituto Teológico Quadrangular – ITQ
Cidadania
Curso Livre de Teologia - 1ª A, Noite
22/01/12

RESUMO

Tenho por meta desta pequena síntese, demonstrar, as consequências boas ou más da união de credos religiosos e o poder de governo definido pela “arte de administrar”, quero com essa pesquisa esclarecer que Jesus não veio fundar estado e sim umcredo de salvação, Jesus não veio oferecer poder e sim a união de povos; Baseio a pesquisa na ascensão e estagnação do império romano e a igreja católica que ofereceu ao mundo servidão ao invés de servir.

Palavras-Chave: Igreja; Autoridade; Poder.



1. INTODUÇÃO

Logo após a morte de Cristo, deu-se então o inicio do por assim dizer Cristianismo, introduzidos pelos apóstolos e discípulosnão somente pelas suas pregações e ensinos, mas muito além estavam os seus testemunhos que deu origem do nome cristão.

“E sucedeu que todo um ano se reuniram naquela igreja e ensinaram muita gente.Em Antioquia, foram os discípulos, pela primeira vez, chamados cristãos”.1

Rapidamente se propagou a nova “seita” e os ensinos de Cristo, os evangelistas mesmo sem poder aquisitivo ou deautoridade político governamental difundiram os ensinos com a autoridade e fé em Deus; Jesus declara: “O meu reino não é deste mundo”, com esse pensamento tenho a convicção de afirmar que se Cristo viera estabelecer junção entre religião e estado deveria ele com toda a sua retórica e sabedoria se tornar um fariseu que obtinha duplos cargos, sacerdotais e rabínico.
È laico a junção de ‘poder’ com religiãoe a história pode esclarecer os fatos por si mesmo.


2.CRISTIANISMO.

Com a morte de Jesus os discípulos passados pela experiência do pentecoste, deram prosseguimento da propagação das boas novas.No inicio de sua missão eram munidos “apenas” do poder do Espírito e a autoridade que Cristo havia lhes dado.1
Homens indoutos sem muita instrução a não ser a fé que tinha em Jesus e no amor e zelo pela palavra do Senhor. 313 anos escondidos e firmes mesmo em meio à opressão dada pelos religiosos contemporâneos os Fariseus, saduceus e o poder que era totalmente exercido por Roma com seus credos pagãos, as dificuldades eram muitas, asperseguições já fazia parte do cotidiano destes Cristãos, mas, contrariando tudo homens como Pedro, João, barnabé e não mais nem menos importante Paulo que antes perseguira os mesmos prosseguia com a difusão do evangelho sem poder aquisitivo ou autoridade governamental, homens de valor que não temiam ao poder e sim a Deus.“ Respondendo, porém Pedro e João, lhe disseram: julgai vós se é justo, diante de Deus, ouvir-nos a vós do que a Deus; porque não podemos deixar de falar do que temos visto e ouvido”.23. UNIÃO.

Foram 313 anos após Cristo com duras perseguições que o evangelho fora reprimido mas os Cristãos divulgavam a nova ligação com Deus, em meio a açoites, prisões e morte por boa parte dos que pregavam ou se aliavam a nova “fé”.

Então enfim o evangelho ganhamuito mais que liberdade de expressão ganha o poder do império Romano, o então convertido imperador Constantino dava uma poderosa vitória sobre o paganismo, tendo em vista que quanto mais se perseguisse esses homens de fé eles se mantinham. O imperador Constantino após uma visão que teve de “Deus” antes da conquista de umas de suas batalhas, esta contra o seu rival ao poder do império Magêncio...
tracking img