Cidadania no brasil

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 13 (3206 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 20 de abril de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Surgimento
Iluminismo, Esclarecimento ou Ilustração designam uma época da história intelectual ocidental. Foi um movimento intelectual iniciado na Inglaterra no século XVII e difundido na Europa, principalmente na França, onde atingiu o apogeu no século XVIII.
O século XVIII traz de forma avassaladora essa corrente filosófica, é a época que consagra os direitos civis, isto é: aliberdade, a privacidade, a propriedade e sobretudo a face da igualdade que impede toda sorte de discriminação. É o momento da defesa do ir e vir e da igualdade de oportunidades. A sociedade moderna seria aquela em que se acreditava que as luzes da razão viriam se acender em cada indivíduo, a fim de que pudesse usufruir da igualdade de oportunidades e colher os frutos do mérito alcançado. Para ospensadores desse momento histórico, leis racionais devem ser desenvolvidas tanto para poder realizar o interesse de todos quanto para evitar que o indivíduo se submeta ao universo passional.
Como essas luzes não se desenvolvem por si mesmas, a instrução deve abrir caminho para tal. E como nem sempre o indivíduo pode sistematizar esse impulso, como nem sempre ele é, desde logo, conscientedesse valor, cabe a quem representa o interesse de todos, sem representar o interesse específico de ninguém, dar o arranque inicial a esse processo. Tal representante é o Estado.
Essa tarefa do Estado ganhou especial realidade na França, após a Revolução Francesa (1789). A escola tornou-se, então, não só a grande construtora da nação francesa como também a instituição que garantiria umacerta homogeneidade entre os cidadãos e, daí, pelo mérito, a diferenciação de cada qual.
No Antigo Regime, a sociedade era dividida da seguinte forma: Em primeiro lugar vinha o clero, em segundo a nobreza, em terceiro a burguesia e os trabalhadores da cidade e do campo. Com o fim deste poder, os burgueses tiveram liberdade comercial para ampliar significativamente seus negócios, uma vezque, com o fim do absolutismo, foram tirados não só os privilégios de poucos (clero e nobreza), como também, as práticas mercantilistas que impediam a expansão comercial para a classe burguesa. 
Os burgueses foram os principais interessados nesta filosofia, pois, apesar do dinheiro que possuíam, eles não tinham poder em questões políticas devido a sua forma participação limitada. Naqueleperíodo, o Antigo Regime ainda vigorava na França, e, nesta forma de governo, o rei detinha todos os poderes. Uma outra forma de impedimento aos burgueses eram as práticas mercantilistas, onde, o governo interferia ainda nas questões econômicas. 
Ao criticar o Antigo Regime, a burguesia foi desenvolvendo sua própria ideologia, baseando-se no seguinte argumento:
I. o Estado só éverdadeiramente poderoso se for rico;
II. para enriquecer, ele precisa expandir as atividades capitalistas;
III. para expandir as atividades capitalistas é preciso dar liberdade e poder à burguesia.
Para os filósofos iluministas, o homem era naturalmente bom, porém, era corrompido pela sociedade com o passar do tempo. Eles acreditavam que se todos fizessemparte de uma sociedade justa, com direitos iguais a todos, a felicidade comum seria alcançada. Por esta razão, eles eram contra as imposições de caráter religioso, contra as práticas mercantilistas, contrários ao absolutismo do rei, além dos privilégios dados a nobreza e ao clero.
Assim, o Iluminismo defendia:
a) Igualdade: no comércio, isto é, no ato de compra e venda, todas aseventuais desigualdades sociais entre compradores e vendedores não tinham importância. Na compra e venda, o que importava era a igualdade jurídica dos participantes do ato comercial. Por isso, os iluministas defendiam que todos deveriam ser iguais perante a lei. Ninguém teria, então, privilégios de nascença, como os da nobreza. Entretanto, a igualdade jurídica não significava igualdade econômica....
tracking img