Checklist ambiental sobre os impactos ocorridos na lagoa do araçá, rio paripe e forte orange (itamaracá).

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 8 (1785 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 25 de junho de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO - UFPE
CENTRO DE FILOSOFIA E CIÊNCIAS HUMANAS – CFCH
DEPARTAMENTO DE CIENCIAS GEOGRAFICAS
PROGRAMA DE PÓS – GRADUAÇÃO EM DESENVOLVIMENTO E MEIO AMBIENTE - PRODEMA - UFPE


PROJETO DE PESQUISA

Checklist ambiental sobre os impactos ocorridos na Lagoa do Araçá, Rio Paripe e Forte Orange (Itamaracá).Candidata:


Jânea Cristina


Lopes de Souza.








Recife
2010


SUMÁRIO




1. INTRODUÇÃO


2. PROBLEMÁTICA


3. OBJETIVOS

3.1 Geral


3.2 Especifico


4. METODOLOGIA


5 CRONOGRAMA


6 REFERENCIAS


















1 INTRODUÇÃO


O manguezal do estuário do Rio Paripe localiza-se na Ilha de Itamaracá,Pernambuco, Brasil (7( 48’ S e 34( 51’ W), ao Norte da cidade do Recife Esta área estuarina integra um conjunto de rios situados na área do Canal de Santa Cruz, que separa a ilha de Itamaracá do continente, (FARRAPEIRA- ASSUNÇÃO, 1990; COELHO & COELHO-SANTOS, op. cit.), formado por um pequeno curso d´agua, originado na ilha de Itamaracá, que se deságua no canal de Santa Cruz, próximo à Barra Sul .Possui 4 km de extensão e seu estuário apresentando cerca de 1,6 km de comprimento, com largura máxima de 0,5 km (FARRAPEIRA-ASSUNÇÃO, 1990) e seu manguezal abrangendo uma área de 45ha. Segundo Coelho & Torres (1982), esta área caracteriza-se como um dos ambientes mais bem preservados do estado de Pernambuco.

De acordo com Barros et al. (2000), o Complexo Estuarino de Itamaracá pode serconsiderado como um dos sistemas mais importantes do litoral do Estado de Pernambuco, representando uma unidade ecológica de grande significado sócio-econômico, em virtude de sua produtividade natural e biodiversidade. O acúmulo de conhecimento sobre sua estrutura e dinâmica faz da área um ecossistema de referência para processos de monitoramento e gestão aplicáveis a outras áreas do litoralnordestino. No estuário do Rio Paripe a ação antrópica ainda é considerada mínima, visto que inexistem praticamente essas ações; em suas margens, ocupadas por manguezal e estruturas de uma ponte em ruínas, não há quase habitações, não se encontram empreendimentos industrial ou imobiliário e as atividades humanas se restringem ao extrativismo de ostras, siris e peixes e, raramente, de varas de mangue, parauso na comunidade pesqueira de Vila Velha (FARRAPEIRA-ASSUNÇÃO, 1991; MOURA & COELHO, 2004).

Já a Lagoa do Araçá por ser um ambiente estuarino, com um espelho d’água de 14,5 ha, recebe influência marinha através do estuário do Rio Tejipió por meio de um canal e é constituído de uma única espécie de mangue, Laguncularia racemosa, que se distribui no sedimento areno-lamoso numa área quevaria na extensão, de 6,4 a 10,5m.  
2. PROBLEMÁTICA

Os manguezais são ecossistemas que se caracterizam por altas taxas de produtividade primária, originada dos fortes fluxos externos de materiais e energia a que estão sujeitos; o manguezal utiliza a energia e materiais de um dado ambiente para convertê-los em uma diversidade de produtos e serviços, muitos dos quaistêm valor econômico imediato (CINTRÓN, 1987; SCHAEFFER – NOVELLI, 1989). As áreas estuarinas e costeiras estão em permanente contato e trocam continuamente materiais e, através dessas trocas, a riqueza das águas estuarinas poderia ser exportada para as águas costeiras, hipótese que é sustentada por vários autores, entre eles McLusky (1981), que considera os estuários como os fertilizadores dosoceanos e mares. Devido à grande disponibilidade alimentar, o ambiente estuarino é considerado de grande fertilidade natural, uma das áreas mais ricas do mundo, uma vez que, pela natureza de seus componentes, são encontrados representantes de todos os elos da cadeia alimentar (ODUM, 1971; SANTOS & COELHO 2000).

Muitos trabalhos citam diversas funções e serviços prestados gratuitamente pelos...
tracking img