Cardiopartia

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 18 (4467 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 28 de novembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
TRATAMENTO DE PACIENTES CARDIOPATAS NA CLÍNICA ODONTOLÓGICA

Maysa Nogueira Ferreira de Barros
Discente do curso de Odontologia na Universidade Federal de Sergipe – UFS. E-mail: maysinha_odonto@yahoo.com.br

Cristiano Gaujac
Doutorando em Implantes Dentários no programa de pós-graduação em odontologia da Universidade Estadual Paulista UNESP - Araçatuba.

RESUMO: As cardiopatias são umadas doenças mais frequentes no mundo. Por esse motivo, o cirurgião-dentista provavelmente receberá vários cardiopatas em seu consultório e deve estar apto para atendê-los. Dentre os vários tipos, a cardiopatia isquêmica, as arritmias e endocardites bacterianas são as que apresentam maior grau de comprometimento cardiovascular. Este estudo tem como objetivo mostrar a importância do conhecimentoprévio das principais cardiopatias, suas características, escolha adequada dos anestésicos locais, entre outros fatores que preparam o cirurgião dentista para o atendimento seguro do paciente cardiopata. PALAVRAS-CHAVE: Anestésicos Locais; Cardiopatias; Odontologia; Cardiologia.

Cleverson Trento
Doutor em Estomatologia pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho – UNESP; DocenteAdjunto do curso de Odontologia da Universidade Federal de Sergipe - UFS. E-mail: lucianokeko@hotmail.com

PATIENTS WITH HEART DISEASES IN DENTAL CLINIC
ABSTRACT: Heart conditions are one of the most predominant diseases worldwide. Since surgeon dentists are likely to attend these patients in their clinics, they should be able to cope with eventualities. Among the most deleterious types, ischemicheart disease, arrhythmia and bacterial endocarditis present the most harmful cardiovascular risks. Current research shows the importance of previous knowledge on main heart diseases, their characteristics, the right choice in anesthetic and other factors that provide the dentist with the required tools for the safe attendance of heart condition patients. KEYWORDS: Cardiology; Heart Diseases;Dentistry; Disease. INTRODUÇÃO Nos dias de hoje, aumentou consideravelmente o número de pessoas portadoras de doenças sistêmicas que procuram tratamento odontológico. No Brasil, na década de 90, a taxa de mortalidade de pacientes cardiopatas foi de 30%, enquanto que atualmente este valor cresceu para 34% (EPSTEIN.; CHONG; LE, 2000). Esse quadro tem estimulado o cirurgião-dentista a buscar novosconhecimentos para que o atendimento destes pacientes seja feito com maior segurança. O paciente cardiopata deve passar por uma análise criteriosa. Além disso, deve haver uma interação entre médico e cirurgião-dentista, para assegurar a saúde do paciente e evitar interações medicamentosas indesejáveis (CONRADO et al., 2007). Em caso de situações inadequadas, o cirurgião-dentista deve estar preparado paraprocedimentos emergenciais, como a ressuscitação cardiopulmonar e administração de oxigênio ao paciente (TEIXEIRA et. al., 2008). Dentre os vários tipos de cardiopatia temos a angina pectoris, infarto do miocárdio, insuficiência cardíaca congestiva, arritmias e endocardites bacterianas que são as que apresentam maior grau de comprometimento cardiovascular.

Maria Carolina Viana de AndradeDiscente do curso de Odontologia na Universidade Federal de Sergipe – UFS. E-mail: m_carol_10@ hotmail.com

110

Tratamento de Pacientes Cardiopatas na Clínica Odontológica
apresentar dor semelhante à da angina do peito. Geralmente a dor do infarto está associada à parte interna do peito, e o paciente pode apresentar náuseas e vômitos (MUÑOZ et al., 2008). É comum a utilização de morfina, e numasegunda instância, de meperidina para a reversão do quadro de infarto agudo do miocárdio (GOMES et al., 1996). Antes de qualquer tratamento odontológico, o paciente que sofreu um infarto recente deve ser cuidadosamente avaliado. Procedimentos odontológicos devem ser adiados pelo menos por seis meses e, idealmente, por mais de um ano após o infarto (TEIXEIRA et al., 2008). Pacientes que não...
tracking img