Calandra

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 17 (4222 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 23 de março de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
Dobragem e Enrolamento

1

Quinagem - Dobragem na Quinadora

2

O que é?

3

O que é?

4

Aplicações

Balcões frigoríficos Mobiliário metálico Chassis Painéis.

5

Aplicações

6

Características do processo

Permite o fabrico de peças de chapa (ou barra de pequena espessura) com superfícies planificáveis Campo de aplicação diversificado Aplica-se, geralmente, apequenas séries Baixa taxa de produção As quinadoras possuem, geralmente, tabelas de quinagem que permitem calcular a força de quinagem por metro de chapa a quinar, a aba mínima, o raio mínimo de quinagem, a abertura da matriz, etc.

7

Classificação dos processos de quinagem

Quinagem no ar
O ângulo entre as abas da chapa é definido pela penetração do cunho na matriz (profundidade dequinagem). As forças envolvidas são baixas Precisão dimensional é limitada devido à recuperação elástica

Quinagem em V
O ângulo entre as abas da chapa é definido pela geometria das ferramentas A folga entre cunho e matriz é igual à espessura da chapa. Tem maior precisão dimensional que a quinagem no ar Geralmente, utilizada para quinar chapas com ângulos de 90º ou ligeiramente inferiores, comespessuras entre os 0.5 e os 25 mm

8

Classificação dos processos de quinagem
Quinagem em U
Existem 2 eixos de dobragem paralelos Normalmente, utiliza-se um encostador para evitar defeitos de forma no fundo da peça A força de quinagem tem um acréscimo de cerca de 30 a 40% devido ao encostador

Quinagem a fundo (com quebra do nervo)
A chapa é esmagada entre o cunho e a matriz no final daoperação e a folga entre cunho e matriz é inferior à espessura da chapa. Geralmente, utilizada para chapas finas (espessura inferior a 3 mm) Permite reduzir ou até mesmo eliminar a recuperação elástica A força necessária é consideravelmente superior à da quinagem no ar; 3 a 5 vezes maior

9

Classificação dos processos de quinagem

Quinagem de flange com cunho de arraste
Uma das abas é fixadapor um encostador, enquanto que a outra é dobrada a 90º pela acção do cunho Com a variação do curso, é possível alterar com facilidade o ângulo de dobragem

Quinagem rotativa
Recorre-se a uma matriz rotativa para enformar a chapa Não é necessário utilizar encostador As forças requeridas são baixas O efeito de mola pode ser compensado diminuindo o ângulo de dobragem

10

Classificação dosprocessos de quinagem

Vantagens da quinagem no ar relativamente à quinagem a fundo
A quinagem pode ser efectuada em máquinas-ferramenta de menor capacidade, pois a força e energia necessárias são menores O desgaste e o perigo de inutilização das ferramentas é menor O mesmo conjunto cunho/matriz pode ser utilizado para efectuar dobragens de diferentes ângulos, reduzindo-se os custos depreparação e montagem das ferramentas

Vantagens da quinagem a fundo relativamente à quinagem no ar
Peças mais precisas, podendo ser enformadas com raios de quinagem inferiores à espessura da chapa Redução ou mesmo eliminação do fenómeno de recuperação elástica

11

Quinagem no ar

12

Cálculo da dimensão da estampa plana
Noção de fibra neutra
Por acção do cunho a zona em deformação ficasolicitada por um momento flector M e uma força axial F de tracção. Para chapas finas, pode admitir-se que as secções rectas se mantém planas durante a deformação e que convergem no centro de curvatura. Considera-se que as direcções principais das tensões e das extensões coincidem com as direcções radial, tangencial e segundo a largura. Fibra neutra é a linha cujo comprimento não varia após adeformação da peça e cuja posição depende fundamentalmente da espessura da chapa e do tipo de solicitação introduzida pelas ferramentas.

13

Cálculo da dimensão da estampa plana
Para se determinar as dimensões da estampa plana é necessário conhecer o comprimento da fibra neutra, l. Segundo a norma DIN 6935, o comprimento da estampa plana será dado por:

a, b - comprimentos das abas ∆l – factor...
tracking img