Biologia

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 16 (3758 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 4 de setembro de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
ESTUDO COMPARATIVO DA EFICIÊNCIA DE PRODUÇÃO DE ETANOL ENTRE DOIS PROCESSOS DE FERMENTAÇÃO: O DE DORNA ABERTA E O DE DORNA FECHADA

Marla Vieira Honório[1]
Daniel Tizo Costa[2]

RESUMO

Fermentação alcoólica é um processo biológico, cujo principal agente é a levedura, que no setor sucroalcooleiro é a levedura do gênero Saccharomyces, predominantemente a espécie Saccharomycescerevisiae e espécie relacionada Schizosaccharomyces pombe. Este trabalho trata da comparação de dois processos fermentativos, o de dornas fechadas e dornas abertas com o objetivo de comparar a produtividade do etanol nos dois processos. Este trabalho foi realizado através de métodos e técnicas relativas ao tema e um estudo in loco por 92 dias consecutivos na safra de 2009/10, via análisesfísico-químicas e microbiológicas em uma usina sucroalcooleira localizada no município de Santa Helena de Goiás (GO). Os resultados dentro dos parâmetros analisados não apresentaram diferenças significativas entre ambas as dorna, sendo que para a viabilidade celular foi de 80%, para o pH de 4,1 e para o teor alcoólico de 7,3 °GL.

Palavras-chave: Saccharomyces cerevisiae, sucroalcoleiro, fermentaçãoalcoólica.

INTRODUÇÃO

As leveduras vêm sendo utilizadas há mais de 4.000 anos pelos egípcios que produziam pães e bebidas alcoólicas a partir de cereais e frutas, que por longo período a humanidade se beneficiou desses organismos sem mesmo saber de sua existência, que foi notada primeiramente pelo holandês Antonie Van Leeuuwenhoek (1632-1723), ao observar e descrever a leveduraatravés de seu rudimentar microscópio, dando um grande impulso a investigação dos processos fermentativos (AMORIM; BASSO; ALVES, 1996).
A maior parte dos estudos existentes, no mundo foi direcionada principalmente para a fermentação alcoólica relacionada à produção de bebidas. Apesar do álcool ser utilizado de inúmeras formas, inclusive como combustível para veículos, possibilidadeaventada nas primeiras décadas do século XX, tanto na Europa como nos Estados Unidos, este demorou ainda a se tornar realidade, devido a pequena oferta do álcool (RIZZON; MANFROI, 2010).
Com o advento do Programa Nacional do álcool em meados de 1970, o Brasil enfrentou e venceu o desafio de produzir etanol em larga escala para uso automotivo, inicialmente misturado à gasolina, e depois emsegundo estágio, como combustível, para movimentar boa parte da frota nacional de veículos. Esta atuação traduziu um sucesso para o programa energético alternativo e pioneiro de substituição do petróleo, trazendo muitos efeitos benéficos para o país. Em 1980 o novo mercado consumidor se expandiu com a entrada de modelos movidos exclusivamente a etanol, apesar disso, havia poucos trabalhos no paísdestinados ao melhoramento da eficiência do processo de fermentação, essencial para a fabricação do etanol (LEÃO, 2002).
O processo de fermentação alcoólica é um processo biológico metabólico constituído de reações bioquímicas em cadeia (glicólise) onde açúcares simples (monossacarídeos ou dissacarídeos) são metabolizados por microrganismos denominados leveduras (seres unicelulares decaracterística esféricas, elípticas ou cilíndricas) que se reproduzem normalmente por brotamento (AMORIM, 2010).
Estes microrganismos utilizam-se dos açúcares para obter energia e assim manter suas funções vitais, e não para produzir etanol, como se requer na atividade industrial, a fabricação do etanol é um subproduto para a levedura, e não a finalidade da fermentação. Ao metabolizar anaerobicamenteo açúcar é gerado uma forma de energia (Adenosina tri-fosfato ou ATP), necessária para a manutenção da vida, crescimento e multiplicação da espécie. “As cepas (uma espécie de microorganismo) mais utilizadas na fabricação do etanol são as Saccharomyces cerevisiae e também uma espécie relacionada: Schizosaccharomyces pombe” (AMORIM, 2005, p.92).
O aspecto mais relevante do local onde...
tracking img