Barroco

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 6 (1343 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 15 de março de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
Reforma Protestante no início de séc.16

A Igreja Católica Romana reindicou os seus direitos da sucessão apostólica e alegaram para si a singular autoridade através da sucessão apostólica, rastreando as raízes de sua igreja até os dias dos primeiros apóstolos.
É por causa desta sucessão apostólica que a Igreja Católica Romana alega ter a singular autoridade para interpretar as Escriturase estabelecer doutrinas.
O papa é um supremo líder, o infalível (livre de erro),e no exercício de sua posição - o pastor e o mestre de todos os cristãos.
Todos os ensinamentos e tradições da Igreja Católica Romana, por virem do papa, são igualmente infalíveis e dotadas de autoridade, assim como as próprias Escrituras.
Esta é uma das maiores diferenças entre os católicos romanos e osprotestantes, e foi uma das razões fundamentais para a Reforma Protestante.


Os católicos romanos não foram os únicos que tentaram alegar uma autoridade única sobre todas as igrejas e denominações, a fazer um retrocesso através da sucessão apostólica.
Por exemplo, a Igreja Ortodoxa Oriental também alegou sucessão apostólica, sendo esta muito parecida com a visão católica romana.(Separação da Igreja Católica Romana ocidental e da Igreja Ortodoxa oriental ocorreu com o “Grande Cisma” em 1054 d.C.).
Mas também também havia algumas denominações protestantes apesar destes não afirmarem a sucessão apostólica para estabelecer a autoridade de um “papa” como um líder infalível.
Antes da Reforma Protestante, no século XVI, homens como John Wycliffe, na Inglaterra (1ºmovimento contra aigreja católica, no ano 1381- a teoria do conciliarismo– autoridade suprema da Igreja – o papa), Jan Huss, na então Tchecoslováquia e John of Wessel na Alemanha, todos já haviam dado suas vidas por sua oposição a alguns dos ensinamentos não-bíblicos da Igreja Católica Romana.

A oposição à Igreja Católica Romana e a seus falsos ensinamentos pioraram quando um monge católico Romano chamadoMartin Luther pregou suas 95 Teses contra os ensinamentos da Igreja Católica Romana na porta da igreja do castelo de Wittenbert, Alemanha (no dia 31.10.1517). A intenção de Martin Luther era reformar a Igreja Católica Romana, e assim, desafiou a autoridade do papa.
A Igreja Católica Romana recusou as ideias de Luther para a reforma e retorno às doutrinas e práticas bíblicas, o que deu ao inicio àReforma Protestante, da qual surgiram quatro divisões ou tradições principais de Protestantismo: Luteranismo
Reformados
Anabatistas
Anglicanos

Junto à Reforma Protestante se assentam quatro perguntas ou doutrinas básicas, que segundo criam estes reformadores, constituíam erro por parte da Igreja Católica Romana.
Como umapessoa é salva?
Onde reside a autoridade religiosa?
O que é a igreja?
Qual a essência do viver cristão?
Respondendo a estas perguntas, os reformadores protestantes, como Martin Luther, Ulrich Zwingli, John Calvin e John Knox estabeleceram o que seria conhecido como as “Cinco Solas” (sola (latim)=única) da Reforma. Os cinco importantes e fundamentais doutrinas foram a razão da ReformaProtestante, onde os protestantes afirmariam sua opinião contra a Igreja Católica Romana, resistindo às exigências a eles feitas para que voltassem às doutrinas e ensinamentos bíblicos corretos.
São tão importantes hoje em avaliar a igreja e seus ensinos quanto eram no passado.
De muitas formas, grande parte da cristandade protestante precisa ser desafiada a retornar a essas doutrinas fundamentais defé, da mesma forma que os reformadores desafiaram a Igreja Católica Romana no século XVI.


www.gotquestions.org
www.paginaoriente.com
www.reformaerazao.com

As profundas modificações surgidas na Igreja Católica, foram, sem dúvida provocadas diante do surgimento e expansão do protestantismo. A reação católica, vulgarmente denominada "contra-reforma", foi orientada pelos grandes Papas Paulo...
tracking img