Babesiose

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 4 (988 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 6 de março de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
Universidade Federal do Tocantins - UFT
Escola de Medicina veterinária e Zootecnia - EMVZ

Campus universitário de Araguaína

























BabesioseAcadêmica: Simone Vieira Castro

Doenças infecto-contagiosas

Prof. Roberto Barros



















Araguaína, 23 de março de 2007





BabesioseApós a inoculação pelo carrapato, Babesia spp. entra no sangue circulante e multiplica-se assexualmente por esquizogonia em eritrócitos. O protozoário causa a destruição dos eritrócitos,resultando em severa anemia e outros efeitos devido à circulação de hemoglobina livre no sangue.

O carrapato (vetor) é essencial para a manutenção do parasita. Após a ingestão do sangue contaminado, oprotozoário infecta os ovos do carrapato e continua a multiplicar-se no interior das larvas emergentes.  Nas larvas, eles se alojam nas glândulas salivares, de onde são inoculados no próximohospedeiro bovino.

É extremamente importante conhecer algumas características dos carrapatos a fim de que possamos melhor entender a biologia da babesiose. A distribuição geográfica do carrapato e,conseqüentemente da babesiose, pode ser classificada dentro das seguintes áreas:

Áreas livres: são locais onde o carrapato não ocorre devido às condições climáticas adversas e sendo assim, ababesiose também não ocorre.

Áreas de instabilidade enzoótica: são locais com uma estação fria bem definida, fazendo com que os bovinos permaneçam longos períodos sem que haja contato comcarrapatos (e com Babesia spp). Isso leva a uma queda nos níveis de anticorpos e assim, nas estações mais quentes do ano, ocorrem surtos de babesiose.

Áreas endêmicas: são locais onde aprevalência de carrapatos é bastante alta no decorrer de todo o ano, fazendo com que os animais estejam imunologicamente protegidos. Nessas regiões ocorrem apenas casos isolados de babesiose.

Surtos...
tracking img