Assentamentos rurais brasileiros

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 5 (1019 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 21 de maio de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
Universidade Federal da Grande Dourados
Faculdade de Ciências Humanos

Paper

Thiago Jose dos Santos

Dourados – MS
2011
Universidade Federal da Grande Dourados
Faculdade de Ciências Humanos

Paper

Este trabalho tem fins
Avaliativos parciais da
Disciplina de Sociologia
Rural Ministrada pela
prof.ª Dr.ªRosemeire.

Thiago Jose dos Santos

Dourados – MS
2011

Introdução
Este presente trabalho perpassa sobre a vida de trabalhadores rurais assentados que, por uma forma de subsistência familiar - onde por motivos que não o proporciona adquirir renda suficiente para manter-se, como também a família dentro da sua parcela - vê-se na obrigatoriedade de procurar serviços em lugares em que otrabalho é inadequado a força de trabalho e condições das leis trabalhistas.
Desenvolvimento
No ano de 1500, no dia 22 de abril, os portugueses chegam ao Brasil. Data em que começa o período colonial com a exploração do pau-brasil. Essa exploração se deu ate o ano de 1930 data em que o rei de Portugal organiza a primeira expedição de colonização da terra. Porem, para que se fosseextraído o pau-brasil, era necessário a força de mão-de-obra, por conseguinte não tinha como trazer mão-de-obra da Europa. Então, foi ai que começou a exploração dos indígenas – habitantes naturais que já existiam aqui quando os portugueses chegaram.
Logo depois, começou o período de colonização e a era do açúcar. Nesse período já era trazida a força de trabalho da Europa, mas especificamenteda África. Essa mão-de-obra aqui introduzida deu origem ao regime conhecido como escravista.
Porem, algumas décadas depois, foi intensificando-se revoltas em que os escravos, propriamente ditos, queriam sua liberdade, sua alforria. Todavia, no dia 13 de maio de 1888, teve o decreto da lei Áurea, que por fim abolia todo e qualquer regime de escravidão no Brasil.
No entanto, sefizermos uma analise com cuidado de trabalhos ainda em andamento em algumas regiões do Brasil, encontraremos serviços onde em que ainda há regime escravo no Brasil.
Usinas de cana-de-açúcar é um exemplo claro dessa situação, porem, infelizmente não é visto, ou deixado de lado pelos governantes que dizem defender os direitos dos trabalhadores. Os casos de trabalho escravo, violações de direitostrabalhistas, agressões ao meio ambiente e invasão de territórios indígenas são inúmeros. A produção de cana alcançou 612,2 milhões de toneladas em 2009, uma alta de 7,1% em relação ao ano anterior. Somente o Estado de São Paulo concentra 57,8% dessa produção. Em Goiás, o aumento da produção foi de 50% em relação ao ano anterior. De toda essa produção, 20% já são controladas pelo capitalinternacional. A maior empresa sucroalcooleira em atividade no Brasil, a Cosan, foi inserida na lista do Ministério do Trabalho sobre trabalho escravo. Entretanto, a empresa entrou com uma liminar para retirar o nome da lista, e o caso ainda vai ser julgado pela Justiça. Muitas usinas aqui no Brasil foram flagradas com trabalho escravo em suas plantações, como também no seu trabalho interno.
Em 2007e 2008, Mato Grosso (MT) e Mato Grosso do Sul (MS) tiveram os maiores desmatamentos do país para a expansão do cultivo da cana. Em 2007, a cana substituiu 1119 hectares de floresta do MS e 1892 hectares no MT. Em 2008, o desmatamento subiu para 2385 hectares no MT. Mesmo o que é apontado como possível solução para a produção da cana, o Zoneamento Agroecológico (ZAE) da cana de açúcar, aindacontém muitos problemas, que pouco resolvem a situação. A limitação de área de plantio na Amazônia, por exemplo, pode empurrar as plantações para outros biomas, como o cerrado. De acordo com o pesquisador Nilson Ferreira, da Universidade Federal de Goiás, "é mentira afirmar que é uma iniciativa ecológica do ZAE o ato de preservar o pouco de vegetação remanescente que restou no Cerrado, extremamente...
tracking img