Artigo vbr - para estudo de caso

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 16 (3776 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 26 de janeiro de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
“Dinâmica Estratégica sob uma Perspectiva Analítica:

Refinando o Entendimento Gerencial”


Adriano Proença



1. “Em direção a uma teoria dinâmica em Estratégia Empresarial”

O título desta Introdução reproduz o do artigo de Porter (1991,1994), quando ele mapeava o saldo da década de ’80 no campo das contribuições da Economia à Estratégia Empresarial, e ponderava que o necessáriopróximo passo seria na direção de uma perspectiva dinâmica do processo de formação e sucesso/fracasso das estratégias empresariais.

De fato, a década de ’80 vira a Economia se transformar na principal disciplina de base em Estratégia Empresarial. Como constatado em várias revisões sobre a área[1], o livro de M. Porter (1980), Competitive Strategy, teve efeito semelhante ao "de um simples distúrbio... (ao) gelificar um líquido supersaturado" (Mintzberg,1990). Toda uma geração de estudiosos, após uma década de simples reprodução dos modelos básicos de Forças-Fraquezas-Ameaças-Oportunidades, ou de fluxos de atividades seqüenciais para Planejamento Estratégico, encontrou uma forma de trabalhar, com renovado rigor científico, as várias questões presentes em estudos empíricos sobre estratégiascompetitivas. Focando no conteúdo das estratégias, e em processos analíticos para dedução da adequada a cada caso, o trabalho de Porter consolidou uma vital linha de abordagem à questão estratégica, de difusão imediata entre teóricos e praticantes[2].

Nos termos de Mintzberg (1990), assistiu-se então ao nascimento da “terceira onda” da “Escola do Posicionamento” em Estratégia Empresarial[3].Nesta, “estratégia” é uma posição a partir da qual o empreendimento resiste às forças da competição e atende a demandas particulares da sociedade. Porter irá oferecer à área um framework analítico relativamente simples, mas bastante capaz e articulado, para o tratamento sistemático da situação do ambiente competitivo e da capacidade competitiva da empresa.

Dado que o trabalho de Porter nesta linha(1980,1985) é bastante conhecido, não cabe aqui uma descrição detalhada. Essencialmente, em Porter (1980) ele apresenta uma forma de analisar a estrutura concorrencial de uma indústria (de um setor industrial), considerando uma situação de competição ampliada. Seu framework das cinco forças cuja interação indica a tendência de lucratividade em um setor correu o mundo. Sua classificação dasestratégias genéricas, em uma matriz dois por dois, quanto à opção por custo vs. diferenciação e foco vs. base ampla, também tem sido utilizada, discutida, e questionada por sua simplicidade. O livro inclui ainda observações sobre sinalização para a concorrência; análise da concorrência; estratégias em diferentes situações genéricas – indústrias maduras, fragmentadas, ou emergentes; entre outros.

Já emPorter (1985) ele se concentra menos na indústria e mais na firma individual vis-a-vis sua concorrência imediata. A principal ferramenta então sugerida é a cadeia de valor (value chain), e uma extensão desta, o sistema de valor (value system). Em Porter (1991), comentando esta proposta, Porter chama atenção para centralidade do seu conceito de "atividade"(activity). Para ele, a base da vantagemcompetitiva é a atividade discreta. E, em um segundo momento, a ligação (linkage) externa e interna dessas atividades. De fato, a cadeia de valor e o sistema de valor são formas de representar a agregação das diversas atividades da empresa. E os drivers para redução de custo ou para aumento da diferenciação serão identificados a partir das atividades e da ligação entre elas. Estes drivers seriam osdeterminantes estruturais das diferenças entre os diversos competidores. Porter os lista e analisa em seu livro, criando assim a base para compreensão da lógica da "economia da empresa" em pauta – de onde emergiriam os elementos para decisão quanto à configuração e coordenação das atividades pertinentes ao empreendimento.

Este formulação “5 forças – cadeia/sistema de valor” permanece,...
tracking img