Apagao de talentos e defict na educação básica no brasil

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 10 (2333 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 6 de abril de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
“A deficiência na Educação como um gargalo no desenvolvimento do Brasil”

RAQUEL CARVALHO DE CASTRO

01/04/2013

Resumo
Neste artigo comento os maiores gargalos para o crescimento do Brasil, em particular da dificuldade das organizações em contratar profissionais com perfis adequados – o tão falado “apagão de talentos”. Esta questão fica bastante tangível ao analisarmos a baixa média deescolaridade do brasileiro divulgada no último IDH (Índice de Desenvolvimento Humano), o que impacta diretamente na qualificação deste profissional e na produtividade do país.

Introdução
O Brasil é considerado hoje a sétima economia do mundo. Apesar de todas as expectativas em relação ao crescimento do país, percebe-se hoje uma visão mais pessimista. Segundo a agencia de classificação de riscoFitch Ratings1, “Uma desaceleração prolongada do Produto Interno Bruto (PIB) combinada com política fiscal expansionista poderia atrapalhar a redução do peso da dívida no Brasil e atrasar a melhora da posição do país em relação a outras economias com a mesma nota.”

Apesar de todo o potencial do país e da estabilidade de sua política econômica, o Brasil apresenta hoje uma série de gargalos queimpactam no seu crescimento. Entre eles destacamse: a necessidade de reformas estruturais, a deficiência da educação brasileira, a questão da violência urbana, os gargalos de infraestrutura, a alta carga tributária, o déficit da previdência, a burocracia da Estado e a degradação do sistema de representação política.

Neste artigo, darei um foco maior à questão da deficiência da educação e do seuimpacto direto na baixa qualificação do profissional brasileiro, gerando o tão falado “apagão de talentos”.

1

http://www.valor.com.br/financas/3063322/pib-fraco-e-desafios-fiscais-pesam-sobre-analise-do-brasil-diz-fitch

1 Educação no Brasil
Para abordar a deficiência na educação no Brasil, trago uma análise do IDH – Índice de Desenvolvimento Humano. Segundo o site do PNUD2 (Programadas Nações Unidas para o Desenvolvimento), o IDH “é uma medida resumida do progresso a longo prazo em três dimensões básicas do desenvolvimento humano: renda, educação e saúde. O objetivo da criação do IDH foi o de oferecer um contraponto a outro indicador muito utilizado, o Produto Interno Bruto (PIB) per capita, que considera apenas a dimensão econômica do desenvolvimento.”

A importância desteíndice fica bastante clara quando pensamos no próprio caso do Brasil. Apesar do país se posicionar como a sétima economia do mundo, ao se considerar o seu PIB, o Brasil ocupa o 85º lugar ao se considerar o último IDH divulgado, com base em dados do ano de 2012.

Conforme já mencionado, na elaboração deste índice, o Pnud considera a média de escolaridade de cada país. No caso, ao analisarmos atabela a seguir, podermos perceber que a média do Brasil é de 7,2 anos, número mais baixo na America Latina, ao lado do Suriname.

2

http://www.pnud.org.br/IDH/DH.aspx?indiceAccordion=0

Figura 1.1 – Números de Educação nos países da América do Sul

Fonte: PNUD/ONU

Ao analisarmos a posição do país a partir do índice GINI3, que mede a extensão em que a distribuição de renda ou despesas deconsumo entre os indivíduos ou famílias dentro de uma economia desvia de uma distribuição perfeitamente igual, percebemos que o Brasil apresenta um alto nível de desigualdade social. Assim, podemos concluir que ao se calcular esta média de 7,2 anos, temos uma pequena parte da população com uma maior escolaridade e uma grande parcela da população com um acesso ainda bastante restrito à educaçãobásica.

3

http://data.worldbank.org/indicator/SI.POV.GINI

Figura 1.2 – Índice GINI

Fonte: Banco Mundial Isso fica ainda mais claro ao analisarmos o último relatório do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística)4, referente ao censo 2010, onde foi relatado que quase metade da população brasileira (49,25%) com 25 anos ou mais não tem o ensino fundamental completo, o que...
tracking img