Analise do trabalho desenvolvidos em um restaurante universitario

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 38 (9422 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 30 de janeiro de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA
CENTRO DE CIÊNCIAS HUMANAS, LETRAS E ARTES
DEPARTAMENTO DE PSICOLOGIA
DISCIPLINA:
PROFESSORA:

I. Introdução

O ser humano constrói sua existência através de uma ação sobre a realidade, essa ação tem como objetivo satisfazer suas necessidades, entretanto essas ações e necessidades são caracterizadas fundamentalmente por serem sociais e produzidashistoricamente em sociedade. As necessidades básicas dos sujeitos não são apenas biológicas, quando elas aparecerem são prontamente socializadas. Assim, por meio da atividade o homem produz o necessário para atender suas necessidades, em que esta ação particular será definida pela maneira como a sociedade se organiza para o trabalho (Bock, 2002).
O trabalho pode ser entendido como a transformação danatureza para produção da existência humana, assim o trabalho só é possível em sociedade. Esse pode ser encarado como um processo em que o ser humano estabelece concomitante uma relação com a natureza e com os outros sujeitos, relação esta determinada reciprocamente. Por isso, o trabalho só pode ser caracterizado a partir das relações sociais determinadas (Bock, 2002).
Deste modo, podemos destacarque a história da realização do ser social concretiza-se a partir da produção e reprodução da existência, ato social efetivado pelo trabalho que é determinado pelos laços de cooperação social que são estabelecidos no processo de produção material. O trabalho realizado cotidianamente permite ao homem tornar-se um ser social diferenciando-se de todas as formas não humanas, pois o mais inábiltrabalhador humano diferencia-se do animal, ao ter ideado em sua consciência os aspectos que quer imprimir ao objeto do trabalho, antes de sua realização (Bock, 2002; Antunes, 1995).
O trabalho pode ser encarado como elemento originário de realização do ser social, condição para sua existência, sendo decisivo para o início e para o processo de humanização do ser humano, significado este corroboradopor Marx importante crítico da sociedade capitalista. A ação do homem sobre o seu meio, que ocorre em sociedade é um processo histórico, essa ação de transformação da natureza permite a transformação do próprio indivíduo, devendo estar baseado na vontade que remete a um aspecto de liberdade (Bock, 2002; Antunes, 1995; Enguita, 1989).
A perspectiva marxista encara o trabalho como elemento base parao processo de humanização do ser social, entretanto atualmente na sociedade capitalista o trabalho passou a ser degradado e humilhado, tornando-se estranhado. Deste modo, o trabalho como elemento imprescindível para constituição do ser social, em que o ser humano se realizaria no e pelo trabalho passa a ser pervertido e exaurido, convertendo-se em um meio de subsistência que tem como finalidade aprodução de mercadorias por intermédio de outras mercadorias - a força de trabalho (Antunes, 1995).
O trabalho dentro do modelo capitalista deixa de ser algo voluntário para ser algo obrigado, podendo ser caracterizado como trabalho forçado, assim percebemos que o trabalho não promove a satisfação de uma necessidade, mas apenas um meio para satisfazer as necessidades deste. Assim sendo,percebemos que atualmente a maioria dos trabalhadores não tem o domínio sobre o seu trabalho, devendo submeter-se ao ritmo imposto pela maquinaria, aos fluxos planificados de produção e as normas de rendimento estabelecidas pela direção (Enguita, 1989).
Deste modo, percebemos que o componente humano básico para realização do sujeito fora reduzido a única possibilidade de subsistência dodespossuído. Por isso, no contexto do trabalho organizado nos referimos à alienação, caracterizada pelo rompimento da vontade e da ação em que o trabalho passa a ser externo ao trabalhador, ou seja, não pertence mais a esse e por isso ele não se afirma, mas se nega, não se sente feliz, mas infeliz e assim o sujeito só se sente ele mesmo quando está fora do trabalho (Antunes, 1995; Enguita, 1989).
A...
tracking img