Afetividade e sexualidade

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 6 (1443 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 10 de outubro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Projeto Afetividade e Sexualidade na Escola

A educação não se faz apenas por meio das aulas convencionais dentro de sala, construindo-se deste modo num complexo de informações e vivências dentro e fora dos muros da escola em que é necessário incorporar aos conhecimentos facilitados pelo professor, suas vivências e conceitos pré-estabelecidos de forma análoga e construtiva (re-construtiva). Aeducação sexual é mencionada como tema transversal a ser trabalhado nas escolas tanto nos Parâmetros Curriculares Nacionais (PCN’s) quanto nas Diretrizes Curriculares Nacionais (DCN’s).

1- INTRODUÇÃO

Vergnaud (1993) revela que o professor é um mediador e deve proporcionar situações para o aluno que contribuam no desenvolvimento do repertório das representações dos aprendizes, para que umcampo conceitual seja gradativamente dominado pelo aluno através da elaboração de esquemas mentais em ordem crescente de complexidade.
Dessa forma, é necessário compreender a importância da dissociação da imagem do professor como personagem central da educação e único detentor do conhecimento, valorizando os saberes empíricos dos alunos e construindo uma ideia de que o aluno é principalprotagonista do processo ensino-aprendizagem e dessa forma, o professor deve atuar aplicando a formação que recebeu para ser multiplicador de preciosas informações e atitudes que irão contribuir com a vida prática dos alunos (Sayão, 1995).
As Diretrizes Curriculares Nacionais (DCNs) são normas obrigatórias para a Educação Básica que orientam o planejamento curricular das escolas e sistemas de ensino,fixadas pelo Conselho Nacional de Educação (CNE).
As DCNs se diferem dos Parâmetros Curriculares Nacionais (PCNs). Enquanto as DCNs são leis, dando as metas e objetivos a serem buscados em cada curso, os PCNs são apenas referências curriculares, não leis, definidos pelo Ministério da Educação (Menezes et al. 2002). O Parecer da Câmara de Educação Básica (CEB) nº 4/98 e a Resolução nº 2 de 1998propõem sete diretrizes como referência para a organização do currículo escolar dentre as quais consideramos duas como sendo motivadoras à execução deste trabalho:
___A terceira diretriz que considera o processo educacional como uma relação indissociável entre conhecimentos, linguagem e afetos, constituinte dos atos de ensinar e aprender. Segundo as DCNs, a afirmação dessa perspectiva deve conduzir àvalorização do diálogo e à adoção de metodologias diversificadas em sala de aula, isto é, de múltiplas interações alunos/alunos, professores/alunos, alunos/livros, vídeos, mídia, materiais didáticos etc., que permitam a expressão de níveis diferenciados de compreensão, de conhecimentos e de valores éticos, políticos e estéticos.
___A quarta diretriz apoia-se no art. 9º da LDB para estabelecerconteúdos curriculares mínimos para a chamada Base Nacional Comum, destinados a legitimar a unidade e a qualidade da ação pedagógica na diversidade nacional.
“(...) a instituição de uma Base Nacional Comum com uma Parte Diversificada, a partir da LDB, supõe um novo paradigma curricular que articule a Educação Fundamental com a Vida Cidadã. O significado que atribuímos à Vida Cidadã é do exercício dedireitos e deveres de pessoas, grupos e instituições na sociedade, que em sinergia, em movimento cheio de energias que se trocam e se articulam, influem sobre múltiplos aspectos, podendo assim viver bem e transformar a convivência para melhor (Brasil, 1998, p.9).”
Nesta perspectiva integradora, a base comum e a parte diversificada devem articular cidadania e conhecimento nos currículos da educaçãofundamental. Trata-se de uma dupla integração, que deve movimentar-se no interior e entre temas adstritos à cidadania e ao conhecimento escolar. A "vida cidadã" diz respeito a aspectos relacionados com saúde, sexualidade, vida familiar e social, meio ambiente, trabalho, ciência e tecnologia, cultura e linguagens (Brasil, 1998, p.7).
A noção de sexualidade entrelaça elementos da história dos...
tracking img