2011

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 9 (2247 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 18 de novembro de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
Relatório do texto: Conceito e Perspectivas de Estudo das Organizações

Antonio Virgílio Bittencourt Bastos
Elizabeth Loiola
Napoleão Queiroz
Tatiana Dias Silva

A partir do exposto, vimos que o texto vem primeiramente nos afirmar que a organização é um fenômeno com o qualconvivemos no cotidiano e ao longo de toda a vida, e é por tal motivo que esse se apresenta de grande importância para o estudo.
Porém, não há um consenso sobre o que define uma organização. No senso comum esta definição está vinculada a idéia de ação com resultados, assim, o termo é usado tanto para designar as ações de construir algo como para descrever as características ou qualidadesdesse algo construído. Já no âmbito científico, algumas das explicações, afirma que as organizações correspondem a sistemas cooperativos, formados por pessoas que se comunicam entre si e desenvolvem ações tendo em vista alcançar um propósito comum, cuja longevidade depende de como são governadas.
Posteriormente, o texto vem trazendo que as organizações apresentam um objetivo, sobretudo no sensocomum, como base para definir a ação coletiva de um grupo. Porém não é tarefa simples identificar, definir ou atingir claramente o objetivo de uma organização. Outro aspecto relevante a ser considerado nestas determinações, é a relação das organizações com o ambiente externo, contrapondo-se à visão de organização como sistema fechado.
No entanto, alguns autores, encontram duas grandesabordagens desse fenômeno, que se originam de duas distintas perspectivas sobre ciência e produção de conhecimento. A partir da perspectiva da ciência organizacional normal, as organizações são consideradas entes empíricos, tangíveis, concretos, que podem, com base em métodos e técnicas quantitativas, ser observados, medidos, conceituados como tais e em relação às suas práticas. Sendo assim, aorganização equivale a uma entidade que pensa, faz, formula estratégias, contrata, demite, lidera, etc. Portanto, a organização é considerada como uma entidade, possuidora de uma existência própria independente das pessoas e das atividades. No campo da ciência organizacional contranormal, as organizações são explicadas pelo conhecimento das intenções que estão na base das ações dos indivíduos e gruposque as compõem. Aqui, coexiste uma pluralidade de metas concorrentes de diversos grupos, por vezes rivais; em síntese, mesmo aquelas características que parecem mais "objetivas" são produtos de decisões individuais.
Existem vários conceitos sobre organizações e é marcado por diferenças teóricas-metodológicas, abarcando todas as escolas de pensamento. Por isso iremos delimitar o conceitodentro de três abordagens que é o cognitivista, culturalista e institucionalista.
A primeira visão que ira delimitar o conceito de organizações é a cognitivista, onde apresenta o pensamento de Herbert Simon. Para ele as organizações são sistemas de comportamento cooperativo orientados pelo planejamento, o qual tem por função não apenas alocar os participantes, mas, sobretudo, permitir que cadamembro particular saiba com relativa certeza o que os outros irão fazer. A organização acaba por estabelecer as condições para a ação e para a consideração racional das conseqüências da ação num grupo social. Desta forma “cada indivíduo deve saber quais são as reações dos demais, a fim de determinar de maneira adequada as conseqüências de suas próprias ações” (Simon, 1970, p.73). Mas deveentendê-la que os sistemas cooperativos não pode significar que as pessoas a aderem a ela esquecendo-se dos seus próprios propósitos. A história de integração entre propósitos individuais/ grupais e organizacionais é marcada por tensões, as quais vão modelando os cursos de ação e os processos organizacionais.
A segunda visão é a culturalista, que tem influência da antropologia. Nesta visão o...
tracking img