Resumo - vigiar e punir

Páginas: 22 (5466 palavras) Publicado: 8 de abril de 2014
Fichamento: Vigiar e Punir – Michel Foucault
PARTE I- SUPLÍCIO
- Cap. I: O corpo do condenado
Abordando, a princípio, o suplício, o capitulo I começa discorrendo com detalhes espantosos, esta prática tão comum por volta do início do século XVIII. Esta forma de punição, que mais funcionava como um espetáculo aterrorizante, consistia basicamente na tortura em meio público, torturava-se nocondenado, os mamilos, braços, coxas, pernas e em seguida aplicava-se nessas partes chumbo derretido, óleo fervente, piche em fogo, cera e enxofre derretidos em conjunto. O passo seguinte era amarrar as partes do corpo a quatro cavalos, que o desmembraria, e as partes desmembradas, por fim, eram lançadas ao fogo para que fossem reduzidas a cinzas e suas cinzas pudessem ser lançadas ao vento.
Paraefeitos de demonstrar a evolução do sistema punitivo, que tende a ser tratada em todo o livro, é citado o regulamento da Casa dos jovens detentos em Paris, que três décadas após esse período de constantes práticas de suplícios, se apresenta como um regulamento baseado em atividades de ocupação do tempo dos detentos, estabelecendo-se como uma grande contradição quando comparado ao modelo dossuplícios. É claro que ambas as práticas não foram aplicadas aos mesmos crimes, mas o fato a ser ressaltado nesse contexto é a evolução do estilo penal, o surgimento de uma era de reformas, de um novo tempo para a justiça penal.
Data-se do final do século XVIII o inicio da extinção das práticas do suplício. Aos poucos a punição executada como um espetáculo passou a ter um cunho negativo, entendendo-se quea prática de suplícios chegaria a se igualar ao crime em termos de selvageria, trazendo a ideia de ferocidade e crueldade às pessoas. Diz o autor que “a execução pública é vista então como uma fornalha em que se acende a violência”. Ainda nesse contexto, as antigas concepções vão deixando de fazer sentido, a justiça que mata e feri já não demonstra sua grandeza e sua força com esses atos; aprópria condenação passa a trazer uma ideia negativa ao delinquente, e não mais é preciso torturas públicas para isso, ao contrário, o ato de punir deixa de ser algo digno de glória. A mudança de pensamento se firma quando se passa a conceber a ideia de que o essencial está em buscar a correção, reeducação do delinquente, que a pena, portanto, é um instrumento para essa busca.
As práticas punitivas,então, tomaram um ar mais suave, estabelecendo que se devesse tocar no corpo o mínimo possível, que se tiver que o fazer, será à distância, obedecendo a regras rígidas e visando um bem mais elevado. Esses rituais modernos abrangem um duplo processo: supressão do espetáculo e anulação da dor. É visualizada, dessa forma, uma moral bem nova, própria do ato de punir.
Embora se tenha distanciado dastécnicas de sofrimento utilizadas no suplício, e o novo meio de punição tenha como objeto a perda de um bem ou de um direito, não se pode apagar que os castigos, mesmo que de uma forma menos direta e mais branda, ainda se voltavam à punição do corpo, pois as práticas de trabalhos forçados e prisões, muitas vezes estavam atreladas a redução alimentar, privação sexual, expiação física, masmorra.Em consequência dessas várias transformações de práticas e pensamentos, chega-se á ideia de que a punição deve mais tocar ao corpo e sim a alma, o castigo deve atuar profundamente sobre o coração, o intelecto, a vontade, as disposições do ser, para que possam, de fato, produzir efeitos.
Eis que ao meio deste capítulo o autor expõe sua intenção para com este livro, que seria, em suma, apresentara história conjunta da alma moderna e de um novo poder de julgar, estabelecendo também uma genealogia das bases jurídicas onde se alicerça o poder punitivo.
Para a orientação desse estudo são estabelecidas quatro regras:
- não se ater aos mecanismos punitivos apenas nos seus efeitos repressivos, e tomar a punição como uma função social complexa.
- analisar os métodos punitivos como...
Ler documento completo

Por favor, assinar para o acesso.

Estes textos também podem ser interessantes

  • Resumo Vigiar e Punir
  • Vigiar e Punir
  • Resumo do livro vigiar e punir
  • resumo vigiar e punir
  • Resumo do livro vigiar e punir
  • Resumo Vigiar e Punir
  • Resumo de vigiar e punir
  • Vigiar e punir resumo

Seja um membro do Trabalhos Feitos

CADASTRE-SE AGORA!