Segundo O Historiador Stuart B Schwartz Burocracia E So artigos e trabalhos de pesquisa

  • oficio do historiador

    Jeffrey Richards, a obra Cada Um Na Sua Lei do Stuart Schwartz, como também imagens que terão um papel de auxiliar na compreensão da ideia do que estamos tentando transmitir, e outras mais que no decorrer do artigo faremos citações que se fizerem necessárias. Dentro de uma análise proposta por Bloch em sua obra A Apologia da História ou Oficio do Historiador, o historiador contemporâneo tenta entender a sociedade em que vive os problemas do presente, para depois compreender os problemas do passado...

    4367  Palavras | 18  Páginas

  • Schwartz formação de uma identidade colonial no brasil

    SCHWARTZ-A FORMAÇÃO DE UMA IDENTIDADE COLONIAL A obra da américa Portuguesa ao Brasil expressa claramente o brilho de seu autor que a produziu. O texto é composto por sete ensaios, sendo no ato do lançamento quatro seriam inéditos no Brasil e dois dos outros já teriam sido publicados exercendo um papel muito relevante nos debates da historiografia brasileira contemporânea. Seriam eles a da importância da escravidão indígena para o desenvolvimento da produção açucareira na Colônia e a do papel de...

    1240  Palavras | 5  Páginas

  • História do direito no brasil

    Por Prof. Ms.Francisco Neto Doutorando em Direito (UCSF) e Historiador (UNEB) Prezados amigos leitores para termos uma noção geral do Direito no Brasil precisamos então voltar no tempo histórico, mais precisamente com a chegada dos portugueses a nosso litoral período em que Portugal deslanchava como a grande potência comercial e tecnológica do Ocidente. Seu Direito expressava uma conformação social que, aos poucos, ia revelando de forma gradativa de a ascensão de uma burguesia comercial num...

    1342  Palavras | 6  Páginas

  • A Historiografia dos Primeiros Tempos do Brasil Moderno. Tendências e Desafios das Duas Últimas Décadas

    SCHWARZ, Stuart B..A Historiografia dos Primeiros Tempos do Brasil Moderno. Tendências e Desafios das Duas Últimas Décadas. In: História: Questões e Debates, Curitiba, n° 50. Editora UFPR, ano 2009, p. 175-216.  Schwarz trás em seu artigo, um exame da produção historiográfica sobre o Brasil colonial ao longo dos últimos 20 anos, em que a partir das principais datas comemorativas, como o descobrimento do Brasil, por exemplo, instigou muitas pesquisas e publicações com base na história cultural...

    1573  Palavras | 7  Páginas

  • Uma vez configurados os principais tra os do Direito Moderno na sociedade liberal

    que aspectos desta legalidade (em suas idéias jus filosóficas e em seus principais institutos) são transpostos e adequados para o contexto evolutivo das nossas instituições e, de outro, que particularidades históricas-políticas (patrimonialismo,* burocracia, tradição conservadora,** e herança liberal) são herdadas, incorporadas e assimiladas a partir do processo de colonização lusitana. Decorrendo dessa dinâmica histórica, a formação de uma cultura singular, sintetizadora de idéias e práticas paradoxais...

    8291  Palavras | 34  Páginas

  • História do Direito

    postura discrepante entre História tradicional e História diferencial é efetivamente sentida por historiadores como Peter Burke que observa que a concepção da não consistência do paradoxo cotidiano foi instigada por grande variedade de mudanças que conduziram à nova definição dos conceitos históricos, de nde advém, do métodologia e da forma de compreensão da História escrita.A examinação visa levar o historiador inglês a mostar pontos importantíssimos que diferenciam a antiga da nova história. Parar começar...

    22832  Palavras | 92  Páginas

  • FICHAMETO SCHWARTZ, Stuart. Trabalho e cultura: vida nos engenhos e vida dos escravos. In: Escravos, roceiros e rebeldes. Bauru: Edusc, 2001. p. 89-121.

    ANGELIANE CASTRO DE SOUSA FICHAMETO SCHWARTZ, Stuart. Trabalho e cultura: vida nos engenhos e vida dos escravos. In: Escravos, roceiros e rebeldes. Bauru: Edusc, 2001. p. 89-121. 2013.3 SCHWARTZ, Stuart. Trabalho e cultura: vida nos engenhos e vida dos escravos. In: Escravos, roceiros e rebeldes. Bauru: Edusc, 2001. p. 89-121. TRABALHO E CULTURA: VIDA NOS ENGENHOS E VIDA DOS ESCRAVOS Inicialmente o texto relata sobre o desejo dos historiadores das escravaturas americanas em inovar...

    1350  Palavras | 6  Páginas

  • estudante

    Com a descoberta do Brasil e iniciando-se sua colonização, sendo o seu território habitado por um povo, segundo a visão Eurocêntrica, de cultura bastante “atrasada”, as leis aqui aplicadas eram as Metropolitanas, e, assim, tivemos as Ordenações do Reino, as leis de caráter geral para o Império e as leis especiais, ou seja, as que eram promulgadas especialmente para o Brasil. As primórdias Normas Jurídicas feitas para o Brasil foram os regimentos dos Governadores Gerais, dos Ouvidores Gerais e...

    1486  Palavras | 6  Páginas

  • O BOCA DO INFERNO E A CRISE DO SÉCULO XVII

    história da literatura brasileira. Por causa dessas preocupações, esses autores que o estudam podem ser divididos em dois blocos distintos: os que acusam e atacam Gregório de Matos, dizendo que seus poemas são traduções, plágios de Oficina do Historiador, Porto Alegre, EDIPUCRS, v. 5, n. 2, jul./dez. 2012, pp. 180-192 180 autores que o influenciaram, como Gôngora e Quevedo; e os que o defendem, apontando que apesar dos procedimentos técnicos afetarem de certa forma a autoria dos poemas do...

    5136  Palavras | 21  Páginas

  • Direitos no Brasil

    um sistema com base no Direito Romano e com influências do direito Canônico, sendo desta forma o Direito que aqui fora aplicado.  Com a descoberta do Brasil e iniciando-se sua colonização, sendo o seu território habitado por um povo, segundo a visão Eurocêntrica, de cultura bastante “atrasada”, as leis aqui aplicadas eram as Metropolitanas, e, assim, tivemos as Ordenações do Reino, as leis de caráter geral para o Império e as leis especiais, ou seja, as que eram promulgadas especialmente...

    1600  Palavras | 7  Páginas

  • Carta foral

    sua grande importância e marco histórico, propicia renda para o município. Por ser também uma região turística e de grande transição de pessoas, culmina nessa arrecadação com maior relevância. Questões objetivas: 1. QUESTÃO: De acordo com o historiador Ronaldo Vainfas (Dicionário do Brasil Colonial – de 1500 a 1808), “as capitanias hereditárias constituíram a forma de administração inicial dos domínios atlânticos portugueses, primeiro nas ilhas atlânticas e depois no Brasil e em Angola [constituindo-se...

    646  Palavras | 3  Páginas

  • carta foral

    pela relevância da inscrição do Floral de Olinda e dos contratos de aforamentos no registro imobiliário. Ou seja, possui embasamento jurídico inquestionável, tendo vigência até os dias de hoje. Questões objetivas 1ª QUESTÃO: De acordo com o historiador Ronaldo Vainfas (Dicionário do Brasil Colonial – de 1500 a 1808), “as capitanias hereditárias constituíram a forma de administração inicial dos domínios atlânticos portugueses, primeiro nas ilhas atlânticas e depois no Brasil e em Angola [constituindo-se...

    1006  Palavras | 5  Páginas

  • Carta Foral

    desenvolver, a coroa tinha o poder de tirar seu feudo. Mas poucos foram os feudos que deram verdadeiramente certo. Muitos deles serviram apenas para fazer pequenas cidadelas crescerem. Questões objetivas 1ª QUESTÃO: De acordo com o historiador Ronaldo Vainfas (Dicionário do Brasil Colonial – de 1500 a 1808), “as capitanias hereditárias constituíram a forma de administração inicial dos domínios atlânticos portugueses, primeiro nas ilhas atlânticas e depois no Brasil e em Angola [constituindo-se...

    968  Palavras | 4  Páginas

  • trabalho concreto 2

    validade do ato jurídico em questão, mesmo que antigo, ou seja, por ter embasamento jurídico inquestionável, tendo vigência ate os dias de hoje, por isso que ate os dias de hoje figura a Carta Foral. Questões objetivas 1ª QUESTÃO: De acordo com o historiador Ronaldo Vainfas (Dicionário do Brasil Colonial – de 1500 a 1808), “as capitanias hereditárias constituíram a forma de administração inicial dos domínios atlânticos portugueses, primeiro nas ilhas atlânticas e depois no Brasil e em Angola [constituindo-se...

    1004  Palavras | 5  Páginas

  • Trabalho

    Segundo o historiador Stuart B. Schwartz (Burocracia e Sociedade no Brasil Colonial – Ed. Perspectiva), “a expedição de Martim Afonso de Sousa, que partiu de Lisboa em 1530, marcou uma transição importante entre a frouxa administração da justiça imposta pela necessidade militar e uma forma mais concreta baseada no estabelecimento da colonização permanente e no reconhecimento da necessidade de regularização da sociedade”. Assim, com relação ao modelo de colonização adotado por Portugal, em suas terras...

    937  Palavras | 4  Páginas

  • Stuart Miil

    Vol 2 Editora Ática II Edição - 6. Stuart Mill e a Liberdade e Representação (pág. 189 – Elizabeth Balbachevsky – textos de Stuart Mill, pág. 200)..Organizador Francisco C. Weffort. Resumo Stuart Mill: Liberdade e Representação John Stuart Mill (1806- 1873), aos 67 anos, testemunhou grandes mudanças na sociedade na política e na economia de seu país. Na metade do século XVIII houve a Revolução Industrial, que coincidiu com a história da Inglaterra, Stuart não viveu os primeiros momentos desta...

    4945  Palavras | 20  Páginas

  • Burocracia

    Burocracia é uma estrutura organizativa composta por regras e procedimentos determinados. O termo Burocracia é originário da fusão do termo latino burrus com o termo francês bure. A união dessas duas partículas criou a palavra bureau, usada inicialmente para definir um tipo de tecido escuro que era utilizado para cobrir as escrivaninhas de repartições públicas. Mais tarde, o termo bureau passou a ser utilizado para designar o escritório como um todo. O uso preciso da palavra Burocracia foi utilizado...

    1310  Palavras | 6  Páginas

  • historia

    B – Somente a afirmativO que é uma Carta Foral? - Por que, ainda hoje, um documento do período colonial - o foral de Olinda - é capaz de produzir efeitos de natureza arrecadatória, como por exemplo, a cobrança foreira sobre o quantitativo de imóveis descrito na matéria apresentada acima? Questões objetivas 1ª QUESTÃO: De acordo com o historiador Ronaldo Vainfas (Dicionário do Brasil Colonial – de 1500 a 1808), “as capitanias hereditárias constituíram a forma de administração inicial dos domínios...

    1248  Palavras | 5  Páginas

  • História do direito brasileiro

    desenvolvimento político, econômico e cultural brasileiro. O desenvolvimento do próprio direito no Brasil está diretamente ligado ao processo colonial. 2. Direito no Antigo Regime “A colonização e a conquista do território avançam pela vontade da burocracia, expressa na atividade legislativa e regulamentar. Desde o primeiro século da história brasileira, a realidade se faz e se constrói com decretos, alvarás e ordens régias” (Raymundo Faoro, Os donos do poder). Ao se instalar no Brasil, o Estado...

    4962  Palavras | 20  Páginas

  • Direito

    período colonial - o foral de Olinda - é capaz de produzir efeitos de natureza arrecadatória, como por exemplo, a cobrança foreira sobre o quantitativo de imóveis descrito na matéria apresentada acima? Questões objetivas 1ª QUESTÃO: De acordo com o historiador Ronaldo Vainfas (Dicionário do Brasil Colonial – de 1500 a 1808), “as capitanias hereditárias constituíram a forma de administração inicial dos domínios atlânticos portugueses, primeiro nas ilhas atlânticas e depois no Brasil e em Angola [constituindo-se...

    1432  Palavras | 6  Páginas

  • Historia do direito

    localizado em propriedade desta ( União); não e imposto nem tributo e sim uma taxa cobrada sobre o valor do terreno sempre que este passa por uma operação onerosa como por exemplo a compra e a venda. QUESTÕES OBJETIVAS 1ª QUESTÃO: De acordo com o historiador Ronaldo Vainfas (Dicionário do Brasil Colonial – de 1500 a 1808), “as capitanias hereditárias constituíram a forma de administração inicial dos domínios atlânticos portugueses, primeiro nas ilhas atlânticas e depois no Brasil e em Angola [constituindo-se...

    1746  Palavras | 7  Páginas

  • Gregório de Matos e a crise açucareira do século XVII

    O Boca do Inferno e a crise do século XVII (Publicado na revista Oficina do Historiador) Cintia Goncalves Gomes Mestranda em História (UNESP) Email: c_cintiagoncalves@hotmail.com Bolsista CNPq Resumo: Considerando a importância das obras do poeta barroco Gregório de Matos (1636-1695) o objetivo deste artigo, diferentemente dos outros trabalhos já realizados sobre o autor, é analisar os escritos do poeta baiano e sua relação com a crise açucareira que se desenrolou durante o século XVII...

    5066  Palavras | 21  Páginas

  • Introdução ao estudo do direito i

    Graduação e Pós-graduação em Direito da UFSC. Doutor em Direito. Mestre em Ciência Política. Pesquisador do CNPq. HISTÓRIA DO DIREITO NO BRASIL 3ª edição Revista e atualizada Rio de Janeiro 2003 Para STEFAN GABRIELE História do Direito alcança real significado enquanto interpretação crítico-dialética da formação e da evolução das fontes, idéias norteadoras, formas técnicas e instituições jurídicas, primando pela transformação presente do conteúdo legal instituído e buscando nova compreensão...

    53350  Palavras | 214  Páginas

  • Casos Concretos e Exercicios 1 per odo

    defende a tese de que um sistema de direito tem que se basear na vontade de quem faz a lei (legisladores) prevendo situações futuras, sendo que ao juiz caberia tão somente aplicar as regras produzidas por estes. Já Aline, por outro lado, entende que diante do caso concreto é possível construir as regras, ou seja, a posteriori pois cada caso tem suas particularidades. Além do mais, Aline entende que os juízes são mais confiáveis, enquanto Flávio defende a tese de que o legislador democraticamente...

    3709  Palavras | 15  Páginas

  • historia do direito

    pelo Colégio Eleitoral, em 15 de janeiro de 1985. Tancredo adoece, não chega a tomar posse e morre em 21 de abril. Seu vice, José Sarney assume a Presidência. A última eleição indireta marca o fim do regime militar, mas a transição para a democracia se completa em 1988, no governo de José Sarney, com a promulgação da nova Constituição brasileira. O processo de redemocratização fruto da luta de homens como Ulisses Guimarães, Tancredo Neves e Dante de Oliveira dentre outros heróis anônimos que entregaram...

    4739  Palavras | 19  Páginas

  • CARTA FORAL

    colonial - o foral de Olinda - é capaz de produzir efeitos de natureza arrecadatória, como por exemplo, a cobrança foreira sobre o quantitativo de imóveis descrito na matéria apresentada acima?   Questões objetivas 1ª QUESTÃO: De acordo com o historiador Ronaldo Vainfas (Dicionário do Brasil Colonial – de 1500 a 1808), “as capitanias hereditárias constituíram a forma de administração inicial dos domínios atlânticos portugueses, primeiro nas ilhas atlânticas e depois no Brasil e em Angola [constituindo-se...

    2134  Palavras | 9  Páginas

  • Stuart Mill

    promover a felicidade, erradas na medida em que tendem a promover o reverso da felicidade." John Stuart Mill   John Stuart Mill nasceu em Londres, no dia 20 de maio de 1806 (portanto em plena fase de industrialização da Inglaterra), e faleceu no mesmo local em 8 de maio de 1873.  1. A vida Provavelmente mais do que no caso de qualquer outra pessoa, para compreender bem as idéias e contribuições de Stuart Mill, é fundamental que se conheça um pouco de sua vida e que se leve em conta sua educação,...

    1863  Palavras | 8  Páginas

  • JOHN STUART MILL ENTRE ECONOMIA E POLITICA

     JOHN STUART MILL ENTRE ECONOMIA E POLITICA Tereza Cristina V. de Almeida - 600368405 Curso de Engenharia de Produção – 5M1 Universidade Salgado de Oliveira (Universo), Instituto de Pesquisa e Desenvolvimento (IPD) RESUMO: As contribuições de Stuart Mill distribuem-se pelos campos da Lógica, da Psicologia, do Direito, da Economia e da Política. Neste artigo, no entanto, vou me limitar apenas a alguns aspectos de suas contribuições sobre Política e Economia. Em razão disso, em termos...

    1832  Palavras | 8  Páginas

  • 2 Primeiros Contatos No Novo Mundo Portugueses Do Seculo XVI

    desses povos, afinal, porque os índios eram tachados de “preguiçosos”? É verdade que os negros gostavam de ser escravizados? Como se deu esse processo de substituição dessa mão-de-obra? Para essa discussão, autores como John Manuel Monteiro, Stuart Schwartz, Berta Ribeiro e outros, junto com os cronistas da época, mas especificamente os do século XVI, como Pero Vaz de Caminha e Pero de Magalhães Gândavo, terão espaço celebre no desenvolvimento desse tema. Vale lembrar que o principal objetivo desse...

    6052  Palavras | 25  Páginas

  • Jhon Stuart Mill

    ETEC DE VILA FORMOSA John Stuart Mill ETEC DE VILA FORMOSA John Stuart Mill Contabilidade 1ºC NOME: Marta Vinicius Jutay Thiago Bruno Patricia SUMÁRIO Introdução...........................................................................4 John Stuart Mill (1806-1873)..............................................5 Principais idéias e contribuições.....................................6 Conclusão......................................................................

    1580  Palavras | 7  Páginas

  • Os dilemas da teoria política contemporânea no conflito entre burocracia e democracial

    Ciências Humanas, Florianópolis, Edição Especial Temática. p.61-82, 1999 Os dilemas da teoria política contemporânea no conflito entre burocracia e democracial Julian Borba Universidade do Vale do Itajai (UNIVALI) Resumo O artigo aborda um tema clássico da teoria política e administrativa contemporânea, que é o da contradição entre democracia e burocracia. Para tratar desta questão, o trabalho foi organizado em três partes: uma primeira que aborda, em termos conceituais o fenômeno da...

    7640  Palavras | 31  Páginas

  • SOCIOLOGIA

    a mudança do olhar sobre o direito, não se busca ensinar a fazer revolução social – pegar em armas. Trosksquista – revolução da russia tem mais influencia de Trosk do que de Marx Na pág 36 Assim as raízes e a evolução das instituições jurídicas so poderão ser entendidas... Reflexo do passado colonial – não se pode esquecer de que o Brasil foi uma colônia – o brasil é primário. Patrimonialismo – é tratar o publico como privado. É por exemplo que um cargo público é seu. – Pág 35 pé de página....

    5710  Palavras | 23  Páginas

  • Raizes do brasil

    formação da nossa sociedade, o que exige, conseqüentemente, uma análise histórica profunda do contexto colonial estabelecido pelos lusitanos a partir do século XVI na América. Mas em que medida Raízestornou-se uma leitura obrigatória para todos os historiadores que têm por objeto o Brasil? De que metodologia Sérgio Buarque se utilizou para arquitetar conceitos e teorias que sobreviveriam até hoje por sua veracidade e vitalidade? Quais são esses conceitos? Tais questões se impõem, e nosso objetivo aqui...

    2667  Palavras | 11  Páginas

  • Direito

    própria escravidão em suas colônias em 1833, os ingleses passaram a defender ardorosamente a supressão do tráfico internacional de escravos junto às demais nações européias e americanas, conseguindo enorme progresso nesse sentido na década de 1820.6 Segundo Leslie Bethell, além das considerações de ordem moral, a Grã-Bretanha tinha fortes razões econômicas para adotar tal política. Privados os plantadores de açúcar das Antilhas Britânicas do seu suprimento regular de mão-de-obra barata, era importante...

    11263  Palavras | 46  Páginas

  • Uma revolução de muitos aspectos: visões sobre a Revolução Inglesa de 1640 segundo Christopher Hill.

    visões sobre a Revolução Inglesa de 1640 segundo Christopher Hill. John Edward Christopher Hill (1912 – 2003) era um historiador marxista, nascido em York, norte da Inglaterra. Formado em história na prestigiada Universidade de Oxford, tornando-se professor de História Inglesa na mesma, e posteriormente de História Moderna na University College em Cardiff. Hill foi contemporâneo de nomes como Thompson e Hobsbawm, integrando o grupo dos historiadores marxistas ingleses que fundaram a revista...

    2100  Palavras | 9  Páginas

  • O historiador, o macaco e a centaura

    O HISTORIADOR, O M ACACO E A C E N TA U R A : A “H I S T Ó R I A C U L T U R A L ” NO NOVO MILÊNIO O historiador, o macaco e a centaura: a “história cultural” no novo milênio SERGE GRUZINSKI Dialogando com um macaco e uma centaura O a história cultural hoje? Talvez possamos fazer a pergunta a dois amigos com os quais mantenho diálogo há vários anos e que me acompanharam em muitas conferências e viagens. Trata-se do macaco Ozomatli e da centaura Ocyrhoe. Eles vivem...

    10063  Palavras | 41  Páginas

  • História do direito no brasil

    tese capitalista encontra-se os melhores historiadores da economia da brasileira (Caio Prado Júnior, Roberto Simonsen, Celso Furtado), tem dificuldades pelo menos ao Capitalismo sob a forma européia ou americana “igual sob essa questão Antônio C. Mazzeo lembra que autores como Ciro Flamarion Cardoso, Jacob Gorender e Décio Saes, desenvolvendo e defendendo a teoria do modo de produção escravista colonial, refutam às analise capitalista. O Brasil-colonial poderia gerar produtos tropicais que a Metrópole”...

    5521  Palavras | 23  Páginas

  • Colonização, evangelização e resistência indígena na América Espanhola: um breve balanço historiográfico Ana Carolina Lima Almeida e Clinio de Oliveira Amaral*

    Theodoro1 nega essa tese. Para a autora, a colonização da América foi uma obra barroca porque, por meio do barroco, foi estabelecida uma “desordem” capaz de promover uma ambivalência de significados que podem ser interpretados de diferentes formas, segundo a tradição cultural que o observa. Após a conquista, a sociedade colonial, devido ao seu caráter heterogêneo, produziu condições para que os sobreviventes do conflito, indígenas e europeus, fossem capazes de uma reconciliação através...

    4720  Palavras | 19  Páginas

  • TRABALHO SOBRE “O FEDERALISTA”, TOCQUEVILLE E STUART MILL

     UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ INSTITUTO DE FISOLOFIA E CIENCIAS HUMANAS FACULDADE DE CIENCIAS SOCIAIS TRABALHO SOBRE “O FEDERALISTA”, TOCQUEVILLE E STUART MILL KALLYTH MELO ZARAH TRINDADE Belém/PA 30/06/14 TRABALHO SOBRE “O FEDERALISTA”, TOCQUEVILLE E STUART MILL KALLYTH MELO ZARAH TRINDADE Trabalho apresentado pelas alunas Kallyth Melo e Zarah Trindade como parte da avaliação na disciplina Teoria Política II, do Curso de Ciências...

    856  Palavras | 4  Páginas

  • Teoria da burocracia

    conhecimento sobre o verdadeiro significado da burocracia, seus fundamentos, sua teoria, sua origem e sua influência na sociedade organizacional até os dias atuais. Introdução Nos dias atuais temos como definição de burocracia o excesso de normas e regulamento, portanto popularmente a palavra burocracia tem no nosso dia-a-dia um sentido pejorativo (negativo), mas veremos mais adiante o significado da mesma segundo Max Weber. Significado de burocracia Poder, influência e rotina dos funcionários...

    4510  Palavras | 19  Páginas

  • Família escrava e trabalho

    6 Tempo Família escrava e trabalho Robert W. Slenes* Sheila de Castro Faria ** Apesar de certas premissas básicas serem aceitas por um grupo numeroso de historiadores atuais, a história da família escrava no Brasil vem suscitando inúmeras divergências de interpretações. Foi com base nestas divergências que se montou uma sessão, no I I Encontro de História da UFF, intitulada “Família Escrava e Trabalho”, composta pelos seguintes pesquisadores: Robert Slenes, Manolo Florentino, José Roberto...

    4295  Palavras | 18  Páginas

  • Escravos na América nos séculos XVII e XIX

    Resenha Escravidão Brasileira - um balanço historiográfico Por Midiane Venceslau dos Santos Os trabalhos de Suely R. R de Queiróz (2001), Robert W. Slenes (1999) e Stuart B, Schwartz (2001) quando discutindo o processo de escravidão no contexto historiográfico, traz uma série de informações cruciais para entendermos o presente através do passado. Os três autores, através dos estudos e debates sobre a escravidão no Brasil, ao mesmo tempo em que contribui no acervo historiográfico, desmistifica...

    655  Palavras | 3  Páginas

  • População escrava na Bahia e a Família escrava e as delimitações da escravidão

     Referência: SCHWARTZ, Stuart.B. Segredos Internos: engenhos e escravos na sociedade colonial, 1550-1835. São Paulo: Companhia das Letras, 1988. Stuart B. Schwartz é PhD pela Universidade de Columbia, professor titular de história na Universidade de Yale e editor da Cambridge History of Native People of Americas e da Hispanic American Historical Review. Entre vários estudos, publicou Burocracia e sociedade no Brasil Colonial (Brasiliense, 1978), Escravos, roceiros e rebeldes (Edusc, 2001) e...

    899  Palavras | 4  Páginas

  • John Stuart Mill

    John Stuart Mill, que tem sido chamado de filosofo de língua inglesa mais influente do século XIX, foi um filosofo, economista, teórico e moral e político britânico. Seus trabalhos incluem livros e ensaios que cobrem lógica, epistemologia, economia, filosofia social e política, ética e religião, entre elas um sistema de logica, na liberdade, e utilitarismo. Sob os cuidados do seu pai um historiador e economista ele começou sua jornada intelectual aos 3 anos de idade estudando grego e aos 8 anos...

    632  Palavras | 3  Páginas

  • Ascens O Dos Stuarts

     Ascensão dos stuarts (1603 - 1714) O Stuarts foram os primeiros reis do Reino Unido. Rei o James I de Inglaterra que começou o período quando também já reinava na Escócia como James VI, e juntou pela primeira vez os dois tronos em uma monarquia. A Dinastia dos Stuart reinou na Inglaterra e Escócia por 111 anos, cobrindo praticamente o século XVII, um período extremamente agitado politicamente, de muita instabilidade civil interna, de pestilências e guerras. Apesar de uma certa evolução cultural...

    2023  Palavras | 9  Páginas

  • Aresa

    motins, as Cartas Chilenas,1 sublevações no final do período setecentista, tiveram as cores ressaltadas pelos historiadores republicanos como forma de cunhar uma nacionalidade apropriada ao novo regime político. Os republicanos se apartaram da tradição lusitana propagada pela historiografia produzida pelo Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro (IHGB), que construía a nação do segundo Reinado enquanto propagadora e continuadora dos ideais de civilização implementados pelo colonizador. Todavia...

    6913  Palavras | 28  Páginas

  • Teoria da Burocracia

    Resumo A burocracia é uma forma de organização humana que se baseia na racionalidade, isto é, na adequação dos meios aos objetivos pretendidos, afim de garantir a máxima eficiência possível no alcance desses objetivos. Segundo o dicionário Infopédia (2013), burocracia é o poder, influência e rotina dos funcionários no andamento dos serviços públicos, ou seja, é um sistema administrativo baseado na organização de serviços e na divisão de tarefas, privilegiando as funções hierárquicas de maneira...

    1502  Palavras | 7  Páginas

  • John Stuart Mill

    John Stuart Mill: Pensamento Econômico Utilitarismo John Stuart Mill: Pensamento Econômico Utilitarismo RESUMO John Stuart Mill nasceu no dia 20 de maio de 1806, na casa de seu pai James Mill, em Pentonville, Londres. Sendo o primeiro filho do filosofo. Mill teve sua educação orientada e dirigida, desde cedo, dentro do utilitarismo e das obras de Jeremy Bentham (1748-1832). Os feitos de Mill quando criança eram excepcionais, com a idade de três anos aprendeu o alfabeto grego, aos oito...

    2483  Palavras | 10  Páginas

  • estrutura edinamica do sistema colonial

    questionasse, nem que fosse no mundo das aparências, elementos essenciais daquela interpretação, esforçava-se para manter à margem do mundo acadêmico os defensores do novo revisionismo historiográficos, em geral, e Jacob Gorender, em especial. Quanto ao segundo movimento, é exemplo paradigmático a trajetória profissional do pensador marxista baiano, após o lançamento de sua obra. Apesar da profunda erudição registrada em O escravismo colonial, as portas da academia, espaço ideal para a atualização, correção...

    8534  Palavras | 35  Páginas

  • REVISÃO DE HISTÓRIA DO DIREITO

    antigos documentos, pois o código civil de 1916, proibiu a criação de novas cobranças desses tipos, porém, manteve as que já existiam, além disso, o nosso atual ordenamento garante a intangibilidade do negócio jurídico perfeito. De acordo com o historiador Ronaldo Vainfas (Dicionário do Brasil Colonial – de 1500 a 1808), “as capitanias hereditárias constituíram a forma de administração inicial dos domínios atlânticos portugueses, primeiro nas ilhas atlânticas e depois no Brasil e em Angola [constituindo-se...

    6346  Palavras | 26  Páginas

  • TEORIA DA BUROCRACIA NA ADMINISTRAÇÃO

     1.1As origens da teoria da burocracia na administração. A origem da Burocracia data da antiguidade, como visto nos primórdios da administração, porém foi a partir da descoberta dos estudos de Max Weber, e com a tradução inglesa e a divulgação nos EUA desses estudos, que a administração e seus estudiosos, apropriaram-se dos conceitos da teoria weberiana adaptando-a aos pressupostos organizacionais administrativos da época.As falhas práticas das teorias acima citadas, a necessidade de um modelo...

    1814  Palavras | 8  Páginas

  • Burocracia

    CAPÍTULO III - Burocracia III.1 – Características da Burocracia De acordo com Max Weber, os atributos da burocracia moderna incluem a impessoalidade, a concentração dos meios da administração, um efeito de nivelamento entre as diferenças sociais e econômicas e a execução de um sistema da autoridade que é praticamente indestrutível. III.2 – Antecedentes A partir de 1940, surgiram críticas a teorias clássicas, pelo excesso de mecanicismo e à teoria das relações humanas. Alguns estudiosos foram...

    1133  Palavras | 5  Páginas

  • Historia Do Brasil I 1

    STUART B. SCHWARTZ SEGREDOS INTERNOS ENGENHOS E ESCRAVOS NA SOCIEDADE COLONIAL 1550-1835 Tradução: LAURA TEIXEIRA MOTTA Ia reimpressão COMPANHIA DAS LETRAS Em co-edição com o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico CNPq 9 ...

    28255  Palavras | 114  Páginas

  • Um estudo da teoria da burocracia como fio condutor na implantação do e-gov

    PREFEITURA MUNICIPAL DE GURUPI FUNDAÇÃO UNIRG FACULDADE UNIRG CURSO DE ADMINISTRAÇÃO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO UM ESTUDO DA TEORIA DA BUROCRACIA COMO FIO CONDUTOR NA IMPLANTAÇÃO DO GOVERNO ELETRÔNICO Acadêmica: Noadia de Oliveira Professor Orientador: Adm. Américo Ricardo Moreira de Almeida, Dr. Área de Concentração: Administração Geral Gurupi, outubro 2006 RESUMO Com as novas tecnologias encontra-se um tema muito discutido ultimamente, o governo eletrônico – a ação...

    15300  Palavras | 62  Páginas

  • Capítulos sobre o Socialismo - John Stuart Mill

    UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS FAFICH – POLITICA II – JUAREZ GUIMARÃES MARCELLA TRINCHERO – 2° PERÍODO Contextualização histórica e Bibliográfica de John Stuart Mill John Stuart Mill foi um filósofo e economista inglês, e um dos pensadores liberais mais influentes do século XIX, como utilistarista pregava a doutrina do máximo bem estar, isto é, ao contrário do egoísmo, a doutrina insiste no fato de que devemos considerar o bem-estar de todos e não o de uma única pessoa...

    4137  Palavras | 17  Páginas

  • caso concreto 2 direito do Brasil

    isso que até os dias de hoje figura a Carta Foral. O Foral de 1537, chega até os dias atuais legitimado, com força de lei, devido ao processo histórico, aos procedimentos administrativos e jurídicos adotados. 1ª QUESTÃO: De acordo com o historiador Ronaldo Vainfas (Dicionário do Brasil Colonial – de 1500 a 1808), “as capitanias hereditárias constituíram a forma de administração inicial dos domínios atlânticos portugueses, primeiro nas ilhas atlânticas e depois no Brasil e em Angola [constituindo-se...

    4086  Palavras | 17  Páginas

  • Análise de cenário segundo peter schwartz

    ANÁLISE DE CENÁRIOS, segundo Peter Schwartz Resumo O emprego de Cenário como ferramenta indispensável no processo de formulação de estratégias de negócios somente veio a ser empregado na segunda metade do Século XX, sendo Herman Kahn seu principal artífice, aquele que transplantou a técnica do regime militar para o ambiente empresarial. Outros destacados “Cenaristas” vieram em seguida, podendo ser lembrados, sem desmerecer os demais, Pierre Wack, Ted Newland, Napierr Collyns...

    3036  Palavras | 13  Páginas

  • A Família Escrava

    passando por considerações de Gilberto Freyre e Caio Prado Júnior, de integrantes da chamada “Escola Sociológica Paulista” tendo à frente o professor Florestan Fernandes até trabalhos mais recentes, com destaque para os trabalhos apresentados pelo historiador Robert Slenes. Iniciemos então nossa “viagem” dos Annales até Slenes. Da contraposição à história tradicional até a reviravolta historiográfica nas pesquisas e conclusões em torno da família escrava. Palavras-chave: trajetória historiográfica...

    12459  Palavras | 50  Páginas

  • Stuart Hall

     Stuart Hall cresceu em Kingston, na Jamaica, e estudou em Oxford, na Inglaterra, onde se estabeleceu como um dos principais sociólogos do país. Foi convidado por Richard Hoggart a ser um dos pesquisadores do Centro de Estudos Culturais Contemporâneos, na Universidade de Birmingham, ainda 1964. Seis anos mais tarde, ele se tornou diretor do Centro. Sendo um negro de um país colonizado vivendo em Londres, Hall passa a se questionar a respeito das identidades culturais. Mais tarde, teóricos encontram...

    3533  Palavras | 15  Páginas

  • sociedade açucareira

    dependência em relação ao mercado internacional, formaram o setor açucareiro. Os interesses comuns, porém, não asseguravam a ausência de conflitos no relacionamento. Os senhores de engenho consideravam os agricultores seus subalternos, que lhes deviam não cana - de - açúcar, mas também respeito e lealdade. As esposas dos senhores de engenho seguiam o exemplo, tratando como criadas as esposas dos agricultores. Com o tempo, esse grupo de plantadores independentes de cana foi desaparecendo, devido à dependência...

    1034  Palavras | 5  Páginas

tracking img