O negro antigamente

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 7 (1575 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 19 de novembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Universidade Presbiteriana Mackenzie
Centro de Comunicação e Letras- CCL

O negro e a Publicidade

Felipe Gonçalves


São Paulo
2011

Sumário


1.A figura do negro antigamente 3
2.O negro na publicidade atual 4 e 5
3. Análises: 5
3.1 Faculdade Anhanguera 6
3.2 Gol 7
3.3 Devassa 8
3.4 Avon 10
4. Conclusão 11
4.Referências Bibliográficas12


1. A figura do negro antigamente
No decorrer das últimas décadas o negro obteve uma participação considerável em peças publicitárias, principalmente após 1988 que houve a nova Constituição que passou a enxergar o racismo como crime.
Após a nova Constituição a mídia teve que se adequar muito mais e ter cuidado com os tipos de elaboração de peças. Contudo era muito comum osnegros serem estereotipados, aparecendo muita das vezes (em muitos casos nem aparecia a figura do negro) em cargos de serviços braçais, operários ou também relacionados a carência social e econômica etc. É importante frisar que o negro era excludente não apenas da publicidade em si, mais também de telenovelas,jornais etc, ele possuía um papel muito abaixo ao branco, era considerado o ex-escravo e nãouma pessoa participante dessa sociedade.
Uma pesquisa identificou em publicações feitas pela revista Veja entre 1985 e 2005 a participação do negro ao longo destes anos. Observaram que houve uma mudança quantitativa e que a presença do negro aumentou em 3% em 1985 para 13% em 2005 nas mídias.

Um dos raros anúncios com protagonistas negros veiculados no início do século, neste caso, no papelde consumidor de cerveja (1907) 
2.O negro e a Publicidade atual.
A publicidade atualmente está se adequando mais aos parâmetros de inclusão social. É perceptivo que os negros,hoje, possuem uma vasta parcela na sociedade de consumo ou também a chamada nova Classe C. Segundo dados do IBGE 7, a população brasileira é formada por 54% de pessoas brancas, 39,5% de pardas e 5,7% de negras,ou seja,45,2% de mestiços e negros, que correspondem a mais de 75 milhões de pessoas. Visto que os negros são quase 50% da população do Brasil, a publicidade começou a se direcionar e segmentar seus produtos, serviços diretamente a eles.
O negro sofreu uma grande e forte transformação gradual. Aparecem hoje em muitas peças,telenovelas, filmes como pessoas decisoras de opinião,muitas bem sucedidas,vitoriosos e não se enquadrando mais em um estereótipo caduco.Muitas empresas como,C&A e Boticário largaram na frente e abordaram em suas campanhas negros ,sendo eles os principais protagonistas de suas campanhas.
É comum vermos atualmente produtos segmentados diretamente para este público, como exemplo a empresa Dove, que direciona seus produtos(xampus e condicionadores) a negros, ou seja ,houve um despertar no qual as empresas perceberam que o este público também faz parte da nossa sociedade, é consumidor, e que era banal excluí-los por puro preconceito racial.Foi o que executivos de marketing em Salvador entenderam em seus planos e objetivos de marketing, que era necessário mostrar a “cara” do nosso país nas propagandas, colocando o negro como personagem principal e nãosecundário, como símbolo da nossa cultura.
Os personagens, atores negros também tem uma grande parcela nisso. Com toda essa inclusão do negro em novelas, peças publicitárias as agências publicitárias perceberam que estes ídolos afro-descendentes também eram capazes de influenciarem a população branca (seja na moda, esporta ou música) e ainda mais a população negra, por isso é muito comum vermos hoje, estesnegros que eram copeiros, serviçais, como gerentes, empresários etc.
3.Análises:

3.1 Faculdade Anhanguera
Nesta Peça da Faculdade Anhanguera em primeiro olhar,entende-se que houve um erro de impressão, ou também a questão de inclusão social. Contudo se analisarmos a peça iremos verificar:
* Analisando primeiramente o lado esquerdo da peça, o ator aparece negro, estudante, com a cor...
tracking img