O guarani

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 23 (5716 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 16 de setembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
INTRODUÇÃO
Como observa o próprio Alencar, nas "notas do autor", o título dado ao livro – "o guarani" – "significa o indígena brasileiro". Peri, pois, protagonista da história, seria não só o representante da grande nação tupi-guarani (da tribo dos goitacás), como também o símbolo do aborígine brasileiro em geral.
O Guarani foi publicado, inicialmente, sob a forma de "folhetim",de fevereiro a abril de 1857. Segundo consta, sua publicação fez grande sucesso na época, sendo os exemplares do jornal, em que era publicado, disputados avidamente pelo público leitor. O interesse era, talvez, semelhante ao que acontece hoje com as novelas de televisão.
Além de O Guarani, Alencar publicou diversos outros romances, sendo, até hoje, um dos autores mais lidos da literaturabrasileira. A crítica costuma dividir os seus romances em quatro grupos:
a) romances urbanos: A Viuvinha, Diva, Lucíola, Senhora, etc. cujo cenário é a corte do Rio de Janeiro;
b) romances históricos: As Minas de Prata e Guerra dos Mascates;
c) romances regionalistas: O Gaúcho, Sertanejo, O Tronco do Ipê;
d) romances indianistas: O Guarani, Iracema e Ubirajara.Importante observar que Alencar, no prefácio a Sonhos d' Ouro, classifica O Guarani como "romance histórico" – certamente levado por alguns elementos históricos que o livro apresenta. Mas, como observa Oscar Mendes, na introdução da coleção "Nossos Clássicos" (vol. 95), "achamos de melhor alvitre arrolar O Guarani entre os romances indianistas, onde melhor se enquadra, pois o fundoverdadeiramente histórico da narrativa e por demais limitado e sem importância". (p. 7).
O Guarani é um livro estruturado bem ao gosto romântico, pois o enredo contém ingredientes que 1he são próprios: amor, aventuras, vilões, além do exótico e do pitoresco dos personagens e do cenário.
A rigor, o livro (como, de resto, todo "romance romântico") é muito mais uma novela que um romance. Bastalembrar que existe uma nítida preocupação pelo enredo, o que não acontece com o verdadeiro romance, cuja característica básica é a análise. Além do mais, O Guarani apresenta superficialidade de caracteres, inexistindo, nas personagens, “densidade psicológica" e traços que as caracterizam e "personificam" dentro do livro. Em geral, observa-se que os personagens seguem linhas preestabelecidas, bem aogosto da época, com traços marcadamente simbólicos, inteiramente destituídas de "personalidade".
ENREDO E ESTRUTURA
Em síntese, em O Guarani se contam as dramáticas lutas do fidalgo português D. Antônio de Mariz contra os índios que lhe assediam a casa e terras e contra a revolta dos homens d'arma a seu serviço, estimulados pelo ex-frade italiano, Loredano. Encontra D. Antônio deMariz leal e dedicado aliado na pessoa do índio Peri, fascinado pela beleza celestial de Cecília, filha de D. Antônio. Peri salva mais de uma vez a vida de Ceci, como a chamava, e, tornado cristão, recebe do fidalgo português a missão de salvar-lhe a filha quando, impossibilitado de resistir por mais tempo à investida numerosa dos selvagens, resolve destruir sua casa para não se render.Paralelamente, narram-se também no livro os amores de Isabel, filha natural de D. Antônio de Mariz, e do jovem fidalgo D. Álvaro de Sá" ("Nossos Clássicos", p. 19).
Todos esses fatos são colocados, detalhadamente, nas quatro partes que compõem o livro:
Primeira Parte
A primeira parte, intitulada "Os Aventureiros", e que consta de quinze capítulos, faz uma descrição do lugaronde se achava a casa de D. Antônio de Mariz, situada às margens do rio Paquequer no interior do Estado do Rio. Está-se em 1604, época em que Portugal esta sob o domínio espanhol. Aliás, é por essa razão que o leal fidalgo português se refugia nesse recanto. Não pretendia prestar vassalagem ao rei da Espanha.
"– Aqui sou português! Aqui pode respirar à vontade um coração leal, que nunca...
tracking img