O dia em que a terra parou

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 16 (3843 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 12 de abril de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
A história também é simples, mas de extrema importância ainda hoje. Era um recado direto para as pessoas e principalmente para os governos que viam-se ameaçados sob a sombra de uma devastadora e até provável guerra nuclear. O alienígena Klaatu viajou, juntamente do robô Gort, por 200 milhões de milhas para chegar à Terra e mandar uma mensagem a todos os seus representantes: se continuaremconstituindo uma ameaça a outros planetas (com a criação de foguetes essa ameaça existiria em breve), todo o planeta deve ser exterminado! Porém, assim que chega à Terra – mais precisamente em Washington – as pessoas não parecem querer ouví-lo, e fazem de sua presença uma grande ameaça. Acuado, Klaatu (de aparência igual à dos terráqueos) vai conviver por um tempo com uma típica família de classe média,para decidir se vale a pena ou não tentar realmente salvar nosso planeta da destruição.

Introdução

Chama atenção a interessante e multifacetada produção acadêmica contemporânea sobre o cinema, que tem cada vez mais recebido adesão de teóricos de inúmeras disciplinas, como a própria teoria do cinema, a antropologia, a filosofia, a arquitetura e o urbanismo, a geografia e a história, entreoutras. A maioria desses estudos tem como foco as múltiplas relações do cinema com a cidade, sobretudo em filmes ficcionais: por um lado, deixam claro o quanto a cidade é elemento constante nos filmes; por outro lado, examinam as múltiplas e significativas interações entre a mais importante forma cultural e a mais importante forma de organização social do século XX. (1)

Além das tentativas de sedefinir exatamente o que seriam “cidade cinemática”, “paisagem cinemática” e “lugar cinemático”, (2) pode-se dizer, grosso modo, que esta produção tão fragmentada quanto interdisciplinar se divide em quatro abordagens:

A primeira é aquela dos autores que analisam o objeto audiovisual através de uma abordagem histórica, revelando o quanto o cinema desde suas origens foi uma forma deentretenimento essencialmente urbana, devendo muito de sua natureza ao desenvolvimento da cidade, por ser uma arte industrial e para a massa. (3)

A segunda abordagem de estudos conta com autores que apontam o fato de que os filmes, de forma cada vez mais presente, atuam sobre a construção e apreensão da “realidade”, tanto em um sentido econômico quanto estético, direcionando sua análise a fenômenoscontemporâneos diversos, tais como: as agências públicas, que sejam em escala federal, estadual ou nacional controlam a produção de filmes no que diz respeito ao gerenciamento dos espaços como locação cinematografia, a respectiva arrecadação e até mesmo o controle do conteúdo (4); os movimentos arquitetônicos de clara estética cinematográfica como o new urbanism (5); ou, por fim, o conteúdoespantosamente hollywoodiano do ataque de 11 de setembro de 2001, em Nova Iorque, que fez com que muitos se recusassem a acreditar na veracidade do que viam na televisão. (6)

A terceira forma de abordar o tema é a que se direciona à cidade apresentada e, portanto, representada nos filmes, ora priorizando análise, geralmente sincrônica, “morfológica” e “tipológica” do ambiente físico construído, discutindoas possíveis influências arquitetônicas, artísticas, econômicas ou político-sociais do período de cada filme sobre a maneira de representar as cidades, filmadas em locação ou construídas em estúdio. (7)

A última forma de abordagem também se direciona às representações das cidades nos filmes, mas se apóia em análise mais diacrônica e intertextual, concentrando-se na ação transcorrida durante ofilme, ou seja, na interação entre os personagens e no que é dito e vivido nos espaços. Dessa forma, demonstra-se o quanto cada filme, ao representar os lugares onde transcorre sua trama, pode vir a se apropriar de narrativas construídas e reproduzidas no cotidiano, em outros filmes ou outras mídias, sendo ele também influência para outras representações e para a inteligibilidade da realidade. (8)...
tracking img