O desenvolvimento do sentimento materno

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 15 (3560 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 27 de agosto de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Faculdade Cenecista de Osório
Curso de Psicologia
Disciplina de Metodologia da Pesquisa Científica





Keiciane Valduga
Joice Rabello









O DESENVOLVIMENTO DO SENTIMENTO MATERNO EM
MÃES ADOTIVAS





















Osório
2012
Keiciane Valduga
Joice RabelloProjeto de pesquisa apresentado a disciplina Metodologia da pesquisa Científica do curso de Psicologia, da Faculdade Cenecista de Osório.

Orientador: Professor Dr. Edison Luiz Saturninho










Osório
2012




































“Adotar é acreditar que a história é maisforte que a hereditariedade, que o amor é mais forte que o destino.”

Lídia Weber



INTRODUÇÃO


Quando pensamos em maternidade geralmente associamos ao período da gravidez e do nascimento da criança, passando desde o desejo de ser mãe até a concretização deste sonho. Porém a adoção é uma forma diferente de construção familiar, onde existem diversos aspectos jurídicos,sociais e psicológicos implicados e, ainda assim, é uma maneira da mulher exercer a tão esperada maternidade.

A adoção é caracterizada por sua duplicidade, de um lado, nos deparamos com uma família que não foi capaz ou não deseja se ocupar de uma criança e, de outro, tem-se pessoas que, muitas vezes inférteis, encontram-se desejosas de exercer a parentalidade.

O artigo oito daConvenção dos Direitos da Criança prevê que é um direito da criança viver com seus pais, exceto em casos que a separação seja necessária para o interesse da própria criança. Quando a desorganização familiar chega a ponto judicial é porque se trata de uma situação bastante grave e estas crianças, abandonadas ou retiradas de um ambiente familiar precário, são disponíveis a adoção, onde espera-se que os paissubstitutos possam oferecer uma base segura para o desenvolvimento da criança (CHAVES, 2002).

Acredita-se que os sentimentos dos pais adotivos interferem no exercício da parentalidade, podendo haver uma angustia e desapontamento dos pais diante de questões como a espera pelo filho, as fantasias criadas sobre a criança e a não hereditariedade genética e, apesar do grande número depesquisas sobre adoção, poucos estudos têm se centrado nos pais adotivos, seus sentimentos e desejos em relação ao processo de adoção (SONEGO, 2007).

Para Freud (Apud SONEGO, 2007) o desejo de ter filhos estaria fortemente ligado a questões narcisísticas, visto que possibilitaria uma vizualização de si mesmo na criança, entretanto, em casos de adoção questiona-se de que forma este narcisismoseria revivido. É aparente que muitos destes pais fazem uma idealização da criança a ser adotada, bem como é feita uma idealização do filho biológico durante o período de gravidez, esta idealização pode ser percebida pelo fato conhecido de que a maior parte das pessoas aguardando na fila de adoção tem preferência por crianças com menos de um ano de idade e com maior semelhança possível com o casaladotante.

O desejo de ter filhos pode vir de questões do psiquismo da mulher trazidas da infância, no período pré-edípico, onde se tem uma identificação com a mãe, e no período edípico da menina, quando se tem o desejo de ser como a mãe, bem como de questões históricas, trazidas ao longo dos séculos, da importância da maternidade para plenitude feminina e do mito do amor incondicionalmaterno (SONEGO, 2007).

Devido centralização da mãe no seu filho, no destaque dado a esta relação mãe/bebê e a importância do desejo materno, consideramos relevante o desenvolvimento de uma pesquisa voltada ao funcionamento desta experiência materna em casos de adoção, trazendo o problema de pesquisa:

Como se dá a experiência da maternidade e a construção da identidade materna em mães...
tracking img