De roma ao absolutismo

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 29 (7030 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 27 de agosto de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
CURSO AÇÃO PREPARATÓRIOS

De RoMa
AO ABSOLUTISMO

História - EJA
Elaboração: Professora Maria Claudia Carvalho

ROMA- Cidade-Estado

Período Monárquico - surgiu por volta do século VIII a.C., no Monte Palatino. Formada por comunidades composta de aldeias latinas. Os etruscos dominavam o norte, paradesenvolver seu comércio entraram em Roma por volta de 600 a.C. Ao estabelecerem-se na cidade, ligaram-se às famílias ricas por casamento ou prestação de serviços. Alguns reis romanos foram etruscos.

Período Republicano – os reis foram substituídos por dois cônsules escolhidos pelos patrícios no Senado. As magistraturas eram cargos responsáveis pela administração pública. Os patrícios queelegiam os magistrados e os senadores e, podiam ser eleitos para os cargos. Os plebeus elegiam os magistrados, mas não podiam ser candidatos.

* Divisão da sociedade
* Patrícios (patres=pais, chefes de família) – ricos donos de terras. Aristocracia romana minoria no topo econômico e político.
* Plebeus (plebs = multidão) – pobres, agricultores ou artesãos, trabalhavam para os patrícios.* Clientes – grupo intermediário. Pobres, escravos libertos, estrangeiros ou filhos ilegítimos. Não tinham direitos e dependiam dos patrícios.
* Escravos.

* Magistrados (principais)
* Cônsules – eleitos para mandato de 1ano. Responsáveis pelo comando dos exércitos em tempo de guerra presidiam o Senado e os comícios.
* Pretores – responsáveis pela justiça.
* Censores –faziam contagem da população, controlavam a conduta do cidadão e supervisionavam as despesas públicas.
* Édis – cuidavam do abastecimento da cidade, segurança, pavimentação etc.

Embora as duas classes participassem da vida pública, o voto do cidadão rico valia mais. Assim, os patrícios controlavam as eleições. Em tempos de guerra, os plebeus ficavam com a menor (às vezes nenhuma) parte doespólio de guerra.
Quando se viam obrigados a contrair empréstimos por algum motivo (dando sua propriedade como garantia) e não pagavam a dívida, perdiam tudo e até a liberdade, tornando-se escravos.

As revoltas trouxeram conquistas:
* 494 a.C. Tribuno da plebe – direito de eleger um magistrado que poderia vetar as decisões dos cônsules. Possuíam imunidade.
* 450 a.C. – as leispassam a ser escritas. redigem a Lei das Doze Tábuas, regulando alguns direitos.
* 367 a.C. – conquistaram o direito de se candidatar à cônsul.
* 326 a.C. – fim da escravidão por dívida.

Período Imperial – o que mudou a vida política foi o crescimento do poder dos generais. Eles dividiam as riquezas dos povos vencidos também com os mais humildes soldados da infantaria. Esses soldadostornaram-se mais ligados a seus generais.

Júlio César – com o objetivo de monopolizar o poder em Roma e nos territórios conquistados, manipulou um pacto com os generais Crasso e Pompeu formando o Primeiro Triunvirato. O acordo finda com o a morte de Crasso. Após a Segunda Guerra Civil (49-45 a.C.) César vence a disputa. Declarado ditador vitalício pelo senado, com habilidade anistiou inimigos,reformou a administração pública e atendeu as demandas sociais.
Após o assassinato de César pelos senadores, formou-se o Segundo Triunvirato com Marco Antônio, Octávio e Lépido. Em pouco tempo Octávio descartou Lépido e depois de uma guerra sangrenta, venceu o exército de Marco Antônio. Tornou-se governador supremo, o primeiro Imperador.
O Império romano atingiu o tamanho máximo noséculo III d.C., dominando uma área da Europa, Ásia, África onde hoje se localizam trinta países. Dois séculos depois, Roma perdeu a capacidade de controlar o Império. Os exércitos passaram a servir para a defesa das fronteiras.
O Estado romano gastava muito com funcionários, obras públicas, fortificações militares. Sem dinheiro, não havia como montar um exército confiável. Os imperadores...
tracking img