O brincar na infancia

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 79 (19714 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 1 de junho de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
UNIP - UNIVERSIDADE PAULISTA
Instituto de Ciências Humanas
Curso de Psicologia

BRINCAR
O BRINCAR NA INFÂNCIA: Resgate da Memória do Idoso pelas Brincadeiras Infantis

DAYANE CRISTINA BREVIGLIERI RA 1909835
GISELE LOPES DA COSTA RA 1536125
MARA MARCIENE CUSTÓDIO RA A13IIA1
NÍVEA A. A. BARRETO RA 9940138


CAMPUS-LIMEIRA
NOVEMBRO 2010
UNIP - UNIVERSIDADE PAULISTA
Institutode Ciências Humanas
Curso de Psicologia

DAYANE CRISTINA BREVIGLIERI RA 1909835
GISELE LOPES DA COSTA RA 1536125
MARA MARCIENE CUSTÓDIO RA A13IIA1
NÍVEA A. A. BARRETO RA 9940138

BRINCAR
O BRINCAR NA INFÂNCIA: Resgate da Memória do Idoso pelas Brincadeiras Infantis

Pesquisa apresentada para a disciplina de Pesquisa de Campo em Psicologia Social, no 5/6° semestre diurno do cursode Psicologia, campus Limeira, sob a orientação do Professor Ms. Osvaldo Rocha.

CAMPUS-LIMEIRA
NOVEMBRO 2010

AGRADECIMENTOS

Agradecemos primeiramente á Deus e ao mestre Jesus Cristo, amigo sempre presente, sem o qual nada teríamos feito.
As escolhas têm seu preço e um pesquisador, mesmo que aprendiz, normalmente se distancia dos familiares e amigos. Agradecemos por toda a paciência denossos familiares, principalmente dos companheiros de jornada, nos diversos momentos desta pesquisa.
Ao Professor Osvaldo Rocha, que nos acompanhou, e com muita dedicação e paciência contribuiu para a realização desse projeto, que foi de grande contribuição para nossa vivência acadêmica.



“Não quero adultos nem chatos.
Quero-os metade infância e outra metade velhice!Crianças, para que não esqueçam o valor do vento no rosto
E velhos, para que nunca tenham pressa”.

Oscar Wilde

RESUMO

BARRETO, N. A. A; BREVIGLIERI, D. C; COSTA, G. L; CUSTÓDIO, M. M.; ROCHA, O. S. (Orientador). O Brincar na Infância: Resgate da Memória do idoso pelas brincadeiras infantis. Pesquisa de Campo em Psicologia Social, Curso de Psicologia, Instituto de Ciências Humanas, UNIP- Universidade Paulista. Limeira - São Paulo, 2010.

O objetivo principal desta pesquisa foi analisar como as brincadeiras foram se perdendo ao longo do tempo, sendo substituídas por jogos eletrônicos, bem como qual é a visão do idoso em relação às brincadeiras atuais e as de seu tempo.
Realizamos entrevistas com idosos abrigados e não abrigados, ainda exercendo suas atividades profissionais.As entrevistas foram gravadas e transcritas e registramos todas as atividades em diário de campo. A partir dos registros fizemos a sistematização dos dados, caracterizando as brincadeiras e sua importância na visão do idoso. Usamos para tanto teorias do desenvolvimento humano e teorias sobre a importância das brincadeiras nesse desenvolvimento, bem como o resgate da memória do idoso, como ponteentre passado e presente.
Compreendemos a importância do brincar como agente mediador no desenvolvimento humano, a contribuição que exerce na formação de pessoas saudáveis física e emocionalmente, e as condições da sociedade atual sob a influência do capitalismo e da violência que aumenta dia a dia, isolando a criança do convívio social.
Nesse panorama, temos hoje crianças brincando sozinhas empequenos espaços com jogos eletrônicos, sem desenvolver suas potencialidades, tornando-se adultos extremamente individualizados. Ainda vemos cada vez mais os idosos sendo desvalorizados, eles não tem mais voz. Toda contribuição do idoso para a sociedade é apagada, como se apagassem uma luz. Quando este encontra ouvidos atentos sua vida ganha sentido, sente-se competente e recolhe alento de outrasépocas.
Através da memória do idoso podemos conhecer uma diversidade do mundo social, pela sua evocação poderíamos humanizar mais o presente. Existem possibilidades de resgate das brincadeiras antigas, basta boa vontade. Assim possibilitaríamos infâncias mais saudáveis para nossas crianças, bem como isso seria um meio de perpetuar nossa cultura, através das brincadeiras e das histórias...
tracking img