A vida do abolicionista luiz gama

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 14 (3427 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 28 de maio de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Pontifícia Universidade Católica de Goiás
Disciplina: História do Direito
Curso: Direito Turma: B05
Professora: Lazara Alzira
Alunos:
Jéssika Barros de Oliveira
Dandara Carvalho Carrijo



Tema:

Para Além dos Tribunais

Goiânia, Maio de 2012

Índice

• Introdução
• Biografia de Luiz Gama
• Jornalismo
• Carreira política
• MovimentoAbolicionista
• Falecimento de Luiz Gama
• Luiz Gama como poeta
• Homenagens feitas a Luiz Gama
- Estação ferroviária
- Estatua de bronze
- Rua Luiz Gama
- Eternamente Gama
• Obras a partir de Luiz Gama
- Primeiras Trovas Burlescas - Luiz Gama
- Com a palavra, Luiz Gama - Imprensa Oficial do Estado de São Paulo
- O advogado dos escravos - Nelson Câmara
- Luiz Gama - Luiz CarlosSantos
- Luiz Gama - A luta de cada um - Myriam Fraga
• Bibliografia

Introdução

Apresentaremos no trabalho uma breve sinopse dos direitos aos escravos e o período de luta pelo processo de iniciação do movimento abolicionista no Brasil, o qual representaremos neste por um dos mais renomados lideres deste movimento: Luiz Gonzaga Pinto da Gama.

BiografiaLuiz Gonzaga Pinto da Gama

Fruto de um envolvimento entre um fidalgo Português e uma famosa quitandeira de origem Africana porem livre, nasce no dia 21 de junho de 1830 na cidade de Salvador Bahia, Luiz Gonzaga Pinto da Gama.
Criado pela parte materna Luiz cresceu em meio a uma infância conturbada, onde por diversas vezes presenciou aprisão de sua mãe ao lutar em rebeliões junto aos escravos, tais como a Revolta dos Malês onde ela foi uma das principais figuras sendo mais tarde acusada de participação e exilada para a cidade do Rio de Janeiro, onde desapareceu. Passado a ser cuidado pela parte paterna Luiz é obrigado a converte-se para o Cristianismo, sendo só aos oito anos de idade batizado. Seu pai um grande nobre pertencente auma rica família baiana era amante da boa vida e dos jogos de azar, e acaba contraindo uma grande divida proveniente de jogos.
Assim no dia  10 de novembro de 1840, o pai decide vender ilegalmente o jovem, então com dez anos de idade como escravo, entregando-o como pagamento ao comerciante Vieira que no mesmo ano o vendeu num lote com mais de cem escravos ao alferes Antônio Pereira Cardoso quetencionava comercializa-lo, porem como os escravos baianos eram conhecidos por suas rebeldias, o mercador não conseguiu o seu intento e acabou por confina-lo como escravo na pensão que possuía na capital de São Paulo.
Na pensão Luiz realizando serviço aprende os ofícios de um escravo doméstico tais como copeiro, sapateiro, lavar, passar e engomar. E nesta mesma pensão no ano de 1847,instala-se como hospede Antônio Rodrigues do Prado Júnior, que se afeiçoando a Luiz, ensina-o a ler e a escrever.
Mesmo com o pouco conhecimento que adquiriu, Luiz conscientiza-se de que sua situação era ilegal já que a mãe não era escrava, e foge para a cidade de São Paulo aos 18 anos de idade, onde começa a servir ao exercito. Por volta de 1850 casa-se e passa a frequentar como ouvinte as aulasde Direito na Faculdade do Largo de São Francisco porem não chega a completar o curso devido ao exercito, onde serviu ate o ano de 1854 quando foi detido por trinta e nove dias e posteriormente expulso por conflitos com um oficial. Assim foi trabalhar como amanuense da Secretaria de Polícia, onde era o responsável pela correspondência e por copiar e registrar documentos. Porém foi demitido do cargo porapresentar uma posição de defesa dos direitos dos escravos.

O Jornalismo

Dispensado do serviço público por apresentar uma posição de defesa dos direitos dos escravos, Luiz Gama passou a se dedicar com maior afinco a colaborar com diversos jornais periódicos.
Fundou em 1864 o jornal satírico “Diabo Coxo”. Seu título esperto e maldoso vem da tradição, de séculos, de...
tracking img