A sociedade de consumo

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 3 (695 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 24 de junho de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
Análise do livro:
A SOCIEDADE DE CONSUMO
Baudrillard, jean

Jean Baudrillard nasceu em Reims, nordeste da França, em 27 de julho de 1929. Seus avós eram camponeses e seus pais eram funcionáriospúblicos. Baudrillard se tornou o primeiro de sua família a cursar uma universidade quando se mudou para Paris para assistir as aulas de Sorbonne.
Enfrentou uma época bastante conturbada em seu país,como a depressão da década de 1930. Sociólogo, poeta e fotógrafo, este personagem polêmico desenvolve uma série de teorias que remetem ao estudo dos impactos da comunicação e das mídias nasociedade e na cultura contemporâneas.  Partindo do princípio de uma realidade construída (hiper-realidade), o autor discute a estrutura do processo em que a cultura de massa produz esta realidade virtual.Suas teorias contradizem o discurso da "verdade absoluta" e contribuem para o questionamento da situação de dominação imposta pelos complexos e contemporâneos sistemas de signos. Os impactos dodesenvolvimento da tecnologia e a abstração das representações dos discursos são outros fenômenos que servem de objeto para os seus estudos. Sua postura profética e apocalíptica é fundamentada através de teoriasirônicas que têm como objetivo o desenvolvimento de hipóteses e polêmicas sobre questões atuais e que refletem sobre a definição do papel que o homem ocupa neste ambiente.
Principais Obras
Osistema dos objetos (1968)
O efeito Beaubourg: implosão e dissuasão (1977)
À sombra das maiorias silenciosas (1978)
Da Sedução (1979)
Simulacros e Simulação (1981)
América (1988)
Cool MemoriesI (1990)
A Transparência do Mal: Ensaio sobre os fenômenos Extremos (1990)
A troca impossível (1999)
O lúdico e o policial (2000)

Aumento do consumo criado pela multiplicação dos objetos, dos serviços,dos bens materiais.




“Como a criança-lobo se torna lobo à força de com eles viver, também nós, pouco a pouco, nos tornamos funcionais”. (BAUDRILLARD)

“Aqui, a marca desempenha um...