A origem e o desenvolvimento da sociologia da educação

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas: 5 (1142 palavras)
  • Download(s): 0
  • Publicado: 28 de maio de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
SOCIOLOGIA DA EDUCAÇÃO: origem e desenvolvimento

ORIGEM DA SOCIOLOGIA

* Surge no contexto histórico da desagregação da sociedade feudal e da consolidação da sociedade capitalista.
* “A sua criação não é obra de um único filósofo ou cientista, mas representa o resultado da elaboração de um conjunto de pensadores que se empenharam em compreender as novas situações de existência queestavam em curso.” (MARTINS, 1994, p.11)
* As transformações que ocorreram no século XVIII representam um marco importante para a história do pensamento ocidental e para o surgimento da sociologia.
* A dupla revolução que este século testemunha – a industrial e a francesa – constituía os dois lados de um mesmo processo, qual seja, a instalação definitiva da sociedade capitalista. A palavrasociologia apareceria somente um século depois, por volta de 1830 [...]” (MARTINS, 1994, p.11)

ORIGEM DA SOCIOLOGIA DA EDUCAÇÃO

* Os estudos sociológicos da educação se situam, originalmente, na primeira metade do século XX.
* Foi a partir dos anos 1940 e principalmente nos anos 1950 e 1960 que a sociologia da educação se constituiu como campo de pesquisa específico. (FERREIRA, 2006)ORIGEM
Karl Mannheim
Talcott Parsons
1950 - A sociologia da educação nasce como disciplina autônoma na Europa - Émile Durkheim.
1960 - Maior projeção com status de área de conhecimento na Educação.

Karl Mannheim
* Propõe que a sociologia sirva de embasamento teórico para educadores e educandos.
* Defende a formulação de projetos educacionais que ampliassem o horizonte dohomem, que superassem as divisões em blocos políticos.
* Contribuiu para que a Sociologia da Educação se constituísse como um campo específico de estudos.
* Propõe a “educação sadia” com a contribuição da coletividade no processo educacional.

Talcott Parsons
Define a educação a partir de dois aspectos centrais:
1) Como espaço de socialização, com valores, normas e saberes queasseguram a integração social;
2) Como instância de seleção social que deve contemplar, dentro da ordem e da harmonia, uma divisão do trabalho cada vez mais complexa. POSITIVISTA/FUNCIONALISTA

ÉMILE DURKHEIM
Para ele, a educação consiste numa socialização metódica das novas gerações.
A educação é um importante fator de coesão social.

DESENVOLVIMENTO

1º MOMENTO - Até a década de 1960:* A educação é concebida como fator de democratização e distribuição de renda – caráter funcionalista.
* A educação é reconhecida como instância de modernização social.
(FERREIRA, 2006)
* Até ao final dos anos 50, os responsáveis políticos, quer americanos quer ingleses, afirmam-se empenhados em promover o acesso à escola de camadas populacionais cada vez mais vastas, com oargumento de que desta forma se construiria a sociedade livre, igual e fraterna que o liberalismo há muito vinha prometendo. (MÓNICA, 1977)

O enfoque funcionalista apresentava duas variantes:

* 1ª - Teoria técnico-funcional: o papel da educação era dar respostas às necessidades crescentes de formação técnica e científica.
* 2ª - Teoria do capital humano: relaciona educação cominvestimento econômico e produtividade. A educação é vista como investimento e aspecto fundamental para o desenvolvimento da economia. (FERREIRA, 2006)

2º MOMENTO – Décadas de 1960 e 1970

* A educação passou a ser vista como um instrumento de manutenção do poder e das desigualdades sociais porque não estava atendendo as expectativas em relação aos seus efeitos sociais dedemocratização e modernização.
Surge um desencantamento em relação à educação por não garantir o desenvolvimento econômico, a estabilidade e a distribuição da riqueza. (FERREIRA, 2006)
* Sociólogos da educação passam a analisar as razões do fracasso das políticas educacionais baseadas no slogan da igualdade de oportunidades, tendo reconhecido que os planos liberais falharam por terem escamoteado...
tracking img