A importância da assistência pré-natal na prevenção da morte materna por síndrome hipertensiva na gravidez.

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 13 (3118 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 1 de março de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
A IMPORTÂNCIA DA ASSISTÊNCIA PRÉ-NATAL NA PREVENÇÃO DA MORTE MATERNA POR SÍNDROME HIPERTENSIVA NA GRAVIDEZ.

The importance of assitance pré-christimas in the prevention of death by maternal lot hipertensiva in pregnancy.



A IMPORTÂNCIA DA ASSISTÊNCIA PRÉ-NATAL NA PREVENÇÃO DA MORTE MATERNA POR SÍNDROME HIPERTENCIVA NA GRAVIDEZ.

The importance of assitance pré-christimas in theprevention of death by maternal lot hipertensiva in pregnancy.

Resumo: a síndrome hipertensiva representa uma das complicações medicas mais comuns na gravidez e constitui uma das principais causas de morte materna e perinatal no Brasil (1).
Segundo Huddeleston & Ferguson (2) , desenvolve-se geralmente após 20 semanas de gestação e desaparece após o 10º dia pós-parto essa síndrome é classificada comopré-eclampsia ou eclampsia.
Grande parte destas mortes poderia ser evitada mediante a adoção de medidas relativamente simples, entre as quais a melhoria da qualidade de vida, a garantia de assistência no período gravídico puerperal e acesso aos serviços de saúde. O desafio dos profissionais de saúde, autoridades políticas e, principalmente, dos membros da comunidade seria lutar e garantir asmulheres, as medidas de promoção e recuperação de doenças, em todo o seu processo de vida e, mas especificamente, no ciclo gravídico puerperal, direito já instituído legalmente, mas não de fato (3).

Descritores: morte materna, síndrome hipertensiva e assistência pré-natal.

Abstract: The syndrome hypertension represents one of the common medical complications in the pregnancy and it constitutesone of the main causes of maternal death and perinatal in Brazil. According to Huddeleston & Ferguson, usually grows after 20 weeks of gestation and it disappears after the 10th postpartum day, that syndrome is classified with pré-eclâmpsia or eclâmsia.
Great part of these deaths could be avoided by the adoption of measures relatively simple, among the ones which the improvement of the lifequality, the warranty of attendance in the period pregnant puerperal and acess to the services of health. The professional’s of health challenge, political authorities and, mainly, of the community’s members it would be to struggle and to guarantee to the women, the promotion measures and recovery of the health prevention of diseases, in all his/her life process and, more specifically, in the cyclepregnant puerperal, right already instituted legally, but no in fact.

Descriptions: maternal death, syndrome hypertensive, prenatal care.

1. INTRODUÇÃO
Complicações hipertensivas na gravidez são a maior causa de morbidade e mortalidade materna e fetal; ocorrem em cerca de 10% de todas as gestações; são mais comuns em mulheres nuliparas, em gestação múltipla, mulheres com hipertensão há maisquatro anos, história de hipertensão em gravidez previa e de doença renal, ou mulheres com história familiar de pré-eclampsia (3). E o Fundo das Nações Unidas para a Infância (3) estimam que, em todo o mundo cerca de meio milhão de mulheres morrem anualmente por causa das mortes maternas, 95% das quais ocorrem nos países em desenvolvimento, onde nem sempre os óbitos resultantes de morte materna sãocorretamente notificados pelas autoridades de saúde, seja por negligencia, descaso ou ignorância (4). Nestes países, morrer de parto, quase sempre, significou um acontecimento natural na vida da mulher, decorrente de sua fragilidade e desígnios de Deus, não se constituindo um problema social. Yunes e Mora (5) ratificam a idéia supracitada, ao ressaltar que na América Latina e Caribe, amortalidade materna representa um problema social e de saúde publica de grande relevância, porém a sua magnitude permanece desconhecida em razão do sub-registro. Nesta perspectiva, faz-se necessário um controle mais eficaz das notificações das mortes maternas, o preenchimento correto de óbitos pelos profissionais de saúde, a vigilância freqüente e avaliação das causas geradoras destes óbitos pelo comitê....