A defesa do continente americano na segunda guerra mundial: a importância brasileira na guerra

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 15 (3713 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 26 de dezembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL – UFRGS FACULDADE DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS CURSO DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS

A defesa do continente americano na Segunda Guerra Mundial: a importância brasileira na guerra

GIORDANO BRUNO ANTONIAZZI RONCONI PROFESSOR JOSÉ MIGUEL QUEDI MARTINS História das Relações Internacionais II

Porto Alegre 2011

SUMÁRIOIntrodução....................................................................................................................2

1) As relações entre os EUA e a América Latina pré-segunda guerra........................3

2) A elaboração de defesa do Hemisfério Ocidental....................................................6

3) A importância do Brasil: um caso contrafatual........................................................8Conclusão.....................................................................................................................11

Referencias bibliográficas............................................................................................12

1

Introdução
As decisões estratégicas do Estados Unidos da América foram, sem dúvida alguma, essenciais para que a vitória dos Aliadosfosse assegurada na segunda guerra mundial. Em seus planos de guerra, tendo em vista sempre a segurança nacional, tinha-se como prioridade garantir tal segurança por meio da defesa do continente americano. No entanto consolidar tal objetivo até o fim da guerra foi uma tarefa árdua e complicada. A política externa foi o fator essencial para criar uma atmosfera de cooperação continental e procurarobjetivos e opiniões comuns. Não obstante, seria essa política que procuraria legitimar qualquer ação feita pelos Estados Unidos, variando de ajuda econômica e militar para uma intervenção armada com fins pacificadores. Logo, cabe mencionar que as reações dos países americanos, principalmente os da América do Sul, frente à política estado-unidense serão variadas e singulares. Contudo, com uma ameaçade guerra global, procura-se criar a manifestação de um sentimento conjunto do Novo Mundo frente aos acontecimentos ocorrendo no Velho. Todavia, com a guerra alcançando ao continente americano e com as singularidades econômicas, políticas e sociais que os Estados nesse território possuem, abre-se espaço para formulações de questionamentos referentes ao processo de defesa desse continente. Paraisso, será desenvolvido, após analisar as relações internacionais da América Latina, um contrafatual tendo como estudo de caso o Brasil. Desse modo, procurar-se-á identificar a verdadeira importância que este país teve para a defesa do hemisfério ocidental e, concomitantemente, para as vitórias dos Estados Unidos na Segunda Guerra Mundial.

2

1) As relações entre os EUA e a América Latinapré-segunda guerra
Após a Primeira Guerra Mundial, os Estados Unidos mostraram que possuíam capacidades de uma grande potência no cenário global, deixando em evidência a ascensão de uma hegemonia regional. Contudo, as esferas de influência estado-unidense variam muito no período entre-guerras. Cabe assim analisar que, para uma futura defesa de todo o continente americano no prelúdio da Segunda GuerraMundial,seria necessário um grau elevado de cooperação para garantir a legitimidade das ações estado-unidenses. Já no fim do século XIX, havia-se a idéia de expandir o Destino Manifesto e a Doutrina Monroe para o resto das Américas. Até então, estes dois ideais procuravam consolidar a expansão territorial dos Estados Unidos e garantir a sua soberania sobre os territórios conquistados. A expansãopode ser entendida por meio da criação da União panamericana que tinha dois objetivos básicos:
“A formação de uma união aduaneira continental e a formulação de um mecanismo de arbitragem obrigatória e exclusiva dos Estados Unidos nos assuntos americanos. A União Pan-americana orientado por estes objetivos beneficiaria em larga medida os Estados Unidos, e traduzir-se-ia num maior afastamento...
tracking img