A decada de 50

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 10 (2490 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 16 de novembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Introdução

Getúlio Vargas no dia 03 de outubro de 1950, foi reeleito presidente, esse período presidencial foi caracterizado por uma política econômica de caráter nacionalista e que objetivou conciliar as demandas populares com as exigências das acelerações do crescimento econômico, além de atender ao pacto político que garantiria a permanência de Vargas no poder.
O governo projetou duasdiretrizes que tinha como objetivo à superação do estágio de desenvolvimento brasileiro: a participação decisiva do Estado e setores privados nacionais no processo de industrialização e também o estímulo à entrada de capital estrangeiro.
O Brasil enfrentava uma grande inflação derivada pelos altos preços alcançados pelo café no mercado internacional que expandiu a quantidade de moeda em circulação.O país defrontava com o seu próprio crescimento industrial, incompatível com a estrutura energética e de transportes.

Cap 1 O Novo Governo de Vargas

Getúlio Vargas tomou posse no dia 31 de Janeiro de 1951; iniciou seu governo tentando desempenhar, nas condições de um regime democrático, um papel que já desempenhara: o de árbitro diante das diferentes forças sociais; escolheu um ministériobastante conservador, com ampla predominância de figuras do PSD.
Entretanto, para o cargo estratégico de ministro da Guerra, nomeou o general Estillac Leal, um antigo tenente, presidente do Clube Militar, ligado à corrente nacionalista do Exército.

Cap 2 Divisões no Exército: Nacionalistas versus “Entreguistas”

A referência a uma corrente no interior do Exército já indica que as diferençasde opiniões entre membros das Forças Armadas tinham, com o tempo, se cristalizado em perspectivas conflitantes.
Essas perspectivas se relacionavam com as divisões que ocorriam na sociedade e tinham uma dimensão específica, no âmbito da instituição militar.
A divisão básica se dava entre nacionalistas e seus adversários, chamados depreciativamente de “entreguistas”. Ela alcançava tanto os temasda política econômica interna como a posição do Brasil no quadro das relações internacionais.
Os nacionalistas defendiam o desenvolvimento baseado na industrialização, enfatizando a necessidade de se criar um sistema capitalista internacional; Dava ao Estado um papel importante como regulador da economia e como investidor em áreas estratégicas- petróleo, siderurgia, transportes, comunicações.
Osentreguistas defendiam uma menor intervenção do Estado na economia, não davam tanta prioridade à industrialização e sustentavam que o progresso do país dependia de uma abertura controlada ao capital estrangeiro. Sustentavam ainda uma postura de rígido combate à inflação, através do controle da emissão de moeda e do equilíbrio dos gastos do governo.

Cap 3 O Quadro Econômico- Financeiro

Noinício da década de 50, o governo promoveu várias medidas destinadas a incentivar o desenvolvimento econômico, com ênfase na industrialização. Foram feitos investimentos públicos no sistema de transportes e de energia, com a abertura de um crédito externo de 500 milhões de dólares. Tratou-se de ampliar a oferta de energia para o Nordeste e equacionou-se o problema do carvão nacional. Em 1952, foifundado o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico (BNDE), diretamente orientado para o propósito de acelerar o processo de diversificação industrial.
Vargas ao mesmo tempo em que tratava de dinamizar a economia, se via diante de um problema com fortes repercussões sociais que era o avanço da inflação. A pressão inflacionária decorreu de vários fatores por exemplo: a forte alta dos preçosinternacionais do café, em 1949, gerou um aumento da receita em divisas resultaram em aumento do volume de moeda em circulação, estimulando a procura de bens e a elevação de preços. Ao eclodir a Guerra da Coréia, o governo se endividou no exterior, financiando importações adicionais, pois esperava-se um acentuado aumento de preços e dificuldades para as importações, em decorrência do conflito.
Outro...
tracking img