Igreja, cultura medieval e baixa idade média

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 15 (3633 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 16 de novembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Centro de Educação Estudos e Pesquisas Régis Pacheco



Taís Dias dos Santos







Igreja, Cultura Medieval, Baixa Idade Média





















Jequié/2012
Taís Dias dos Santos




Igreja, Cultura Medieval, Baixa Idade Média































Jequié/2012


SUMÁRIO



1- Introdução - - - - - - - - - -- - - - - - - - - - - - - - - - - - 05
2- desenvolvimento - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -06
3- Influencia da igreja - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - --07
4 - conclusão - - - - - - - - - - - -- - - - - - - - - - - - - - - - -09
5- Bibliografia - - - - - - - - - - - - - - - - - - -- - - - - - - - - 10Jequié/2012
Introdução

Quando se fala em idade média, logo vem a mente perseguição religiosa, pessoas torturadas, cavaleiros, reis poderosos e a igreja no controle da vida das pessoas.
 
Mas além de coisas desagradáveis, houve outros fatos que foram de importância para a história e que ocorreram na idademédia. Por exemplo: o avanço do cristianismo como força unificadora da Europa; o desenvolvimento das línguas e literatura européia; a criação de universidades, igrejas, arte gótica e entre muitos outros.
 
Durante o reinado dos merovíngios, não havia tantos locais para instrução escolar, a não serem as escolas episcopais, mantidas pelos bispos com o objetivo de garantir a continuaçãode novos clérigos, e os mosteiros, locais onde os monges se dedicavam, entre outras coisas, a copiar manuscritos antigos. Com isso a igreja  conseguiu deter boa parte do conhecimento durante a idade média. Porque o clero era a elite intelectual e suas escolas eram fontes exclusivas do saber na Europa Ocidental.
 
A grande influência da igreja sobre a cultura e o pensamento daspessoas teve bases sólidas e materiais; ao longo dos séculos, a igreja se organizou politicamente e territorialmente, pois tinha muitos feudos, além de ter prestígio com a classe dominante, (reis e nobres). Logo a cultura medieval passou a se espelhar o pensamento da igreja, isso passou a ser conhecido comoteocentrismo cultural, ou seja, o mundo era subordinado as leis de Deus.
 
Aigreja  ainda passou , por meio de suas ordens a direcionar a produção cultural, mas as cidades começaram a se desenvolver e tornaram-se centros de novos valores culturais e assim foi saindo aos pouco dos dogmas da igreja.


No ano de 391, a religião cristã foi transformada em religião oficial do Império Romano. A partir deste momento, a Igreja Católica começou a se organizar e ganhar forçano continente europeu. Nem mesmo a invasão dos povos bárbaros (germânicos) no século V atrapalhou o crescimento do catolicismo.

















Desenvolvimento
Cultura Medieval
Cultura medieval A questão chave que vai atravessar todo o pensamento filosófico medieval é a harmonização de duas esferas; "a fé" e "a razão". O pensamento de Agostinho, (século V), reconhecia aimportância do conhecimento, mas defendia uma subordinação maior da razão em relação à fé, por crer que esta última venha restaurar a condição decaída da razão humana. Já a linha de Tomás de Aquino (século XIII) defende maior autonomia da razão na obtenção de respostas, apesar de não negar tal subordinação da razão à fé.  Filosofia de São Tomás de Aquino Seu maior mérito foi à síntese do Cristianismo coma visão aristotélica do mundo, introduzindo o aristotelismo, sendo redescoberto na Idade Média, na escolástica anterior. A partir dele, a Igreja tem uma teologia (fundada na revelação) e uma filosofia (baseada no exercício da razão humana) que se fundem numa síntese definitiva: fé e razão, unidas em sua orientação comum rumo a Deus. Ideal Tomás de Aquino tentou mostrar que a filosofia e a...
tracking img