A crise e os blocos regionais

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 10 (2430 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 1 de novembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
A CRISE NO SISTEMA ECONOMICO MUNDIAL
Oitenta e dois anos se passaram ,nos dias atuais vivemos a maior crise econômica mundial desde a 1929.Ás questões em relação á situação atual e ao perigo de uma recessão,ou até mesmo de um colapso são resultados do enorme crescimento do endividamento de alguns países da zona do euro.
A crise atual certamente acentua o ponto central que os meios decomunicação vem enfatizando- que a globalização ,ao invés de erguer o capitalismo a um novo tempo de progresso ,tem se intensificado todas as contradições que o afligiram no século xx ,tendo como resultado guerras e revoluções .
O sistema capitalista está enfrentando problemas de baixa demanda,uma crise mesmo,porém alguns especialistas estão otimistas que depois da tempestade sempre vem a calmaria e omundo emergirá da crise mais uma vez claro que com algumas seqüelas onde o mundo poderá sentir durante anos ou talvez por décadas.

O ministro Guido Mantega (Fazenda) já reconheceu que, caso a crise internacional nos mercados da Europa e Estados Unidos se prolongue, o Brasil poderá ter que rever sua meta de crescimento.


A CRISE DE 1929 X A CRISE DE 2011
A crise que agora vivemos começou naEuropa e logo nos países mais estáveis em suas histórias econômicas, qual seria a causa destes fatos, na Grécia, Na Espanha, no Egito, na Itália, na Alemanha, na Inglaterra, nos Países Baixos e tantos outros, o que teria causado esta derrocada econômica nestes países, que anteriormente eram fortes e estáveis?
Seria a nova forma de governo adotada, como o liberalismo da economia e este atingiu ossetores públicos destes países, onde governantes não respeitaram e mal administraram os tributos pagos por sua população, tudo indica que os males são os mesmo das duas épocas.

Vejamos que hoje se repete o passado em que os donos dos grandes capitais os bancos começam a recolher seus dinheiros e não fazem empréstimos permitindo a eclosão de uma nova crise sem proporção, ninguém na atualidadevive sem empréstimos em qualquer parte do mundo, pois somente o dinheiro faz viver uma economia forte e produtiva no mundo atual e aqui novamente vivemos a era de 1929.
E novamente todos os países estão às voltas com problemas econômicos neste momento, pois os grandes fornecedores de créditos, que são os banqueiros detentores das maiores fortuna do mundo, estão receosos em abrir os seus cofres esocorrerem as nações do mundo.
Hoje se repete as mesmas cenas daquele tempo nenhuma classe social ficou fora todas foram atingidas de forma violenta.
Tudo se repete como naquela época as classes médias agora sofrem o maior impacto deste momento as falências no comércio na indústria, no artesanato levará grande massa de empresas a bancarrotas e a economia liberal concentrada na fatal economiaglobalizada dominante do capital em circulação e momentaneamente recolhido, vem a quebradeira dos monopólios, foi fácil comprar tudo em certo momento, mas diante da crise se tornou a maior dor de cabeça na mão das controladoras.
Outro momento muito parecido como o de outrora na economia financeira, outra miséria social descortina a nossa frente, pois a economia liberal concentrada na mão do mundoglobalizado, jamais eles vão permitir uma recuperação rápida nesta história da economia.

E esta de agora é a maior de todos os tempos, quando o capitalismo estava no apogeu de cada dia ter mais riqueza em suas mãos, vem a crise, tudo em nome da alta concentração nas mãos de poucos e a distribuição de renda não ser equitativa entre a renda e o trabalho, repete-se a história de todos os tempos.Desta vez ela começou na Europa devastando por lá várias economias e atingindo a população em geral que viu seus salários serem diminuído quer do trabalhador normal em atividade e ainda levando de roldão os aposentados e no Brasil a indústria se viu ociosa, pois hoje um automóvel de peças fabricadas em várias partes do mundo, prejudicando nossas indústrias de componentes, que até bem pouco tempo...
tracking img