A cidade antiga

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 2 (251 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 21 de março de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
CAP I – CRENÇAS A REPEITO DA ALMA E DA MORTE
A morte era a transformação da vida, não a decomposição do ser. A alma permanecia junto dohomem, naterra, não ia para outro mundo celestial. Almas que não fossem sepultadas ficariamatormentando os vivos. Portanto, as pompas fúnebres não representavam aostentação da dor, mas afelicidade dos mortos para preservar a felicidade dos vivos. A privação da sepultura era uma forma depunição.
CAP II – O CULTO DOSMORTOS
Os mortos eram criaturas sagradas, mesmo que em vida não tivessem sido virtuosos e as sepulturaseram templos de desuses a quem pediam auxíliose favores. A morte foi o primeiro mistério, colocandoo homem no caminho de outros, elevou o pensamento do visível ao invisível, do passageiro aoeterno,do humano ao divino. – Gérmem da própria filosofia grega, de vida após a morte. Culto aos mortos =“parentare”.
CAP III – O FOGO SAGRADO
O fogo eraaceso nas casas dia e noite, como algo divino protegia a casa e a família, que lheprestava culto e fazia-lhe pedidos. Logo o fogo do lar era sagrado, umaespécie de ser moral, possuíaespírito, consciência, ditava deveres e velava para que fossem cumpridos. Devia haver o sacrifício demanter e avivar o fogosagrado, nutrir e desenvolver o corpo de deus. Era um deus. A natureza divinaera baseada na natureza humana. O fogo sagrado era uma representação dosmortos em convívio eparticipação com a família. Os ancestrais eram os deuses da família. Posteriormente há umapersonificação do fogo na deusa Vesta.
tracking img