A cidade antiga

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 8 (1895 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 7 de maio de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
CAPÍTULO 1
CRENÇAS SOBRE A ALMA E SOBRE A MORTE
As mais antigas gerações, muito antes de existirem filósofos, acreditavam em uma segunda existência após a morte, encarando a morte como uma mudança de vida. Nas populações greco-itálicas, a crença da metempsicose, isto é, transmigração da alma de um corpo a outro, não existia. Também não existia as nossas crenças atuais Ocidentais, de que asalmas entravam na morada celeste.
Segundo as crenças greco-italicas, a alma passaria a sua segunda existência bem perto dos homens, e que continuava a viver sobre a terra, junto destes. Acreditou-se por muito tempo, que nessa segunda existência que a alma nascia com o corpo, a morte não se separava dele e que alma e corpo enterravam-se no mesmo túmulo.
No funeral, acreditava-se que quando colocavao corpo na sepultura, colocava-se algo vivo. No final da cerimonia, costumavam invocar três vezes a alma do morto e faziam-lhe votos de vida feliz. Escreviam sobre o tumulo o nome de quem repousava ali, na qual herdamos esse costume até os nossos dias.
Os antigos tinham um costume de derramar vinho no tumulo para matar a sede, deixavam comida para matar a fome, acreditando que um ser imortalrepousa no tumulo e enterravam objetos na qual julgava que tivesse necessidade.
A sepultura era necessária, sem sepultura a alma viveria desgraçada e só pelo sepultamento adquiria a felicidade para sempre. Alma deveria que não tivesse tumulo não teria morada, tornando-se alma errante, isto é, não receberia as oferendas, se tornaria maldosa e atormentaria os vivos. Além da sepultura, os ritos fúnebreseram necessários. “Conta-nos Suetônio que, tendo sido enterrado o corpo de Caligula, sem cerimonia fúnebre, sua alma andou errante e apareceu aos vivos, até o dia que se lhe desenterrou o corpo e lhe deram sepultura segundo os ritos.” ( A Cidade Antiga, pág 21). Nas cidades antigas, a privação da sepultura era punição em forma de lei.
O ser que vivia sob a terra não se encontrava desprendido dahumanidade que não tivesse necessidade de alimento, em alguns dias do ano, os familiares faziam uma cerimonia e levavam alimento ao tumulo. Esses alimentos eram bolos, frutas e sal sobre os quais se vertia leite, vinho e algumas vezes o sangue de uma vitima. Não era comemoração. “O alimento que a família levava ao morto destinava-se só e exclusivamente a ele, e a prova do que aqui afirmamos estáno fato de que o leite e o vinho eram derramados na terra do tumulo e também ao fato de abrir-se um buraco para fazer com que os alimentos sólidos chegassem até o morto e ainda no fato de que, quando se lhe imolava alguma vitima, todas as suas carnes eram queimadas para que nenhum vivo delas tirasse um pedaço e no fato, também, de se pronunciarem certas formulas consagradas e destinadas a convidaro morto a comer e beber e também porque, embora toda a família assistisse a essa refeição, nem sequer tocava naquelas iguarias.” (A Cidade Antiga, pág 23).
CAPÍTULO 2
O CULTO AOS MORTOS
O cuidado de levar alimentos aos mortos era obrigatório, pois eram considerados seres sagrados, deuses. Por isso chamavam-nos de bem-aventurados, bons. Os túmulos eram os templos dessas divindades, tinham ainscrição sacramental Dis Manibus e, em grego, “teois cthoniois”, e também havia um altar para os sacrifícios.
Os gregos davam aos mortos o nome de deuses subterrâneos, já os romanos davam aos mortos o nome de deuses Manes. Esse culto aos mortos era encontrado entre os helenos, latinos, sabinos e etruscos e também entre os árias da India. O Livro das Leis de Manu falava desse culto como o maisantigo professado pelo homem, os hinos de Rig-Veda. Hoje em dia os hindus continuam a fazer suas oferendas aos antepassados. O hindu devia oferecer aos manes a refeição chamada sraddha, acreditando que no momento em que ele oferecesse a refeição fúnebre, os manes dos antepassados vinham sentar-se junto dele e comiam o alimento que lhes era oferecido, proporcionando grande alegria aos mortos. Assim...
tracking img