Walking city

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 9 (2206 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 2 de junho de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
SUMÁRIO

1. GRUPO ARCHIGRAM............................................................................................ 4

1.1 PRINCIPAIS OBRAS............................................................................................. 7

2. CONCEITO............................................................................................................. 10

3. WALKINGCITY................................................................................................... 10

3.1 O SURGIMENTO................................................................................................ 10

3.2 SOBRE ................................................................................................................. 11

4.CONCLUSÃO.......................................................................................................... 14

5. REFERENCIA BIBLIOGRÁFICA....................................................................... 16

1. GRUPO ARCHIGRAM

Foi criado por um grupo de arquitetos ingleses em 1961, quando estes publicaram suas idéias no panfleto Archigram neste mesmo ano.
Obtiveram grande notoriedade com a exposição Living City, noInstitute of Contemporary Arts, em 1963 quando o grupo adotou o mesmo nome.
Baseavam-se na Architectural Association School of Architecture de Londres que buscavam um diálogo mais próximo com o contexto cultural da época.
O grupo se inspirou na tecnologia como forma de expressão para criar projetos hipotéticos, na tentativa de resgatar as premissas (fatos, proposições) fundamentais daarquitetura moderna, resguardadas as particularidades da época.
Os principais membros foram Peter Cook, Warren Chalk, Ron Herron, Dennis Crompton, Michael Webb e David Greene.
A intenção do grupo inglês era a publicação de uma revista de arquitetura ilustrada que divulgasse a produção do grupo e também que esta fosse um instrumento de comunicação direta e de crítica às formas tradicionais de produção,representação e de ensino de arquitetura. Esta publicação recebeu o nome de Archigram, nome composto através da união das palavras architectural +telegram, ou aerogram.
Já neste momento é possível identificar um primeiro rompimento proposto: a produção da arquitetura entendida pelo grupo através da sua inserção na comunicação midiática, cuja linguagem adotada reforçava a cultura de massas; sejapela própria adoção da revista como meio de expressão arquitetônica, seja pelo uso de uma linguagem pouco ou nada particular e fechada ao universo da disciplina, compreendendo os elementos lingüísticos pop, retirados das histórias em quadrinhos (comics), da propaganda, da televisão, de fotografias; compondo híbridas montagens. Sua produção desenvolveu-se como reflexo da revolução econômica etecnológica que avançava sobre os países desenvolvidos. Refere-se aqui à inauguração de uma nova contemporaneidade ditada pelos recentes produtos da tecnologia de transportes, da comunicação, da informática e da robótica, que tem lugar na década de 60. A corrida espacial, o desenvolvimento da comunicação via satélite, o surgimento do germe do que chamamos hoje de Internet, a invasão dos eletrônicos eeletrodomésticos nos lares, todos esses fatores característicos da revolução tecnológica conduziram, em aliança, ao desenvolvimento de uma nova linguagem cultural que contaminou todos os âmbitos de expressão. Essa linguagem caracterizou-se em especial pela extensão do seu alcance, definida pelo o que ficou conhecido como cultura de massas ou cultura pop, inteiramente influenciada pelos novos meios decomunicação hiper-midiáticos, que permitiam tal alcance e difusão de idéias.
Archigram representa a confiança no poder libertador da tecnologia, recuperando o espírito heróico das vanguardas do início do século XX Ao contrário das vanguardas do início do século, não se trata de exaltar a máquina como o artefato da industrialização, mas sim um processo abstrato da mecanização. Ou seja, não é a...
tracking img