Visitas tecnicas

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 55 (13641 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 4 de novembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
FACULDADE RUY BARBOSA


CURSO DE GASTRONOMIA




MARCIO MULLER DANTAS REIS SANTOS
















PROJETO INTERDISCIPLIINAR – HISTÓRIA DA ALIMENTAÇÃO HUMANA




























Salvador – BA
2012


MARCIO MULLER DANTAS REIS SANTOS













PROJETO INTERDISCIPLIINAR – HISTÓRIA DA ALIMENTAÇÃO HUMANATrabalho apresentado a Faculdade Ruy Barbosa, curso de Gastronomia, Projeto Interdisciplinar, ministrado pelo professor Francisco Amorim.

























Salvador – BA
2012

SUMÁRIO
I. INTRODUÇÃO 4

II. PRÉ-HISTÓRIA – COMO TUDO COMEÇOU 7

a. A DESCOBERTA DO FOGO 7

b. AGRICULTURA 8

c. DOMESTICAÇÃO DEANIMAIS 9

d. UTENSÍLIOS E MÉTODOS DE COCÇÃO DA ÉPOCA 10

III. A IDADE ANTIGA 12

i. GREGOS 13

ii. EGÍPICIOS 15

iii. HEBREUS 17

iv. ETRUSCOS 20

v. CELTAS 22

vi. ASSÍRIOS 23

vii. FENÍCIOS 23

viii. VIKINGS 24

ix. PERSAS 25

x. HINDUS 27

xi. MESOPOTÂMIOS 28

xii. BRETÕES 29

xiii. NORMANDOS 30

xiv. SAXÕES 32

xv. MONGÓIS 33xvi. ROMANOS 34

xvii. FRANCOS 36

xviii. TROIANOS 37

xix. MACEDÔNIOS 38

xx. GAULESES 39

xxi. CRISTÃOS 40

IV. A IDADE MÉDIA – INFLUÊNCIAS 41

a. TRADIÇÃO DOS MOSTEIROS 41

b. CRUZADAS 43

c. BANQUETES 44

V. CONCLUSÃO 47

VI. CONCLUSION 48

REFERÊNCIAS BIBLIOGRAFICAS 50


I. INTRODUÇÃO

A gastronomia é fruto do homem, um ser inteligente quevive em sociedade e produz cultura. E uma das mais peculiares ao ser humano é a culturra ligada à alimentação. (FREIXA, 2009) Através do estudo da gastronomia mundial é possível conhecer não apenas a arte de cozinhar e o prazer de comer, mas também a sua relação com os recursos alimentares disponíveis, pois as condições naturais de vida são extremamente variadas: influência da latitude, natureza dossolos, proximidade do mar, clima, etc. (MEZOMO, 1994).



Tendo provido uma plataforma sobre a qual as civilizações puderam ser fundadas, os alimentos atuaram como ferramentas de organização social, ajudando a moldar e estruturar as sociedades complexas que despontavam. A estrutura política, econômica e religiosa das sociedades antigas, desde os caçadores e coletores até as primeirascivilizações, baseava-se nos sistemas de produção e distribuição de comida. A produção de excedentes agrícolas e o desenvolvimento de sistemas coletivos de armazenamento e irrigação fomentaram a centralização política; rituais de fertilidade agrícola transformaram-se em religiões estatais; a comida tornou-se a moeda e meio de tributação; banquetes eram realizados para obter influência e demonstrar status;distribuições de alimentos eram feitas para definir e reforçar estruturas de poder. Por todo o mundo antigo, muito antes da invenção do dinheiro, comida era riqueza – e controle da comida era poder.



Depois do surgimento das civilizações em diferentes partes do mundo, os alimentos ajudaram a conectá-las umas as outras. Rotas de comércio funcionaram como redes internacionais de comunicação,culminando não apenas a troca comercial, mas também a troca cultural e religiosa. A rota das especiarias que atravessou o Velho Mundo levou à fertilização transcultural em campos tão diversos como a arquitetura, a ciência e a religião. Geógrafos primitivos começaram a se interessar pelos costumes e povos de terras distantes, e reuniram os primeiros esboços do mapa-múndi. De longe a maior dastransformações causadas pelo comercio de alimentos resultou do desejo europeu de superar o monopólio árabe sobre as especiarias. Isso levou a descoberta do Novo Mundo, à abertura de rotas comerciais marítimas entre a Europa, a America e a Ásia e ao estabelecimento dos primeiros postos coloniais por nações europeias. Nesse percurso, resolveu-se também o verdadeiro traçado do mundo.



Os alimentos...
tracking img