Violencia domestica contra mulher

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 10 (2261 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 11 de março de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
FACULDADE NORTE CAPIXABA DE SÃO MATEUS
SERVIÇO SOCIAL

ALINE LOPES NEVES
ADRIANA SILVA PEREIRA
CATIÚCIA ESTEVÃO GRILO

VIOLÊNCIA DOMÉSTICA CONTRA A MULHER

SÃO MATEUS/ES
2012
ALINE LOPES NEVES
ADRIANA SILVA PEREIRA
CATIÚCIA ESTEVÃO GRILO







VIOLÊNCIA DOMÉSTICA CONTRA A MULHER

Trabalho apresentado à disciplina de Desigualdades Sociais e Violência do curso de Serviço Social daFaculdade Norte Capixaba de São Mateus. Professora: Sislene Pereira Gomes.



SÃO MATEUS/ES
2012
VIOLÊNCIA DOMÉSTICA CONTRA A MULHER

Desde os tempos antigos a mulher tem sido vítima de violência e continua mostrando-se muito frequente na contemporaneidade, principalmente por parte dos homens. Por muitos anos manteve-se submissa aos maridos, exercendo apenas a função de mãe de família,incumbida de educar os filhos e cuidar das tarefas de casa. Com o passar dos anos, a mulher foi ganhando espaço e direitos, lutando permanentemente e incansavelmente “entre o sempre e o jamais”, entre sempre buscar a felicidade e o respeito e jamais desistir do reconhecimento do seu papel na sociedade, como ressalta a Ruth Ignácio.
“Dizem que a mulher é o sexo frágil, mas que mentira absurda...”esse trecho da música ‘Mulher’ de Erasmo Carlos expressa bem a realidade da mulher do século XXI. Com toda certeza a mulher deixou de ser o sexo frágil, passando a ser o “sexo” que está buscando revolucionar e inovar o mundo, tanto no campo social, quanto no profissional, igualando-se aos homens, com capacidade de exercer qualquer atividade dentro da sociedade.
O artigo 5º da Constituição Federalde 1988, dos direitos e garantias fundamentais preconiza que todos são iguais perante a lei, garantindo a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade. Logo, nos faz acreditar que não pode ocorrer qualquer tipo de discriminação e nem violação dos direitos.
Ao definir a violência, ressaltamos a definição de violência contra mulher segundo Chauí (1984,p. 23):
A violência contra mulher resulta da dominação masculina que produz e reproduz, via ideologia, uma relação que transmuta diferença para desigualdade. Há uma condição geral de subordinação, cuja ordem normativa hierarquiza papéis sociais e padrões de comportamento determinado.
A violência contra a mulher é um problema de saúde pública, porque atinge a todos, não sendo privativa a umaparcela da população, não distingui raça, cor ou posição social. Para Vieira et al. (2006, p. 605) “a violência contra a mulher cometida pelo parceiro íntimo é um fenômeno complexo que vem sendo encarado como problema de saúde pública, não somente devido às suas complicações, mas também ao fato de o serviço de saúde ser um dos locais mais procurados por mulheres nessa situação”. Porque uma vezagredida, a mulher sente necessidade de buscar ajuda, seja por conseqüências psicológicas ou até mesmo física, muitas vezes o atendimento a essas pessoas, é falho, passando despercebidos indícios da violência, não sendo detectados por falta de capacitação e orientação aos profissionais de saúde ou até mesmo pela cultura de que não se deve intervir em brigas de marido e mulher.
Para Caram (1978,p. 13) “A violência pode ser chamada de um estado, onde assume múltiplos papeis, tem inúmeras causas e se encontra submergida em vários domínios. Visto a violência ser um fenômeno complexo, sua análise, hoje, não pode mais se restringir ao aspecto moral de relações diretas e nem mesmo a alguns aspectos da Economia, da Política ou da Sociologia. Ela atinge a totalidade da vida humana”.
Os homensantigamente infligiam? como deveriam proceder as atitudes da esposa dentro do convívio familiar e até mesmo de seus filhos, uma verdadeira “ditadura familiar”, onde as famílias eram hierarquizadas havendo um posicionamento de obediência entre pais e filhos e esposo e esposa, onde a esposa e os filhos eram subordinados ao marido/pai.
Muitos homens ainda acham que tem o direito de “padronizar”...
tracking img